Crítica Filme "Guerra Civil" por Rita Vaz

Estreia nesta quinta-feira o filme “Guerra Civil” dirigido pelo cineasta Alex Garland (“Ex-Machina”, “Men – Faces do Medo”).

O longa, apresenta uma mistura de ação e suspense, ambientado em um futuro não tão distante, quando uma guerra civil se instaura nos Estados Unidos.

Neste cenário, uma equipe pioneira de jornalistas de guerra, onde estão Lee (Kirsten Dunst) e seu colega de trabalho Joel (Wagner Moura), viajam pelo país para registrar a dimensão e a situação de um cenário violento que tomou as ruas em uma rápida escalada, envolvendo toda a nação.

No entanto, o trabalho de registro se transforma em uma guerra de sobrevivência quando eles também se tornam o alvo. O elenco conta ainda com nomes como Stephen McKinley Henderson, Jesse Plemmons e Nick Offerman.

“Guerra Civil” é um filme que fala não somente sobre guerra, mas, principalmente sobre jornalismo e crueldade.

Guerras, não importam onde ou quem contra quem, guerras são horríveis, e só sabemos delas por conta dos corajosos jornalistas que colocam as suas vidas em risco, para mostrar ao mundo o que acontece nesses lugares.

E as atrocidades que normalmente são mostradas, corajosamente por eles, ferem nossos olhos, nossos sentimentos e nossa humanidade.

No filme, ao longo da jornada, literalmente falando, dos jornalistas, que precisam cruzar o país, para entrevistar o presidente que está lutando contra os civis, temos uma ideia de até onde pode chegar a crueldade do ser humano.

É logico que o diretor se inspirou em fatos reais para produzir as cenas de violência extrema no filme, e elas são muitas.

O diretor contou com um ótimo roteiro, um elenco redondo, com ótimos efeitos especiais, conseguindo transformar esse filme, em algo grande.

A atriz Kirsten Dunst está perfeita no papel, ela dá vida a uma pessoa que está cansada de ver tanta maldade no mundo, de ver tanto abuso humano para com o humano.

Ela consegue passar uma melancolia e desesperança brutais, com sua atuação calcada na pele de quem já viu muitas guerras.

O ator Wagner Moura parece estar em casa e atua como se fizesse parte daquele contexto. O seu personagem não chega a ser um alívio cômico, mas, é um alívio na história pautada de tanta tensão. Palmas para os dois.

“Guerra Civil” é um filme que fala de guerras, de políticos, de extremos, de exageros, de repórteres e principalmente, ele é um alerta, para que prestemos atenção em como cada indivíduo age de acordo com suas crenças, sem exacerbá-las.

Eu recomendo muito que você o assista. Além de ser perfeito para quem gosta do gênero.

 

Nenhum comentário:

Twisters: Warner Bros. divulga álbum com trilha sonora de filme estrelado por Glen Powell e Daisy Edgar-Jones

A Warner Bros. Pictures, em parceria com a Atlantic Records, anuncia “Twisters: The Album”, trilha sonora do novo longa-metragem do estúdio,...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba