Crítica Filme "Jorge da Capadócia" por Rita Vaz

Estreia nesta quinta-feira o filme “Jorge da Capadócia” que foi dirigido, produzido e protagonizado por Alexandre Machafer ("O Filho do Homem", "Anos Radicais", "Bem Aventurados").

O longa conta a história do guerreiro São Jorge, com seus conflitos familiares, a trajetória de sua fé e todos os obstáculos enfrentados durante o governo do imperador romano Diocleciano.

O ano é 303 D.C.. Após conquistar mais uma grande batalha, Jorge (Alexandre Machafer) recebe sua condecoração como o novo capitão do exército, período em que o Imperador Diocleciano (Roberto Bomtempo) dá início a sua última, derradeira, e sangrenta perseguição aos cristãos, no Império Romano.

Jorge se vê então, diante de seu maior desafio: ser fiel à sua fé e a suas convicções ou sucumbir às ordens cruéis do imperador.

O guerreiro faz de tudo para proteger a sua nação e sua família, o que se prova um grande obstáculo em meio à violência e injustiça do governo. 

Alexandre Machafer surpreende com uma grande produção. São sequencias de lutas muito bem feitas e coreografadas, interpretações maduras, direção de arte primorosa, daquelas que atenta aos pequenos detalhes, cenários imponentes, enfim, um grande filme.

Confesso que fui surpreendida com essa produção, pois, não esperava muito dela, e saí do cinema feliz com o cinema nacional, mais uma vez.

Eu não conhecia a história de São Jorge, e fiquei muito admirada de como tudo aconteceu com ele. E o pouco que eu conhecia, fez sentido no filme, como as armas de Jorge, a armadura de Jorge, o dragão e a fé inabalável.

O que me incomodou no filme: o sotaque carioca do elenco. Não entendo como as grandes produções, não trabalham esses aspecto nos longas. Se esse trabalho é tão bem feito nas novelas, por que não nos filmes?

Por mais que o público de fora do Brasil não vá perceber esse sotaque, nós brasileiros vamos nos incomodar, porque fica muito regional, muito tendencioso.

“Jorge da Capadócia” é aquele tipo de filme que vai fazer você pensar na história do santo, na trajetória do soldado que vai contra seus comandantes por conta de sua fé. E faz também você entender um pouco do porquê desse santo ser tão amado e idolatrado.

Se assim como eu, você não conhecia a história de São Jorge, esse é o filme perfeito para entender quem foi ele. E se já conhece, também é perfeito para você visualizar tudo o que já aprendeu sobre ele.

A data de lançamento nos cinemas, 18 de abril, é próxima ao Dia de São Jorge, que é comemorado no dia 23 de abril, uma homenagem a um dos santos mais amados no Brasil e no mundo. Recomendo.

Nenhum comentário:

Canal Brasil exibe imagens inéditas do set de "Baby", longa premiado em Cannes

João Pedro Mariano e Ricardo Teodoro em "Baby". Fotos: Divulgação O Canal Brasil vai exibir um Cinejornal especial com os bastidor...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba