Crítica Filme "Ford vs Ferrari" - Rita Vaz



Estreia nesta semana o filme “Ford vs Ferrari” que a princípio possa parecer tratar de uma história sobre duas potências do mundo automobilístico, mas, não é só isso, ela trata de pessoas que fizeram história de uma forma bastante singular.

Baseado em fatos reais, o filme conta como o projetista norte-americano Carrol Shelby e o piloto britânico Ken Miles juntos conseguiram vencer as vinte e quatro horas de Le Mans, uma das mais tradicionais corridas automobilísticas do mundo, em um carro produzido em noventa dias, o Ford GT40.

Na década de 1960, por ordem de Henry Ford II, a Ford entrou no ramo das corridas automobilísticas e com intuito de quebrar a hegemonia da Ferrari.

E foi através da contratação de Carroll Shelby que eles construíram o carro que venceria os de Enzo Ferrari.

Apesar do curto espeço de tempo, Shelby tinha o conhecimento e a autonomia necessários para a empreitada, mas, ele precisava de um piloto que tivesse a coragem e audácia necessárias para pilotar o carro.

O seu amigo Ken Miles era a pessoa perfeita para tal, mas, tinha um temperamento difícil.

No entanto Shelby lutou por ele, e o final dessa história, todo mundo conhece, mas, as lutas e políticas internas que eles tiveram que enfrentar muitas pessoas não sabiam, até agora.

“Ford vs Ferrari” é um filme perfeito para quem gosta das histórias do automobilismo.

A direção de James Mangold é ótima, pois leva o espectador para dentro dos automóveis e para dentro das pistas de corridas de um modo impressionante.

A edição de som também arrebata o público e o leva para dentro das corridas junto com seus pilotos insanos.

Os efeitos especiais estão muito bons, dando mais credibilidade ainda para as cenas.

Além de todo o aparato visual das corridas, Mangold conta com um elenco de tirar o fôlego, com destaques para Matt Damon e Christian Bale que além da química que possuem, dão um show de desprendimento em suas atuações.

“Ford vs Ferrari” tem duas horas e meia de duração, as quais você não vê passar, de tão bem contada que é a história.

E não pense que esse filme é só para meninos ver, não. As meninas que gostam de cinema de qualidade e de velocidade vão adorar o longa.

Título Original: Ford v. Ferrari
Gênero: Ação/Drama
Duração: 2 horas e 33 minutos
Ano de Lançamento: 2019
Direção: James Mangold
Elenco: Matt Damon, Christian Bale, Caitriona Balfe, Tracy Letts, Jon Bernthal, Josh Lucas, Noah Jupe, Remo Girone, Ray McKinnon.




Confira o Primeiro Trailer de "Bob Esponja - O Incrível Resgate".



Em junho os fãs de Bob Esponja podem esperar nada menos que muita aventura do personagem mais querido do fundo do mar com o lançamento de 'Bob Esponja – O INCRÍVEL RESGATE’ no dia 11/06/20. 

Chegar em casa e não encontrar seu pet é desesperador. Imagina saber que ele foi sequestrado?! Nessas horas só o melhor amigo é a salvação para ajudar a resgatá-lo. Como mostrado no trailer do filme, divulgado hoje pela Paramount Pictures, Bob Esponja terá a companhia de Patrick na busca por Gary.

Personagens adorados pelo público da conhecida Fenda do Biquíni também estão no longa, como Lula Molusco, Seu Sirigueijo, Sandy Bochechas, entre outros, além de novas figuras que a dupla vai conhecer pelo caminho. Bob Esponja é dublado no Brasil por Wendel Bezerra.

Breve sinopse

Bob Esponja e Patrick enfrentam uma emocionante missão de resgate para salvar Gary, que foi "caracolstrado" pelo Rei Poseidon e levado para a cidade perdida de Atlantic City. 


Warner Bros. Pictures Divulga Primeiro Trailer Dublado da Animação "SCOOBY! O Filme".



O primeiro longa animado de uma aventura do Scooby-Doo para as telonas é uma história nunca antes contada da origem do Scooby e o maior mistério na carreira da Mistério S/A.

SCOOBY! O Filme revela como os amigos de longa data, Scooby e Salsicha, se encontram pela primeira vez e como se juntaram aos pequenos detetives Fred, Velma e Daphne para formar a famosa Mistério S/A. Agora, com centenas de casos resolvidos e aventuras compartilhadas, Scooby e sua gangue encaram o maior e mais desafiador mistério de todos os tempos: uma trama que libera o fantasma do cão Cerberus sob o mundo. Enquanto eles se apressam para impedir esse "apocãolipse", a gangue descobre que Scooby tem um legado secreto e um destino mais épico do que qualquer um poderia imaginar.

O elenco de dubladores da versão original de SCOOBY! O Filme é estrelado por Kiersey Clemons ("Vizinhos 2, série de TV "Angie Tribeca"), Zac Efron ("O Rei do Show," franquia "Vizinhos"), Will Forte ("Fora de Série", série de TV "O Último Cara da Terra"), Jason Isaacs (filmes "Harry Potter", série de TV "The OA"), Ken Jeong ("Podres de Ricos," trilogia "Se Beber Não Case"), Tracy Morgan ("Do que os Homens Gostam," série de TV "30 Rock"), Gina Rodriguez ("Horizonte Profundo: Desastre no Golfo," série de TV "Jane the Virgin"), Amanda Seyfried (filmes "Mamma Mia!" e "Ted 2"), o duas vezes nomeado ao Oscar Mark Wahlberg ("O Vencedor", "Os Infiltrados"), e Frank Welker (franquia "Transformers").

SCOOBY! O Filme é dirigido por Tony Cervone, indicado ao prêmio Annie pelo filme "Space Jam: O Jogo do Século" e duas vezes nomeado pelo mesmo prêmio por seu trabalho em "Duck Dodgers."
Com estreia prevista para 14 de maio de 2020, o filme será distribuído Warner Bros. Pictures.

Com Elisabeth Moss,Thriller Psicológico "O Homem Invisível" Ganha Primeiro Trailer e Cartaz



O thriller psicológico “O Homem Invisível” (The Invisible Man) - lançamento da Universal Pictures com produção da Blumhouse -, acaba de ganhar seu primeiro trailer e cartaz.

Com base no clássico livro homônimo, de H.G. Wells, e no filme lançado pela Universal em 1933, a produção acompanha a vida de Cecília (Elisabeth Moss) após a misteriosa morte de seu namorado Adrian – com quem vivia um relacionamento abusivo. Moss descobre que ele lhe deixou uma herança milionária, mas com algumas estranhas condições.

Com direção e roteiro de Leigh Whannell (Sobrenatural: A Última Chave), “O Homem Invisível” é produzido por Jason Blum, da Blumhouse (Nós; Fragmentado; Halloween) e Kyle du Fresne. Os atores Storm Reid (Euphoria; 12 Anos de Escravidão) e Oliver Jackson-Cohen (A Maldição da Residência Hill) também estão no elenco. O filme chega aos cinemas brasileiros em 27 de fevereiro de 2020.   


Crítica Filme "As Panteras" - Rita Vaz



Estreia nessa semana “As Panteras” um novo reboot da série de sucesso feita para a televisão na década de 1970.

A série que tinha como premissa três mulheres que trabalhavam para uma agência de detetives privada, ficou no ar durante cinco temporadas, mas, se tornou cult ao longo dos anos, o que rendeu dois filmes para o cinema nos anos 2000 e 2003.

Agora, dezesseis anos depois, uma nova leva de “panteras” entra em cena, com um aparato moderno e atualizado, com novas e belas (como sempre) atrizes e com uma história ainda mais interessante de se ver.

O empoderamento feminino é base para o novo longo, que dialoga muito bem com os atuais rumos da sociedade.

Na nova história conhecemos mais do ambiente interno da empresa Charlie’s Angels, o que já torna esse novo episódio bastante diferente dos demais, além de nos ser mostrado como as integrantes do novo trio se conhecem e começam a trabalhar juntas.

Sabina Wilson, Jane Kano e Elena Houghlin, terão que usar toda a sua habilidade, destreza, perspicácia, audácia, força e conhecimento para enfrentar uma perigosa missão global, que tem como objetivo impedir que um novo programa de energia se torne uma ameaça mortal para a humanidade.

Elizabeth Banks, atua e dirige o novo “As Panteras” e faz as duas atividades com maestria.
Em cena, ela está “em casa” como sempre, e na direção tem um ótimo timing para as cenas de ação, para os momentos de alívio cômico e para os diálogos, onde ela acentua o discurso feminista.

As cenas de perseguição e lutas estão muito bem-feitas, com coreografias que chamam a atenção e são também muito bem dirigidas.

O elenco está ótimo em cena, fica fácil perceber o crescimento das personagens, individualmente e como um trio que ao longo do tempo se conhece e se entrosa.

Kristen Stewart está perfeita na pele de Sabina, destemida, bem-humorada e forte, ela passa credibilidade para a sua personagem.

Naomi Scott está impagável como Elena, que no começo parece assustada com toda a novidade e ao longo da história se adapta a ela, com humor e destreza.

Ella Balinska entrega uma Jane, a princípio durona e cheia de regras, mas, que depois, mostra que tem uma história por trás dessa postura e se rende à magia da amizade.

“As Panteras” é uma bela homenagem aos seus antecessores, pois respeita a premissa da série, traz diversas referências aos filmes anteriores e traz ainda participações (muito) especiais.

Quando o filme acabar, não saia da sala de cinema, pois, logo depois dos primeiros créditos, tem cenas superinteressantes de se ver.

“As Panteras” é uma grata surpresa do cinema nessa época de reboots. Recomendo!

Título Original: Charlie’s Angels
Gênero: Ação/Aventura
Duração: 1 hora e 59 minutos
Ano de Lançamento: 2019
Direção: Elizabeth Banks
Elenco: Kristen Stewart, Ella Balinska, Naomi Scott, Elizabeth Banks, Djimon Hounsou, Sam Clafin, Noah Centineo, Patrick Stewart, Nat Faxon.



"Azougue Nazaré" Premiado Longa de Tiago Melo, Estreia Nesta Quinta



Depois de percorrer dezenas de festivais no Brasil e no mundo, nos quais recebeu mais de quinze prêmios, AZOUGUE NAZARÉ, primeiro longa de Tiago Melo (produtor de “Aquarius”, “Boi Neon”, “Bacurau” e “Divino Amor”), estreia nesta quinta-feira, dia 14 de novembro, nas cidades de Recife, Triunfo, Aracaju, Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Maceió, Niterói, Palmas, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador, São Luis, São Paulo e Teresina

Este é um momento muito especial para estar lançando meu primeiro filme como diretor, reafirmando a força do cinema que estamos produzindo em Pernambuco e no Brasil”, comemora Melo. Para o diretor, foi uma surpresa o longa ter sido exibido em tantos lugares do mundo, “foi um dos filmes brasileiros que mais circulou internacionalmente no ano; eu não esperava uma dimensão tão grande”, comenta. “Poder debater o filme em vários países com culturas tão diferentes foi incrível e o encantamento das pessoas quando veem o Maracatu pela primeira vez...”, relembra. “Mas a sessão mais importante para mim foi em Nazaré. Ao passar o filme ali na cidade, eu tive a sensação de missão cumprida”. 

Com a religião também em pauta, AZOUGUE NAZARÉ mergulha no universo do Maracatu Rural, uma tradicional manifestação da cultura popular brasileira que surgiu com a mistura de danças e religiões de matriz africana trazidas pelos povos escravizados no Brasil. A trama se passa num imenso canavial onde um Pai de Santo pratica um ritual religioso com cinco caboclos, que ganham poderes, incorporam entidades e desaparecem. Enquanto isso, numa casa isolada, mora o casal Catita e Irmã Darlene. Ele esconde que participa do Maracatu e ela é fiel da igreja do Pastor Barachinha, um antigo mestre de maracatu convertido à religião evangélica, que se vê na missão de evangelizar toda a cidade.  

Segundo Melo, o filme rompe com a visão habitual da cultura popular. “Ele desmistifica o dia a dia dos maracatuzeiros, trazendo emoções e desejos de pessoas por trás das fantasias, confrontando a ideia de uma manifestação parada no tempo, com o uso funcional de tecnologias e das redes sociais, que naturalmente facilitam a comunicação”, diz. O elenco se destaca com a interpretação e atuação de mais de sessenta integrantes do Grupo de Maracatu, que fortalece a narrativa do filme ao acompanhar personagens fictícios envolvidos em questões reais e contemporâneas, a tensão religiosa e a expectativa do carnaval. “O elenco é a alma do filme. Me sinto privilegiado em ter sido tão acolhido dentro dos maracatus e ter construído esse filme junto com esses artistas que eu admiro”, completa. 

A escolha por abordar essa manifestação cultural no longa não foi por acaso. O diretor conta que o Maracatu Rural está em seu sangue, pois sua avó, nascida em Nazaré da Mata, completou 102 anos, a mesma idade do Cambinda Brasileira, o grupo de maracatu mais antigo em atividade. “O Maracatu é uma arte de pura resistência e eu quis colocar isso na tela, mostrar como a arte pode superar preconceitos, bloqueios, ameaças, intolerância etc. Esses artistas são exemplo de que nada é capaz de destruir os sonhos”, finaliza o diretor. 

Dentre os prêmios recebidos pelo filme, destaque para o Bright Future Award, do Festival Internacional de Roterdã, Melhor Direção no BAFICI 2018, Menção Honrosa no Lima Independiente Film Festival 2018, Prêmio da Crítica no Festival de Toulouse, e a Prêmio Especial do Júri, Melhor Ator e Melhor Montagem no Festival do Rio 2018. O longa foi o grande vencedor do 13º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro, levando Melhor Filme – Júri Oficial, Melhor Filme – ABRACCINE, Melhor Filme - Júri Popular, Melhor Roteiro, Melhor Direção e Melhor Fotografia. AZOUGUE NAZARÉ é uma produção Lucinda Filmes e Urânio Filmes e tem distribuição no Brasil da Inquieta Cine.  

SINOPSE 
Num imenso canavial que parece não ter fim, numa casa isolada, moram o casal Catita e Irmã Darlene. Catita esconde que participa do Maracatu. Darlene é fiel da igreja do Pastor Barachinha, um antigo mestre de maracatu convertido à religião evangélica, que se vê na missão de expulsar o demônio do Maracatu, evangelizando toda a cidade. Em meio ao canavial, um Pai de Santo pratica um ritual religioso com cinco caboclos de lança. Os caboclos ganham poderes, incorporam entidades e desaparecem. A cidade de Nazaré da Mata testemunha acontecimentos misteriosos.  



Feriado na Capital: Mostra Stephen King no CCBB tem Clássicos do Cinema a Preços Especiais



Para quem ficar na capital paulista neste feriado de 15 de novembro, a sugestão é conferir clássicos do cinema de terror na mostra STEPHEN KING: O MEDO É SEU MELHOR COMPANHEIRO, que está em cartaz no CCBB São Paulo até 25 de novembro. 

Destaque para a exibição de Louca Obsessão, que rendeu o Oscar de Melhor Atriz para Kathy Bates, na sexta-feira (15/11), às 19h, e para a sessão de IT – Uma Obra Prima do Medo no sábado (16/11), às 17h45. Ainda no sábado haverá exibição gratuita com legenda descritiva de Cemitério Maldito, às 14h. 

Com ingressos a R$ 5,00 e algumas sessões gratuitas, a programação conta, ainda, com sessões com acessibilidade (libras e audiodescrição) e uma masterclass com a curadora Rita Ribeiro. O projeto é patrocinado pelo Banco do Brasil, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e conta com curadoria é de Breno Lira Gomes e Rita Ribeiro.  

Nesta mostra, o público brasileiro, especialmente os fãs do autor, terá a oportunidade de debater sua obra, discutir sobre o seu processo criativo e analisar as adaptações dos seus livros para o cinema e para a televisão. Além disso, as exibições também pretendem estimular a leitura, já que a grande maioria dos filmes que compõem a seleção são baseados nos livros de Stephen King. 

PROGRAMAÇÃO SÃO PAULO 

Master class 
As aulas são gratuitas e indicadas para maiores de 16 anos; as inscrições devem ser feitas pelo e-mail stephenkingccbb@gmail.com 

21 de novembro – quinta-feira - 14h – Master Class O HORROR QUE NOS RODEIA: DA LITERATURA PARA O CINEMA – Parte 1, com a curadora Rita Ribeiro - 120 min/16 anos  

22 de novembro – sexta-feira - 14h – Master Class O HORROR QUE NOS RODEIA: DA LITERATURA PARA O CINEMA – Parte 2, com a curadora Rita Ribeiro - 120 min/16 anos  

PROGRAMAÇÃO DE FILMES 

13 de novembro – quarta-feira  
17h – O monstro do ártico – 87 min. 14 anos (Entrada gratuita)  
18h45 – O Apanhador de Sonhos – 136 min. 14 anos   

14 de novembro – quinta-feira  
16h45 – Trocas Macabras – 120 min. 16 anos  
19h – O Nevoeiro – 126 min. 16 anos  

15 de novembro – sexta-feira  
14h – Lembranças de Um Verão – 101 min. 14 anos  
16h30 – Eclipse Total – 132 min. 16 anos  
19h – Louca Obsessão – 107 min. 14 anos  

16 de novembro – sábado  
14h – Cemitério maldito – 103 min. 16 anos (sessão com legenda descritiva) (Entrada gratuita)
16h - A ameaça que veio do espaço – 81 min. 14 anos (Entrada gratuita)  
17h45 - It – Uma Obra Prima do Medo – 192 min. 14 anos  

17 de novembro – domingo  
14h30 – Desespero – 131 min. 16 anos  
17h – A criatura do cemitério – 89 min. 18 anos  
18h45 – Na Hora da Zona Morta – 100 min. 12 anos  

18 de novembro – segunda-feira  
15h - O Iluminado Parte 1 – 90 min. 16 anos (Entrada gratuita)  
17h - O Iluminado Parte 2 – 90 min. 16 anos (Entrada gratuita)  
19h - O Iluminado Parte 3 – 90 min. 16 anos (Entrada gratuita)  

20 de novembro – quarta-feira  
15h - O Nevoeiro – 126 min. 16 anos (Dublado com audiodescrição) (Entrada gratuita)   
17h30 – Pesadelos e Paisagens Noturnas: Vol 3 – 90 min. 16 anos (Entrada gratuita)  
19h20 – Cujo – 97 min. 16 anos  

21 de novembro – quinta-feira  
14h – Master Class O HORROR QUE NOS RODEIA: DA LITERATURA PARA O CINEMA – Parte 1, com a curadora Rita Ribeiro -  120 min. 16 anos  
16h15 - Saco de Ossos – 157 min. 16 anos  
19h15 - O Iluminado – 120 min. 16 anos  

22 de novembro – sexta-feira  
14h – Master Class O HORROR QUE NOS RODEIA: DA LITERATURA PARA O CINEMA – Parte 2, com a curadora Rita Ribeiro -  120 min. 16 anos  
16h15 – Um Sonho de Liberdade – 142 min. 16 anos   
19h - O Aprendiz – 111 min. 18 anos  

23 de novembro – sábado  
15h30 - Arquivo X – Episódio Feitiço – 44 min. 12 anos (Entrada gratuita)  
17h - A Hora do Lobisomem – 95 min. 16 anos  
19h - O Sobrevivente – 101 min. 16 anos  

24 de novembro – domingo  
14h30 - Halloween, a noite do terror – 91 min. 18 anos (Entrada gratuita)  
16h30 - Louca Obsessão – 107 min. 14 anos   
18h45 - Christine, O carro Assassino – 109 min. 18 anos  

25 de novembro – segunda-feira  
15h - Conta comigo – 89 min. 12 anos  
17h – Comboio do Terror – 97 min. 18 anos  
19h20 – Carrie, a Estranha - 92 min. 16 anos 


SERVIÇO 
MOSTRA STEPHEN KING – O MEDO SEU MELHOR COMPANHEIRO 
Realização: Centro Cultural Banco do Brasil 
Local: Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo – Cinema 
Data: de 30 de outubro a 25 de novembro 
Programação em: bb.com.br/cultura 

Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo 
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro, São Paulo -SP 
(Acesso ao calçadão pela estação São Bento do Metrô) 
(11) 3113-3651/3652 | Todos os dias, das 9h às 21h, exceto às terças. 
ccbbsp@bb.com.br  | twitter.com/ccbb_sp  | 
facebook.com/ccbbsp | instagram.com/ccbbsp 
Acesso e facilidades para pessoas com deficiência | Ar-condicionado | Cafeteria e Restaurante | Loja 

Estacionamento conveniado: Edifício Zarvos - Rua da Consolação, 228 (R$ 14 por seis horas, necessário validar ticket na bilheteria). Uma van faz o traslado gratuito, a partir das 14h até o término do último evento, entre o estacionamento e o CCBB. No trajeto de volta, tem parada 
no Metrô República. 

Londres é Destaque em Vídeo de Bastidores de "Uma Segunda Chance para Amar"



A Universal Pictures acaba de divulgar um vídeo inédito de “Uma Segunda Chance para Amar” (Last Christmas) - com várias cenas filmadas na capital do Reino Unido -, além de declarações da protagonista, Emília Clarke, e de outros artistas. Segundo o diretor, Paul Feig, o filme “é uma carta de amor para Londres”.     

“Uma Segunda Chance para Amar” conta a história de Kate, funcionária de uma loja natalina que funciona durante todo o ano. Ela está cansada de sua rotina e das más decisões que já tomou na vida, mas tudo muda quando conhece o misterioso Tom (Henry Golding).           

O roteiro, de Emma Thompson e Bryony Kimmings, é inspirado na música “Last Christmas”, de George Michael. O filme ainda traz outros sucessos do cantor como “Freedom” e “Faith”, além de uma canção inédita. A estreia está marcada para 28 de novembro.


Paramount Apresenta Novo Trailer e Cartaz de "Sonic – O Filme".



A Paramount Pictures divulgou o trailer e cartaz de “SONIC – O FILME”, que estreia no dia 13 de fevereiro nos cinemas.

O filme é uma aventura live-action baseada na franquia mundial de vídeo game da Sega que conta a história do ouriço azul mais famoso do mundo.

O longa segue as aventuras de Sonic enquanto ele tenta se adaptar à nova vida na Terra com seu novo melhor amigo humano, o policial Tom Wachowski (James Marsden). Sonic e Tom unem forças para tentar impedir que o vilão Dr. Robotnik (Jim Carrey) capture Sonic e use seus poderes para dominar a humanidade.

Dirigido por Jeff Fowler e produzido por Tim Miller (Deadpool), e por Neal H. Moritz (Velozes e Furiosos), o filme traz ainda no elenco Jim Carrey, James Marsden, Tika Sumpter e Ben Schwartz, como a voz do Sonic, que no Brasil será dublado por Manolo Rey.

Crítica Filme "Dora a A Cidade Perdida" - Rita Vaz



“Dora, a aventureira” é uma animação produzida pela Nickelodeon, e que faz muito sucesso entre as crianças desde os anos 2000.

Feita em um formato educativo, a animação é muito querida pelos baixinhos que interagem com a personagem Dora e seu macaco Botas, sempre que eles solicitam a sua ajuda para alguma questão da história, e isso acontece no filme também.

O longa tem a mesma energia da animação, o que é muito bom, pois as crianças que irão ao cinema, terão uma bela surpresa com o que encontrarão.

Na nova história conhecemos Dora quando ela ainda era criança, e morava com seus pais em uma floresta no Perú.
Além deles, Dora convive com o seu amigo, o  macaco Botas e toda a espécie de animais.
Ela é uma aventureira e exploradora nata, conhece todos os caminhos e sinais da floresta.

Os anos passam, Dora é uma adolescente e vai morar na cidade, na casa do primo Diego, e estudar no mesmo colégio que ele.

Acontece que seus pais, ao explorarem a floresta em busca de uma cidade perdida, desaparecem, e Dora é a pessoa perfeita para encontrá-los.

Ela vai precisar da ajuda de novos e velhos amigos para salvar seus pais e resolver um mistério que envolve mercenários e uma antiga civilização.

O diretor James Bobin entrega um filme colorido, divertido, que respeita a animação e traz vida (literalmente) aos personagens de uma forma impressionante.

A atriz Isabela Merced está perfeita no papel de Dora. Ela leva à personagem toda a vivacidade, alegria, coragem e segurança que é pertinente a ela.

Todo o elenco está ótimo em cena, sendo caricato e engraçado como é no desenho.
O longa tem um colorido que chama a tenção das crianças, tem movimento durante toda a projeção e tem um momento de animação em sua história.

Aliás, os efeitos especiais estão muito bons no filme, mas, o destaque vai para o macaco Botas e o Raposo, que interagem muito bem com os atores.

“Dora e a Cidade Perdida” é o tipo de filme necessário para os dias de hoje. Traz alegria, bons conceitos, uma moral leve e bem-humorada, não só para as crianças, mas, para os adultos que as acompanharão aos cinemas. Recomendo!

Título Original: Dora and The Lost City of Gold
Gênero: Família/Aventura
Duração: 1 hora e 43 minutos
Ano de Lançamento: 2019
Direção: James Bobin
Elenco: Isabela Merced,Michael Peña, Eva Longoria, Adriana Barraza, Temuera Morrison, Jeffrey Wahlberg, Nicholas Coombe, Madeleine Madden, Danny Trejo, Benicio Del Toro.



"A Rosa Azul de Novalis" Será Exibido na Mostra Competitiva do Festival Mix Brasil



Depois de figurar na seleção oficial da Berlinale e do Indie Lisboa e ter sido consagrado como o Melhor Longa-metragem da competitiva nacional do XV Panorama Internacional Coisa de Cinema, A ROSA AZUL DE NOVALIS, de Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro, chega aos cinemas da capital paulista. O filme será exibido nos dias 15 e 17/11, na mostra competitiva do 27º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, que acontece de 13 a 20 de novembro em São Paulo.  

Com produção da Carneiro Verde Filmes e distribuição da Sessão Vitrine Filmes, o longa apresenta Marcelo (Marcelo Diorio), um homem que vive relembrando o passado, inclusive de outras encarnações. Numa delas, ela foi o poeta alemão Novalis, que perseguia uma rosa azul.  

A partir de Marcelo, seus dilemas e suas buscas, os diretores pretendem chamar atenção para o ânus, tornando esse buraco, considerado obscuro, o ponto de partida para a compreensão do personagem. “Colocar o cu em evidência nos parece essencial, uma vez que em 8 países o sexo anal pode levar à pena de morte e em mais de 80 países à prisão perpétua. Sem embargo, o cu é um centro produtor de excitação e prazer, é uma fábrica de reelaboração do corpo e de suas perspectivas, pois ele não está destinado a reprodução humana, colocando o sistema tradicional da representação sexo/gênero abaixo. O cu é democrático, todos podem acessá-lo, afinal, cada um tem o seu”, explicam os diretores. 

A proposta dos realizadores foi fazer um filme com um personagem e não sobre um personagem, abordando todos os aspectos deste, não apenas o seu lado “bonito”. Vinagre e Carneiro comentam o processo criativo: “Nosso trabalho parte sempre de uma realidade, para recriá-la, transformá-la em algo que de alguma forma possa colocar o espectador em xeque sobre algumas questões geralmente consideradas tabu, e ao mesmo tempo muitas coisas são também colocadas em xeque para o personagem que atua como si mesmo, e para nós, que dirigimos. Há sempre uma jornada de autoconhecimento. Não à toa, todos os nossos filmes tematizam traumas, e são extremamente falados, como numa sessão de psicanálise. A ROSA AZUL DE NOVALIS não foge disso”.  

Serviço 
A ROSA AZUL DE NOVALIS no Festival Mix Brasil 

15/11 (sexta-feira) 
19h30 – Cinesesc 

17/11 (domingo) 
15h – Cine Olido 

Sinopse  
Marcelo, um dândi de cerca de 40 anos, possui uma memória inigualável. Revive lembranças familiares em sua cabeça e tem recordações de suas vidas passadas. Em uma delas, foi Novalis, poeta alemão que perseguia uma rosa azul. E nessa vida atual, o que Marcelo persegue? 

Fica técnica 
. Direção: Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro 
. Elenco: Marcelo Diorio, Majeca Angelucci, Marcos Hermanson Pomar, Thais de Almeida Prado, Estela Lapponi, Beatriz Pomar, Rafael Rudolf e Christian Sedemaka 


A ação vai tomar conta dos cinemas com ‘Invasão ao Serviço Secreto’ e ‘Carcereiros: O Filme’



Com grande expectativa por parte do público, ‘Invasão ao Serviço Secreto’ e ‘Carcereiros: O Filme’ são as apostas da Imagem Filmes para novembro de 2019. Enquanto o longa estrelado por Gerard Butler e Morgan Freeman chega aos cinemas no dia 14, a produção nacional com Rodrigo Lombardi e Kaysar Dadour estreia no próximo dia 28.

‘Invasão ao Serviço Secreto’ é o terceiro filme da franquia e já se consagrou como um verdadeiro sucesso ao redor do mundo, mantendo-se na liderança das bilheterias dos Estados Unidos por duas semanas. Além disso, recebeu 93% de aprovação pela audiência no Rotten Tomatoes. "Trabalhamos duro para não decepcionar os fãs dos dois primeiros filmes, agora você vai poder conhecer muito melhor esse personagem", afirma Gerard Butler.

Já em ‘Carcereiros: O Filme’, com direção de José Eduardo Belmonte, Rodrigo Lombardi retorna ao papel do agente penitenciário Adriano. Inspirado no livro homônimo de Drauzio Varella e na série de sucesso da Rede Globo, o filme traz uma nova história de dentro do presídio, onde Adriano será encarregado de encarcerar um perigoso terrorista internacional, interpretado por Kaysar Dadour.

Com roteiro assinado por Marçal Aquino, Fernando Bonassi, Dennison Ramalho e Marcelo Starobinas, o longa é uma produção da Globo Filmes, em coprodução com a Gullane e a Spray Filmes.

SINOPSE
Após uma tentativa de assassinato ao presidente dos Estados Unidos (Morgan Freeman), o agente do Serviço Secreto, Mike Banning (Gerard Butler), é injustamente acusado e levado sob custódia. Determinado a provar sua inocência, ele se torna um alvo do FBI à medida em que tenta encontrar o verdadeiro culpado. Ele vai precisar de toda a ajuda possível para proteger sua família e salvar seu país de um ataque sem precedentes.

SINOPSE
Adriano (Rodrigo Lombardi) é um carcereiro íntegro e avesso à violência, ele tenta garantir a tranquilidade no presídio, mesmo sofrendo com grandes dilemas familiares. A chegada de Abdel (Kaysar Dadour), um perigoso terrorista internacional, aumenta ainda mais a tensão no presídio, que já vive dias de terror por conta da luta entre duas facções criminosas. Agora, Adriano terá que enfrentar uma rebelião, além de controlar todos os passos de Abdel. Inspirado no livro ‘Carcereiros’ de Drauzio Varella, ‘Carcereiros - O Filme’ traz a realidade dos homens que, mesmo sem estarem presos, passam seus dias atrás das grades.


Nova temporada de The Blacklist estreia no AXN expondo mais segredos de família



Os segredos de The Blacklist vêm sendo descobertos pouco a pouco, mas o mais importante será desvendado na 7ª temporada – que estreia no canal AXN no dia 14 de novembro, às 22h – continuando a surpresa exposta no fim da temporada anterior: a mãe de Elizabeth Keen (Megan Boone) está viva e bem mais perto dela do que a agente pensa.

O primeiro episódio do novo ano mostra o estado de Raymond “Red” Reddington (James Spader) depois que foi sequestrado por Katarina Rostova (Laila Robins). Ele continua em cativeiro num território hostil, sem saber em quem confiar.

Cercado de velhos inimigos e novos aliados, Red continuará sua busca pela criminosa mais perigosa da Lista Negra, que não vai descansar até descobrir uma verdade que Red quer manter
em segredo. Para tanto, Katarina começa a se impor na vida de Elizabeth Keen, que, por sua vez, finalmente está reunida com a sua filha Agnes. A presença de Katarina é mais um perigo na vizinhança de Keen, e um que pode alterar para sempre a sua relação com Red.

Gravada em Nova York, The Blacklist também tem no elenco Diego Klattenhoff, Amir Arison, Hisham Tawfiq e Harry Lennix. John Eisendrath, Jon Bokenkamp, John Davis, John Fox, James Spader, Lukas Reiter, J.R. Orci y Laura A. Benson são os produtores executivos

The Blacklist – 7º temporada
Classificação indicativa: 16 anos
#TheBlacklistAXN
Quintas, às 22h – estreia dia 14 de novembro


Estrelado por Dixie Egerickx e o vencedor do Oscar® Colin Firth, ‘O Jardim Secreto’ ganha primeiro trailer



Com uma narrativa inspirada no best-seller homônimo publicado em 1911 pela escritora e dramaturga inglesa Frances Hodgson Burnett, “O Jardim Secreto” (The Secret Garden), lançamento da Paris Filmes, chega aos cinemas brasileiros dia 16 de abril e tem seu primeiro trailer divulgado. 

O primeiro material do mais novo remake, agora estrelado pelo vencedor do Osca Colin Firth, a indicada ao Osca Julie Walters, além de Maeve Dermody e Dixie Egerickx, já revela a exuberância da produção dirigida por Marc Munden. Na trama, Firth é o intérprete do Lorde Archibald Craven enquanto Julie Walters dá vida a rígida Sra. Medlock e Dixie Egerickx vive a jovem Mary Lennox.

Descendente da aristocracia inglesa — mas nascida e criada na Índia — Mary Lennox é uma menina de dez anos que vê sua vida se transformar após a perda dos pais. Obrigada a se mudar para a Inglaterra e morar com um tio que nunca conheceu, Mary começa a desbravar os segredos escondidos na propriedade e faz amizades que transformam sua vida e a de todos ao seu redor.

O longa atrairá não somente os fãs do amado livro, mas também o público geral, de todas as idades, que serão envolvidos de forma lúdica por um jardim abandonado repleto de mistérios.

Novo Filme de Woody Allen, "Um Dia de Chuva em Nova York" Chega aos Cinemas em 21 de Novembro



O diretor e roteirista Woody Allen retorna à Manhattan, a cidade que o inspira e se transforou num dos personagens de seus filmes, em UM DIA DE CHUVA EM NOVA YORK. Na produção, o cineasta retoma a parceria com Vittorio Storaro, vencedor de três Oscar®, que assina a direção de fotografia dos últimos três filmes de Allen. O longa estreia nos cinemas brasileiros em 21 de novembro, com distribuição da Imagem Filmes. 

Nova York é uma cidade surpreendente, cativante, sofisticada e romântica. Ali, tudo pode acontecer, especialmente quando chove. Quando a aspirante a jornalista Ashleigh (Fanning) tem a chance de uma entrevista exclusiva com o famoso diretor de cinema Roland Pollard (Schreiber), seu namorado Gatsby (Chalamet) encontra o pretexto perfeito para uma viagem romântica, que desejava há tempos. O que eles não poderiam imaginar é que seus planos para o final de semana fossem por água abaixo.  

Enquanto Ashleigh se envolve cada vez mais com Pollard em busca de seu furo de reportagem, Gatsby encontra Chan (Gomez), a irmã mais nova de sua ex-namorada, que acaba lhe fazendo companhia durante o restante da viagem. O casal logo se vê diante de uma série de encontros e desencontros que farão com que Ashleigh redescubra suas verdadeiras paixões e Gatsby aprenda que só se vive uma vez - mas que é o suficiente se for ao lado da pessoa certa. 

UM DIA DE CHUVA EM NOVA YORK traz a assinatura característica dos filmes de Woody Allen e tem chamado a atenção da crítica especializada. Apesar de ainda não ter sido lançado nos Estados Unidos, tem recebido elogios principalmente por conta do seu elenco. O Screen Internacional o define como “um filme agridoce, temperado com atuações esplêndidas”, enquanto o Hollywood Reporter é enfático ao elogiar a atuação de Timothée Chalamet, afirmando que o ator realiza um “excelente trabalho”. 

Sinopse 
Apaixonado por Nova York, Gatsby (Timothée Chalamet) decide passar um fim de semana na cidade ao lado de Ashleigh (Elle Fanning), sua namorada. No entanto, aquilo que era para ser uma aventura romântica acaba tomando um rumo inesperado. Aspirante a jornalista, Ashleigh conhece o diretor de cinema Roland Pollard (Liev Schreiber), que a convida para a exibição de seu mais recente trabalho. Gatsby, por sua vez, encontra Chan (Selena Gomez), a irmã mais nova de sua ex-namorada, com quem passa o restante da viagem. Um dia de chuva em Nova York será o suficiente para fazer com que Ashleigh redescubra suas verdadeiras paixões e Gatsby aprenda que só se vive uma vez - mas que é o suficiente se for ao lado da pessoa certa. 

Elenco 
Selena Gomez 
Timothée Chalamet 
Elle Fanning 
Jude Law 
Kelly Rohrbach 
Rebecca Hall 
Suki Waterhouse 
Liev Schreiber 
Diego Luna 

Ficha técnica 
Direção: Woody Allen 
Roteiro: Woody Allen 
Produtores: Howard E. Fischer, Adam B. Stern 
Direção de arte: Vittorio Storaro 
Edição: Alisa Lepselter 


Crítica Filme "Doutor Sono" - Rita Vaz



Estreia nesta semana o filme “Doutor Sono” baseado na obra homônima de Stephen King e trazido para a telona, pelas mãos competentes do diretor Mike Flanagan.

Por ser uma continuação de “O Iluminado”, obra cult, tanto literária, quanto cinematográfica, pelas mãos de Stanley Kubrick, o longa chega aos cinemas com uma expectativa bastante grande por parte dos seus fãs.

E como não poderia deixar de ser, a obra tem um impacto grande sobre a plateia, agradando vários tipos de espectadores e desagradando alguns outros. Para mim, agradou e muito.

O diretor Mike Flanagan, acostumado a dirigir longas de terror, entregou um filme que conversa com a obra de Stephen King, e faz reverência à obra de Kubrick.

Ele é ótimo na direção, desde o tempo de câmera em cada cena que precisava reter a imagem, por mais ou menos tempo na tela, até a escolha das cores, e das diversas (muitas óbvias e outras tantas não) referências à obra anterior.

No elenco está Ewan McGregor no papel de Danny, e a transformação que ocorre nele, ao longo da trama, é perceptível e crível.

A atriz mirim Kyliegh Curran está ótima no papel, entregando uma Abra assustada e amedrontadora quando necessário, mas, é a atriz Rebecca Ferguson que rouba a maioria das cenas em que aparece. O seu ser iluminado do mal, é construído com sutileza e perspicácia.

Na trama conhecemos Danny, aquele menino que sobreviveu à tentativa de homicídio do pai no Hotel Overllok, agora adulto.

Para se livrar dos espíritos e das lembranças que o perseguem desde então, ele mergulha no álcool e na vida profana, tentando assim passar desapercebido e desapercebendo a vida.

Por obra do destino, ele vai morar em uma pequena cidade e é lá que Abra, uma menina que tem o mesmo poder da iluminação, que ele, aparece.

Ela descobriu que outros seres iluminados, usam os seus poderes para sugar a energia vital de outras pessoas.

Danny terá que enfrentar seu passado para ajudar Abra e a si mesmo.

“Doutor Sono” é um ótimo filme, dentro do seu gênero de suspense e ficção, ele agrada tanto os fãs da saga, quanto os que não conhecem o seu predecessor.

Pois é, se alguém, por algum motivo que eu desconheço, nunca ouviu falar de “O Iluminado” de Stephen King ou de Stanley Kubrick, e for ao cinema assistir “Doutor Sono”, vai entender a história, além de ser surpreendido com uma trama atual em vários sentidos.

Ela é atual porque fala de superpoderes, de pessoas que vampirizam outras, de pessoas que ajudam umas às outras, de violência e de paz,

Não vá ao cinema pensando que você vai assistir um filme de terror, ele assusta algumas vezes sim, principalmente no terceiro ato, onde muitas referências ao longa anterior aparecem, mas, vá sabendo que você vai assistir a um excelente filme do gênero suspense e se surpreenda com essa produção.

“Doutor Sono” tem duas horas e meia de projeção, as quais você não vê passar. Recomendo!

Título Original: Doctor Sleep
Gênero: Suspense/Ficção
Duração: 2 horas e 32 minutos
Ano de Lançamento: 2019
Direção: Mike Flanagan
Elenco: Ewan McGregor, Rebecca Ferguson, Kyliegh Curran, Cliff Curtis, Carl Lumbly, Zahn McClarnon, Emily Alyn Lind, Bruce Greenwood, Carel Struycken, Jacob Tremblay.


Elenco de "Dora e a Cidade Perdida" Fala Sobre as Gravações do Filme



Os atores de ‘Dora e a Cidade Perdida’, o longa da Paramount Pictures baseado na animação “Dora, a Aventureira”, falam em vídeo de bastidores divulgado nesta segunda-feira (28), sobre a escolha do elenco e trabalho em equipe no filme, além de mostrar um pouco de como era o clima nas gravações. 

“Eu fui chamada de Dora minha vida inteira. Quando cortei franja então...foi uma loucura!”, conta Isabela Moner. 

“Isabela é Dora. Não poderia ter alguém melhor para interpretar Dora”, completa Eva Longoria. 

“Você vai ver uma Dora completamente diferente. E esse é o interessante deste filme”, revela Eugenio Derbez, que também elogia o fato de Benício Del Toro ser o dublador do Sr. Raposo.

‘Dora e a Cidade Perdida’ (DORA AND THE LOST CITY OF GOLD) é um live-action dirigido por James Bobin, e traz no elenco Isabela Moner, Eva Longoria, Michael Peña, Jeff Wahlberg e Eugenio Derbez. É uma distribuição do selo Paramount Players, divisão da Paramount Pictures que produz conteúdo destinado a audiências mais jovens em conjunto com outras marcas emblemáticas do Grupo Viacom. 
   
Lançada em 2000 e apresentada na Nickelodeon, Nick Jr. e na CBS, a série original ‘Dora, a Aventureira’ acompanhava as aventuras de uma menina de origem latina, de sete anos de idade, que viaja por um mundo fantasioso com a ajuda de uma mochila falante, um mapa antropomórfico e seu melhor amigo, um pequeno macaco chamado Botas.   

SINOPSE  

Tendo passado a maior parte de sua vida explorando a floresta com seus pais, nada poderia preparar Dora (Isabela Moner) para a aventura mais perigosa de todos os tempos - o ensino médio. A aventureira Dora rapidamente se vê liderando o macaco Botas (seu melhor amigo), o primo Diego (Jeff Wahlberg), um misterioso habitante da selva (Eugenio Derbez), seus pais (Eva Longoria, Michael Peña) e um grupo de adolescentes em uma aventura para resolver um mistério impossível por trás de uma cidade perdida de ouro. ‘Dora e a Cidade Perdida’ estreia no Brasil em 14 de novembro


Premiado em Cannes, "O Farol" de Robert Eggers, Estreia em Curcuito Comercial em 2 de Janeiro


Dirigido por Robert Eggers, do aclamado A Bruxa, e protagonizado por Willem Dafoe e Robert Pattinson, O FAROL terá sua primeira exibição no Brasil durante a 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em sessão especial no Auditório Ibirapuera com a presença do diretor e de Dafoe.  

O longa, que teve sua estreia mundial na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes 2019, onde levou o prêmio de Melhor Filme da FIPRESCI – Federação Internacional de Críticos de Cinema, estreia no circuito comercial brasileiro em 2 de janeiro de 2020. Produzido pela RT Features, do brasileiro Rodrigo Teixeira, em parceria com a New Regency e a A24, o filme tem distribuição no Brasil da Vitrine Filmes. 

Neste terror psicológico, dois homens são responsáveis por vigiar um farol marítimo numa remota e misteriosa ilha da Inglaterra nos anos 1890. Isolados de qualquer civilização, tendo apenas contato um com o outro durante longos períodos, eles começam a compartilhar suas angústias, medos, anseios e paixões.  

As exibições em festivais internacionais têm arrancado elogios do público e da crítica especializada. Para o Hollywood Reporter, “Eggers confirma sua reputação como um mestre do New England Gothic nesse segundo longa claustrofóbico”. Já o Guardian afirmou que “pouquíssimos filmes conseguem deixar você assustado e excitado ao mesmo tempo”. 


SINOPSE 
De Robert Eggers, mesmo diretor visionário da obra prima moderna de terror, A Bruxa, chega este conto hipnótico e alucinante de dois guardas de farol em uma remota ilha na Nova Inglaterra nos idos de 1890.  

Começam as Filmagens de "Vermelho Monet" , de Halder Gomes



O novo longa de Halder Gomes (“Cine Holliúdy”, “Os Parças”), VERMELHO MONET, estrelado por Chico Diaz, Maria Fernanda Cândido e Samantha Müller, começou a ser filmado em Lisboa, Portugal, onde equipe e elenco estarão por seis semanas. Uma coprodução da ATC e da Glaz Entretenimento, coprodução com Globo Filmes, em correalização com a Ukbar de Portugal, que conta com a participação de atores e parte da equipe portugueses. O filme tem apoio do Fundo Setorial do Audiovisual e distribuição no Brasil da Pandora Filmes. 

Idealizado por Gomes, que assina o roteiro com colaboração de Michelline Helena, “o projeto passou anos latente até que a Mayra Lucas (produtora) leu o roteiro e viu nele uma história potente e autoral”, relembra o diretor. Mas, em seu inconsciente, o filme começa a ser estruturado muitos anos antes, quando ainda criança folheava enciclopédias e se encantava com as imagens das pinturas.  

Desde então a pintura nunca mais saiu do meu imaginário e cotidiano. Pirava nos livros de história e não me saía da cabeça que tudo que o ser humano conhece visualmente, da idade da pedra à popularização da fotografia, vem da retratação dos artistas. São milhares de anos representados por estas visões. É algo incrível de se pensar. E isso era o que mais me intrigava. Como desenho e pinto desde criança - e é o que mais gosto de fazer na vida -, o desejo de falar desse universo foi crescendo até o ponto de se tornar inevitável”, explica Gomes. 

A pesquisa para o roteiro de VERMELHO MONET se confunde com a paixão do diretor pelas artes visuais, que sempre leu sobre pintores e suas obras. Em andanças por museus em viagens ao redor do mundo e em visitas aos lugares onde viveram grandes pintores, o roteiro foi se construindo no decorrer dos anos. “Ano passado passei o réveillon com a família em Auvers Sur Oise, diante da igreja que Van Gogh pintou em seus últimos dias. Estávamos absolutamente sós, não havia ninguém nas ruas. Já fui 3 vezes em Deflt, a cidade de Johannes Vermeer. Um dos últimos tratamentos do roteiro me dei ao luxo de escrever nos cafés parisienses – em Montmartre e Montparnasse -, nas mesmas mesas onde estiveram Picasso, Modigliani, Suzanne Valladon, Soutine, Monet, Peggy Guggenhein, Gertrude Stein etc. São quase 10 anos maturando a história e estudando profundamente o mundo e o sub-mundo do mercado das artes”. 

Depois de se tornar reconhecido pelas comédias, o diretor se envereda num drama, numa grande virada narrativa e estética. “Mas é um universo de grande zona de confiança, pois sob o aspecto artístico o mundo da pintura é minha grande paixão”, comenta. “Quanto à narrativa, nossas vidas em si não são apenas comédia; todos nós lidamos com o riso e a tragédia no cotidiano. A experiência do ofício de realizador nos dá o conhecimento para poder transitar por gêneros e estilos. Algo como um pintor que muda de fase e paleta, mas as tintas são as mesmas”, completa. 

Em VERMELHO MONET, Johannes (Diaz) é um pintor clássico que sempre teve seu talento à serviço dos interesses obscuros do mercado, até que decide recomeçar sua vida em Lisboa, ao lado de sua esposa Adele (Gracinda Nave), uma talentosa pintora com a carreira interrompida por um precoce e avassalador Alzheimer. Buscando inspiração para uma obra autoral, ele terá sua vida completamente transformada ao conhecer Florence (Müller), uma atriz internacional em crise criativa, e Antoinette (Cândido), uma marchand e connoisseur de arte. 

Sobre a escolha do elenco, Gomes comenta que foi um processo desafiador: “eu procurava um ator que também fosse pintor; e o Chico Diaz, além de um grande ator que todos conhecemos, é um exímio artista plástico. Era preciso conhecer a sensação de pintar com o desejo que os grandes pintores faziam. O filme traz também uma atriz estreante, Samantha Müller. Foi uma grande pesquisa da produtora de elenco Alê Tosi, que encontrou a atriz com o perfil específico: ruiva natural, olhos verdes, sardas, pele cor de leite. É um ponto estético crucial no filme, portanto não poderia desistir ou tentar caracterizar. E nesse processo de casting, Maria Fernanda Cândido leu o roteiro e ficou encantada. Eu estava em Lisboa vendo locações e ela voou de Paris até lá para falarmos mais sobre o projeto”.  

VERMELHO MONETé uma história que transita pelo paradoxo da relação da finitude do artista e a permanência da sua obra”, finaliza o diretor. 

SINOPSE 
Johannes Van Almeida (Chico Diaz) é um pintor de mulheres sem aceitação no mercado; obsoleto. Com a visão deteriorada e à beira de um colapso nervoso, encontra em Florence Lizz (Samantha Müller) - uma famosa atriz em crise e insegura na preparação para o seu filme mais desafiador - a inspiração para realizar sua obra prima. Antoinette Lefèvre (Maria Fernanda Cândido) é uma influente marchand/connoisseur de arte que fareja o valor de obras de arte quando histórias de inspiração viram obsessão entre pintores e modelos. 

FICHA TÉCNICA 
Argumento, roteiro e direção: Halder  Gomes 
Produção: Mayra Lucas e Halder Gomes 
Empresas produtoras: ATC e Glaz 
Produção executiva: Patricia Baia, Pandora da Cunha Teles, Pablo Iraola e Paulo Serpa 
Direção de fotografia: Carina Sanginitto 
Direção de arte: Juliana Ribeiro  
Montagem: Helgi Thor 
Colaboração de roteiro: Michelline Helena 
Produtora de elenco: Alê Tosi 

Elenco: Chico Diaz, Maria Fernanda Cândido, Samantha Müller, Gracinda Nave, Matamba Joaquim, Duarte Gomes.