Crítica Filme "Aquaman" - Rita Vaz



Chegou aos cinemas o tão aguardado filme solo de Aquaman, que já apareceu na Liga da Justiça “botando prá quebrar”.

Para alegria dos fãs, o longa é cheio de ação, cheio de efeitos especiais muitíssimo bons, é colorido, bem executado e tem uma trama que prende a atenção.

Apesar de ser um tanto didático, do começo ao fim, “Aquaman” consegue manter o espectador ligado na história o tempo todo.

Talvez esse didatismo seja interessante para as pessoas que pouco conhecem de sua história e estão se inteirando do universo DC.

O diretor James Wan contou muito bem a história do herói aquático, desde sua origem sua formação, sua rejeição ao trono dos sete mares, sua luta interior, até sua jornada de aceitação.

O elenco do filme é estelar, desde Jason Momoa, Nicole Kidman, Willem Dafoe, Patrick Wilson, Amber Heard e muitos outros, todos estão ótimos em seus papéis.

Obviamente o destaque vai para Jason Momoa que parece que nasceu para este papel, tem o porte físico perfeito para o personagem e teve uma caracterização prá lá de bem feita, tanto em maquiagem e figurino, quanto em efeitos especiais.

Por falar em efeitos especiais, esse filme é uma verdadeira ode a eles. Desde personagens que aparecem com idades diferentes ao longo da trama, até o mundo dos sete mares (sim, todos eles representados) com suas diferentes espécies e também seus monstros marinhos.

As cenas de ação são muito bem feitas, as coreografias das lutas embaixo da água, são críveis, e as cenas de perseguição nos veículos subaquáticos são perfeitas.

Tudo está muito bem orquestrado, toda a ação, a apresentação de um novo mundo, de espécies diferentes, de vilões e mocinhos, tudo extremamente colorido e bem feito.

Na trama Arthur, que é filho do humano Tom Curry com a atlante Atlanna, cresce como um humano juntamente com as capacidades metahumanas de um atlante.

Quando seu meio irmão Orm deseja se tornar o Mestre dos Oceanos, subjugando os demais reinos aquáticos para que possa atacar a superfície, cabe a Arthur a tarefa de impedir a guerra iminente. 

Para tanto, ele recebe a ajuda de Mera, princesa de um dos reinos, e o apoio de Vulko, que o treinou secretamente desde a adolescência. A partir dessa trama muita coisa acontece.

“Aquaman” veio para ganhar o grande público, pois independente de seus milhares de fãs já existentes, ele vai ganhar outros tantos de milhares.

O filme é perfeito no quesito ação, aventura, entretenimento, com boas doses de humor, drama e romance.

Se você ainda não é fã dos heróis da DC Comics, isso vai durar pouco tempo, Aquaman vai conquistar você, tanto na terra quanto no mar. Super recomendo!

Título Original: Aquaman
Gênero: Ação/Aventura
Tempo de Duração: 2 horas e 24 minutos
Ano de Lançamento: 2018
Direção: James Wan
Elenco: James Momoa, Nicole Kidman, Amber Heard, Willem Dafoe, Patrick Wilson, Dolph Lundgren, Yahya Abdul-Mateen II, Temuera Morrison, Ludy Lin.

Prêmio de Público de Melhor Filme Estrangeiro no Festival Mix Brasil, “Conquistar, Amar e Viver Intensamente” Estreia nos Cinemas em 20 de Dezembro.



O diretor Chistophe Honoré, que já tem uma carreira consolidada devido ao sucesso de seus filmes anteriores, como “Canções de Amor (2007)”, “A Bela Junie (2008)” e “Bem Amadas (2011)”, está prestes a lançar mais um filme no Brasil, “Conquistar, Amar e Viver Intensamente”. O filme conta a história de Jacques (Pierre Deladonchamps), um escritor e dramaturgo que vive em Paris, e Arthur (Vincent Lacoste) um jovem estudante de Rennes. Eles se encontram na esquina entre um teatro e um cinema, e viverão uma história em um período complicado dos anos 90, onde o amor paira sobre a morte e a ternura luta contra o desespero, porém, a vida continua contra todas as probabilidades.

A atuação dos atores Pierre Deladonchamps (Um Estranho no Lago) e Vicente Lacoste (Na Cama com Victoria) são dignas de destaque. Ambos receberam inúmeros elogios da crítica especializada quando o filme foi exibido pela primeira vez no Festival de Cannes, um dos festivais de cinema mais prestigiados do mundo. A The Hollywood Reporter diz que “os dois protagonistas oferecem performances luminosas e profundamente fascinantes; É um prazer vê-los flertar e descobrir o caminho para algo mais significativo”.

Honoré sempre trabalhou com grandes atores em seus filmes, como a musa do cinema francês Isabelle Huppert no polêmico “Minha Mãe (2004)”, os galãs Louis Garrel e Romain Duris em “Em Paris (2006)” Ludivine Sagnier e  Chiara Mastroianni em “Canções de Amor (2007)” e  Léa Seydoux em “A Bela Junie (2008)”.    


Sinopse:  1990. Arthur é um estudante de vinte anos que vive em Rennes. Sua vida muda no dia em que ele conhece Jacques, um escritor que mora em Paris com seu filho.
Durante o verão, Arthur e Jacques se divertem e se amam. Mas esse amor, Jacques sabe que deve ser vivido rapidamente.


Título Original: Plaire, aimer et courir vite
Direção: Christophe Honoré
Roteiro: Christophe Honoré
Produção: Philippe Martin, Olivier Père, David Thion, Emmanuel Tenenbaum
Fotografia: Rémy Chevrin
Edição: Chantal Hymans
Música: Frédéric Junqua
Figurino: Pascaline Chavanne  
Gênero: Drama
País: França
Ano: 2018
Cor
Duração: 132 minutos
Classificação: 14 anos 
Elenco: Vincent Lacoste, Pierre Deladonchamps, Denis Podalydès


"Em Chamas" Dirigido por Lee Chang-Dong, Estreia em Curitiba



EM CHAMAS”, dirigido por Lee Chang-Dong estreia nesta quinta-feira, dia 13 de dezembro, em Curitiba. Filme sul-coreano escolhido pelo país para representar o país no Oscar, é baseado no conto “Queimar Celeiros”, do livro “O Elefante Desaparece”, de Haruki Murakami, lançado no Brasil pela Companhia das Letras.

 O longa traz a história de Jongsu (Ah-in Yoo), um entregador que, durante um trabalho, encontra Haemi (Jong-seo Yun), uma antiga vizinha. Na trama, Jongsu se depara com um pedido inusitado da ex-vizinha: cuidar do gato dela enquanto faz uma viagem para África. Quando volta de viagem, Haemi apresenta ao entregador um enigmático jovem, Ben (Steven Yeun), que conheceu durante a temporada africana. Um dia, Ben conta a Jongsu sobre um hobby pouco usual que ele pratica.

-
Parece-me que hoje, pessoas de todo o mundo, independente da nacionalidade, religião ou classe social, estão com raiva por diferentes motivos. Os jovens da Coreia, por exemplo, estão passando por tempos difíceis. Eles sofrem com o desemprego, eles não têm esperança no presente e veem que as coisas não vão melhorar no futuro. Incapazes de escolher um alvo para direcionar essa raiva, eles se sentem impotentes, desesperançosos. Para muitos jovens, o mundo está se tornando um gigante quebra-cabeça. É um pouco como se sente o protagonista de Murakami, Jongsu - opina o diretor.

FICHA TÉCNICA:

Direção: Lee Chang-Dong
Elenco: Ah-in Yoo, Jong-seo Yun e Steven Yeun
País: Coréia do Sul
Ano: 2018
Gênero: Drama
Duração: 148 min.
Classificação: 16 anos


Estrela do Ano Samantha Schmütz



Uma mulher, mil e umas personalidades e personagens, assim é Samantha Schmütz. Atriz, humorista, dubladora, cantora e compositora, a “Estrela do Ano” do Megapix vai brilhar em dezembro.

Minha Mãe é uma Peça 2 é destaque no dia 13 às 22:30. Dona Hermínia vira de cabeça para baixo quando Marcelina revela que vai se mudar para São Paulo. Tentando lidar com a novidade da filha, tudo piora quando Juliano quer seguir os mesmos passos da irmã.

No sábado, 22, às 22:00, Samantha volta às telas com Vai que Cola – O Filme. Na comédia, Valdomiro teve que fugir da polícia após sofrer um golpe em sua empresa, indo parar na pensão da dona Jô, no Méier. Anos depois o local inunda e os moradores da casa ficam sem ter para onde ir. Valdomiro acaba convidando todos a morar em seu antigo apartamento no Leblon, causando muita confusão.

Em Tô Ryca!, a homenageada realiza o sonho de todos: ficar rica da noite para o dia. O filme vai ao ar no 31, às 11:50, e conta como a frentista Selminha descobre que tem direito a uma herança de família. Mas, para conseguir essa bolada, ela deve seguir as regras de seu tio e gastar R$30 milhões em 30 dias sem acumular nada e sem contar sobre essa condição a ninguém.


“O Passageiro” Estreia Neste Sábado - EMBARQUE IMEDIATO



A tensão vai dominar o Telecine Play e o Telecine Premium no dia 15 de dezembro, com a Superestreia do thriller eletrizante O Passageiro. Em sua quarta parceria, Liam Neeson e o diretor Jaume Collet-Serra convidam o público para uma verdadeira corrida contra o tempo, a partir das 22h. 

66 anos com fôlego de dar inveja. Liam Neeson interpreta Michael MacCauley, um vendedor de seguros que se desdobra para conciliar família e trabalho. Ele faz o mesmo trajeto de trem há 10 anos e, por conta da rotina, já conhece a maioria dos passageiros. No dia em que é demitido, Michael está voltando para casa, quando é surpreendido pela misteriosa Joanna (Vera Farmiga). A mulher lhe oferece uma quantia alta em dinheiro para encontrar a pessoa que não frequenta o transporte, antes da última parada. O homem se encontra no meio de uma conspiração criminosa e, caso falhe, todos a bordo, além de sua família, vão morrer. Tem certeza que você também quer embarcar nessa viagem? 

Liam Neeson continua com tudo no Telecine Pipoca! No domingo, a partir das 15h50, tem combo triplo do astro: Esquadrão Classe A, Sem Escalas e O Passageiro.
Serviço
O PASSAGEIRO (The Commuter)
·          
o    http://revistatelecine.com.br/wp-content/themes/revistatelecine/img/canais/canal-premium.png
o    Sábado, dia 15/12
o    às 22h
·          
o    http://revistatelecine.com.br/wp-content/themes/revistatelecine/img/canais/canal-pipoca.png
o    Domingo, dia 16/12
o    às 20h
·         Direção: Jaume Collet-Serra
·         Elenco: Liam Neeson, Jonathan Banks, Vera Farmiga e Patrick Wilson
·         EUA e FRA, 2018. Ação. 101 min. 14 anos.


Primeiro terror de 2019 ganha pôster e trailer nacionalizados



“O MANICÔMIO” CHEGA AOS CINEMAS BRASILEIROS DIA 3 DE JANEIRO, COM DISTRIBUIÇÃO NACIONAL PARIS FILMES

Para abrir o calendário de estreias de 2019, a Paris Filmes leva aos cinemas o terror alemão “O Manicômio”.

Dirigida por Michael David Pate e estrelada por Sonja Gerhardt, Tim Oliver Schultz, Lisa-Marie Koroll e Emilio Sakraya, a produção é ambientada nas sombrias ruínas da estância de saúde Grabowsee, onde eram tratados casos de tuberculose pulmonar. Localizada a cerca de 30 km de Berlim, na cidade de Oranienburg, a locação transformada em manicômio recebe os Youtubers de maior sucesso na Alemanha, que vão enfrentar um apavorante desafio de 24 horas.

Carregado de tensão e mistério, “O Manicômio” explora a brincadeira de um grupo supostamente inofensivo à procura de cliques e seguidores nas redes sociais. No trailer, já é possível observar um sinistro labirinto e o convite para momentos de pesadelo. 

Sinopse – O Manicômio       
Um santuário remoto e sombrio perto de Berlim revela uma história cheia de horror e crimes contra a humanidade. Um grupo de Youtubers acessa ilegalmente o sinistro bloco de cirurgia do local, para um desafio de 24 horas com a intenção de que o desafio viralize nas redes. Equipados com visão noturna e câmeras térmicas, os adolescentes viciados em adrenalina perseguem os rumores de atividade paranormal no prédio em decomposição, apenas para aprender cedo demais que não estão sozinhos ... e não são bem-vindos. Mas já é tarde demais para deixar o local com vida.

Acompanhe as novidades sobre esse e outros lançamentos por meio das redes sociais:
facebook.com/ParisFilmesBR
instagram.com/ParisFilmes
youtube.com/ParisFilmes 



Crítica Filme "A Vida em Si" - Rita Vaz



Um momento único, um fato importante, pode marcar a vida de várias pessoas, e em se tratando de famílias, pode marcar gerações.

Esse é o princípio do emocionante filme “A Vida em Si”.

Já no início do longa, percebemos que a narrativa usada pelo diretor Dan Fogelman é diferente.
Alguns personagens interagem com o público (a quarta parede é quebrada) e o narrador é bastante inconstante na história.

A gente sabe que quando acontece algo, completamente fora da sequência lógica das coisas, esse algo, modifica a vida de várias pessoas.

E pode modificar para o bem ou para o mal, depende de como esse algo é tratado, e de como pessoas reagem a ele, caindo ou se resgatando.

Um tanto confusa essa minha colocação, certo? Mas, quando você assistir ao longa, você vai entender perfeitamente.

Não é fácil tratar de assuntos que mutilam vidas, mas, em “A Vida em Si”, assuntos pesados, como a morte e o abandono, são tratados de uma forma diferente.

Não que fique mais simples, mas fica mais leve.

Na trama, tragédias que permeiam a vida de alguns personagens, são pontos de virada para eles mesmos e de entendimento para a plateia.

Pois essa virada na trama, fará toda a diferença ou todo o sentido para quem estiver assistindo.

A história se concentra no casal Will e Abby, que se conhecem, se apaixonam e tem uma filha. Mas esse relacionamento é contado através de diferentes décadas e continentes, e também através de pessoas que parecem não ter nem uma ligação entre si, mas que são completamente conectados.

O elenco do filme está ótimo em cena, passando veracidade e emoção em cada frame.

“A Vida em Si” é um filme lindo e emocionante, que fala da vida sim, focando em pessoas que tem ligações entre si, de uma forma que se torna surpreendente para o espectador.

Um filme que fala de amor, de vida, de morte, de gerações, de consequências, de resgates e de esperança.

Se você é fã do tipo de filme que te faz pensar e te emocionar, “A Vida em Si” é o longa perfeito. Recomendo!

Título Original: Life Itself
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 1 hora e 58 minutos
Ano de Lançamento: 2018
Direção: Dan Fogelman
Elenco: Oscar Isaac, Olivia Wilde, Annette Bening, Mandy Patinkin, Jean Smart, Olivia Cooke, Sergio Peris-Mencheta, Antonio Banderas, Isabel Diaz, Samuel L. JacksoN.


Especial Aqui Se Faz, Aqui Se Paga – no Megapix



Olho por olho, dente por dente. Para quem curte produções cheias de vingança, o Megapix tem uma dica: o “Especial Aqui Se Faz, Aqui Se Paga”. No dia 8 de dezembro, a partir das 18:25, a adrenalina vai tomar conta do sábado.

Para abrir a maratona, nada melhor do que o clássico Com as Próprias Mãos. Chris Vaughn, um soldado aposentado, retorna para a sua cidade natal com a intenção de recomeçar sua vida. Mas ele irá descobrir da pior maneira que o local agora é controlado pelo crime. Com a ajuda de um velho amigo, ele fará de tudo para encontrar justiça.

Na sequência, às 20:00, a vingança é feminina. Em Colombiana – Em Busca de Vingança, Cataleya testemunhou a morte dos pais quando era pequena. Desde então, seu objetivo principal é vingar a morte daqueles que amava. Ela passou a ser assassina profissional para o tio e irá até o fim para que os bandidos que cometeram o crime contra sua família sintam o gosto de sua vingança.

Às 22:00 estreia A Última Casa. No filme de terror, duas adolescentes são sequestradas e violentadas por um grupo de criminosos fugitivos. Após o ataque, eles se refugiam na casa dos pais de uma das vítimas. O que os assassinos não esperavam era o destino cruel que os aguardava por lá.

Doce Vingança é destaque à 00:10. Jennifer Hills é uma escritora que decide passar um tempo no interior em busca de inspiração para o seu próximo livro. Mas Jennifer acaba chamando atenção de quatro homens da cidade que a sequestram e a torturam. Com sede de vingança, Jennifer faz com que eles paguem por cada atrocidade cometida.


Glenn Close é Indicada ao Globo de Ouro de Melhor Atriz Pela Atuação no Filme “A Esposa”



Baseado no livro de Meg Wolitzer, “A ESPOSA”, de Björn Runge, estreia dia 10 de janeiro e traz Glenn Close que acaba de ser indicada ao Globo de Ouro de Melhor Atriz. No longa, ela vive Joan, uma mulher que abriu mão do seu talento e de suas ambições para apoiar o marido escritor Joe (Jonathan Pryce), com quem está casada há 40 anos. Quando viaja para Estocolmo para acompanhar o marido na cerimônia de entrega do Prêmio Nobel de Literatura, Joan passa a ser procurada por um jornalista (Christian Slater) ávido por escrever uma biografia não-autorizada do escritor. Joan se vê, então, prester a encarar o maior sacrifício da vida e alguns segredos serão revelados.

Na trama, os dois são como opostos: enquanto Joe é ousado, Joan é tímida. Se Joe é casual, Joan faz a linha mais elegante. Joe é vaidoso, já Joan é super discreta. E, no meio profissional, o escritor adora a fama de grande escritor americano, enquanto Joan abriu mão da vida profissional e do seu talento em prol do marido e dos fillhos: mantém a casa em perfeito funcionamento, uma ótima relação com os filhos já adultos e até os remédios do marido ela administra.

Aclamada pela crítica internacional, a atuação de Glen Close já lhe rendeu prêmios, entre eles Icon Award at the Palm Springs International Film Festival e Hollywood Film Award Actress of the Year. “Seis vezes indicada ao Oscar, Glenn Close está digna de nova indicação”, opiniou o The New York Times. “Glenn Close está magnífica”, elogiou o The Film Stage. O filme também foi um dos destaques do Festival de Toronto.

Baseado no livro de Meg Wolitzer, o filme será distribuído pela Pandora Filmes e pela Alpha Filmes. Estão ainda no elenco os atores Jonathan Pryce, Christian Slater, Max Irons, Elizabeth McGovern e Annie Starke, que é filha de Glenn Close na vida real e aqui interpreta a personagem de sua mãe quando jovem.

Sinopse
Enquanto viaja para Estocolmo com o marido, que receberá o Prêmio Nobel de Literatura, Joan (Glenn Close) questiona suas escolhas de vida. Durante os 40 anos de casamento, ela sacrificou seu talento, sonhos e ambições, para apoiar o carismático Joe (Jonathan Pryce) e sua carreira literária.  Assediada por um jornalista (Christian Slater) ávido por escrever uma escandalosa biografia de Joe, agora Joan enfrentará o maior sacrifício de sua vida e alguns segredos há muito enterrados finalmente virão à tona.

A ESPOSA (The Wife)
Direção: Björn Runge
Roteiro: Jane Anderson
Elenco: Glenn Close, Jonathan Pryce, Christian Slater, Max Irons, Elizabeth McGovern.
Ano: 2017
País: Reino Unido, Suécia e EUA
Duração: 100 min
Classificação: 12 anos


Animação “Encantado” Estreou Nesta Quinta


Com as vozes de Larissa Manoela e Leo Cidade “ENCANTADO”, estreou nesta quinta-feira, dia 06 de dezembro.  Do mesmo produtor de Shrek, John H. Williams, a animação conta a história do Príncipe Encantado. No dia do seu batizado real, Príncipe Felipe Encantado foi amaldiçoado com uma quantidade excessiva de charme. Isso fez com que todas as mulheres do Reino fossem atraídas por ele e, por consequência, todos os homens passassem a odiá-lo. A única forma de quebrar a maldição seria com um beijo do amor verdadeiro no dia do seu aniversário de 21 anos, mas como encontrar o amor verdadeiro quando todas as mulheres do reino ficam hipnotizadas pelo seu encanto? Caso Encantado não consiga quebrar a maldição até esse dia, todo o amor do reino desaparecerá para sempre.

Ao lado de Lenny, que, sem que ele saiba, é Leonora Quinonez, uma ladra procurada no reino, Encantado embarca em uma aventura em busca de seu verdadeiro amor. Agora ele, que está noivo de Cinderela, Bela Adormecida e Branca de Neve ao mesmo tempo, precisará enfrentar arriscados desafios e decidir com quem irá se casar  para impedir que a decepção tome conta de todo o reino.

SINOPSE

No dia do seu batizado real, Príncipe Felipe Encantado (Leonardo Cidade) foi amaldiçoado com um feitiço que faz com que todas as mulheres do Reino se apaixonem perdidamente por ele. A única forma de quebrar a maldição é com um beijo do amor verdadeiro, mas como encontrá-lo quando todas as mulheres ficam hipnotizadas pelo seu encanto? Ao lado de Lenny (Larissa Manoela), uma ladra disfarçada, Encantado embarca em uma aventura onde precisará enfrentar arriscados desafios para impedir que todo o amor do reino desapareça para sempre.

FICHA TÉCNICA

Direção: Ross Venokur
Elenco: Lenora - Larissa Manoela, Príncipe Encantado - Leonardo Cidade
Escritor: Ross Venokur
Gênero: Animação, Aventura, Família
Música: Tom Howe Edição: Rob Neal

Trailer: https://youtu.be/d1U-yWsT9ik
Materiais: http://bit.ly/filme_encantado

“O Beijo no Asfalto” de Murilo Benicio Estreou Nesta Quinta



“O BEIJO NO ASFALTO”, dirigido por Murilo Benício, estreia nesta quinta-feira, 6 de dezembro, nas cidades de estreia dia 6 de dezembro nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Recife, Porto Alegre, Fortaleza, Goiania, São Luis, Teresina, Vitória, Aracaju, Niterói, Campinas e Juazeiro do Norte.

Numa adaptação ousada e diferente, que mescla teatro e cinema em preto e branco, Murilo Benício faz sua estreia na direção no filme “
O BEIJO NO ASFALTO”, peça escrita por Nelson Rodrigues e encenada pela primeira vez nos palcos em 1961. O longa traz um elenco de peso: Fernanda Montenegro, Débora Falabella, Lázaro Ramos, Stênio Garcia, Otávio Müller e Augusto Madeira.

Na trama, Lázaro Ramos vive Arandir, um homem que, sem pensar, atende ao pedido de um beijo na boca feito por outro homem prestes a morrer ao ser atropelado na Avenida Presidente Vargas, no Rio de Janeiro. Tal gesto banal vira uma matéria sensacionalista de Amado (Otávio Müller), um repórter que cria uma 
fake News e passa a explorar o beijo entre dois homens para vender mais jornal. A versão criada pelo jornalista incita a polícia a investigar uma suposta ligação entre Arandir e o morto e cria dúvidas na cabeça de Selminha (Débora Falabella), mulher de Arandir e filha de Aprígio (Stênio Garcia), que, misteriosamente, insiste na ideia de que presenciou o beijo, quando, na verdade, estava de costas.

O projeto do filme levou dez anos para se realizar e contou com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual, Riofilme, além de recursos próprios, e coprodução do Canal Brasil. “
Eu decidi fazer uma adaptação pouco antes do início dos anos 2000. Na época, comprei os direitos autorais, mas não consegui fazer porque me envolvi com outros trabalhos e acabei perdendo os direitos. Depois de muito tempo, quando eu estava fazendo um programa na Globo com o (diretor de fotografia) Lula Carvalho, que estava ciente da ideia, ele me perguntou em que pé estava e me incentivou a retomar o processo e o projeto”.

Exibido na 41ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, o elenco é um dos grandes destaques do filme, que também tem participação da atriz Fernanda Montenegro.

O BEIJO NO ASFALTO contou ainda com uma equipe de grandes nomes, como o fotógrafo Walter Carvalho, direção de arte de Tiago Marques Teixeira, montagem de Pablo Ribeiro e trilha de Berna Ceppas. Além de dirigir, Murilo Benício é produtor e roteirista do filme. Com produção de Marcello Ludwig Maia, da República Pureza Filmes, o longa tem distribuição em circuito nacional pela ArtHouse.

Ficha Técnica

Direção e roteiro: Murilo Benício
Elenco: Fernanda Montenegro, Lázaro Ramos, Débora Falabella, Augusto Madeira, Otávio Müller, Luiza Tiso, Amir Hadad, Stênio Garcia, Raquel Fabri, Marcelo Flores e Arlindo Lopes.
Ney Matogrosso – Participação na canção “A vida é ruim”, de Caetano Veloso
Produção: Marcello Ludwig Maia e Murilo Benício
Fotografia e Câmera: Walter Carvalho
Direção de Arte: Tiago Marques Teixeira
Montagem: Pablo Ribeiro
Trilha: Berna Ceppas
Edição de Som: Denilson L. Campos
Som direto:  Marcel Costa
Figurino: Valeria Stefani
Maquiagem: Gabriela Figueira
Direção de produção: Barbara Isabella Rocha
Produção- executiva: Marcello Ludwig Maia


Premiado no Festival de Berlim e Festival do Rio, “ Tinta Bruta”, Estreou Nesta Quinta.



TINTA BRUTA”, de Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, grande vencedor do Festival Internacional de Cinema do Rio, estreou nesta quinta-feira, dia 6 de dezembro nas cidades Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Caxias do Sul, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Indaiatuba, Juiz de Fora, Londrina, Maceió, Manaus, Natal, Niterói, Palmas, Pelotas, Porto Alegre, Rio Branco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Salvador, Santa Maria, Santos, São Bernardo do Campo, São Paulo, São Leopoldo, São Luis, Teresina e Vitória.

Com produção da Avante Filmes, coprodução da Besouro Filmes e distribuição da Sessão Vitrine Petrobras, o filme conta a história de Pedro (Shico Menegat), um jovem que tenta sobreviver em meio a um processo criminal, à partida de irmã e única amiga e aos olhares que recebe sempre que sai na rua. Sob o codinome GarotoNeon, Pedro se apresenta no escuro do seu quarto para milhares de anônimos ao redor do mundo, pela internet. Com o corpo coberto de tinta, ele realiza performances eróticas na frente da webcam. Ao descobrir que outro rapaz (Bruno Fernandes) de sua cidade está copiando sua técnica, Pedro decide ir atrás do mesmo.

Segundo Filipe, o projeto foi inspirado em outra produção da dupla. “
O filme surgiu de uma vontade de falar sobre despedidas, raiva e resistência. Inicialmente a narrativa veio de um curta-metragem nosso, ‘Quarto Vazio’, mas durante o processo de escrita muito se modificou”, afirma o diretor.

Os diretores explicam como funciona a parceria, que já foi realizada em trabalhos anteriores, como “Beira-Mar”, na série “O Ninho” e diversos curtas-metragens: “
Nosso processo é bastante coletivo. Fazemos tudo juntos, desde a escrita do roteiro, os ensaios, decupagem, até durante as gravações e no acompanhamento da pós-produção. Temos bagagens muito semelhantes (ambos somos também atores, por exemplo), mas alguns focos distintos que, quando combinados, acreditamos que contribuem para o nosso trabalho”, revela Filipe.

TINTA BRUTA” teve estreia no Festival de Berlim, onde levou o Teddy Awards, e passou por mais de 45 festivais mundo afora.


SINOPSE: 

Enquanto responde a um processo criminal, Pedro é forçado a lidar com a mudança da irmã para o outro lado do país. Sozinho no escuro do seu quarto, ele dança coberto de tinta neon, enquanto milhares de estranhos o assistem pela webcam.

FICHA TÉCNICA

Direção e Roteiro: Filipe Matzembacher e Marcio Reolon
Produção: Avante Filmes
Coprodução: Besouro Filmes
Produtores: Filipe Matzembacher, Jessica Luz e Marcio Reolon
Produtora executiva: Jessica Luz
Diretor de fotografia: Glauco Firpo
Diretora de arte: Manuela Falcão
Montador: Germano de Oliveira
Desenho de som e mixagem: Tiago Bello e Marcos Lopes
Trilha Sonora original: Felipe Puperi
Elenco principal: Shico Menegat, Bruno Fernandes, Guega Peixoto, Sandra Dani e Frederico Vasques


“Henfil” em Cartaz nos Cinemas Desde a Última Quinta-Feira



“Henfil”, documentário de Angela Zoé, traz dois fios narrativos que se intercalam. Ao mesmo tempo em que resgata a vida e o trabalho do artista com depoimentos de pessoas que conviveram com ele, apresenta seu trabalho para a nova geração.

O resgate da vida e obra de Henfil se dá por filmes em película Super 8 com imagens íntimas e inéditas, filmadas pelo próprio personagem ao longo de suas viagens, e que revelam aparições familiares como sua mãe Dona Maria e os irmãos Betinho, Chico Mário e Glorinha. Tudo costurado com depoimentos de amigos que conviveram e trabalharam com ele e que falam sobre a maneira como o artista usou seus desenhos como um aparato para "driblar" a censura política e também como um recurso para lidar com sua saúde frágil, causada pela hemofilia, e expor sua inquietação criativa.

Após ter produzido o documentário sobre o Betinho (‘Betinho, a Esperança Equilibrista’), estava na Documenta conversando com o Marcos de Souza, sobrinho do Henfil. Falávamos sobre o sucesso do filme quando ele me perguntou porque eu não fazia um doc sobre o Henfil. Me espantei, mas em menos de 15 segundos (foi o tempo de sentir como poderia ser o filme) topei encarar este desafio (...) a partir daí comecei a pensar em como NÃO contar a vida do Henfil de uma forma careta, pois ele era muito divertido e livre. Contar uma história do berço ao túmulo seria o fim frente a tanta inquietação criativa. Então criei o dispositivo de aproximar gerações; a que viveu o Henfil e a que se encanta com o traço, a irreverência, os personagens e vai descobrindo brincando como ele era e quais suas motivações para criar”, explica Angela.

Para aproximar as duas gerações, a produção do documentário convidou um grupo de jovens animadores para participar de um workshop sobre o trabalho de Henfil. Nos encontros que duraram 1 mês, os jovens pesquisaram sua obra e conversaram com personalidades do cartoon que conviveram com Henfil como Ziraldo, Jaguar, Sérgio Cabral, Tárik de Souza. Ao final do workshop eles produziram uma animação em curta-metragem que também está presente no documentário. 

“Criamos uma espécie de reality com a garotada para a criação e produção da animação. Eu não me envolvi em nada, apenas documentei o processo e tudo foi muito verdadeiro e aconteceu de forma totalmente descontraída”, complementa a diretora.

O filme é uma coprodução Documenta Filmes, Globo News, Globo Filmes e Canal Brasil, e conta com o apoio do SESI/SENAI RJ, Departamento de DST/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, patrocínio da Ancine, BRDE, FSA com distribuição O2 Play e estreia nos cinemas de todo o Brasil dia 6 de dezembro.

PRÊMIOS
CINE PE 2018 - Melhor Filme - Melhor Filme pelo Júri Popular - Melhor Direção - Melhor Montagem - Melhor Roteiro
SANTOS FILM FEST -Melhor Longa Metragem - Prêmio da crítica
Participações:
RECINE 2017
FESTIVAL DO RIO 2017 - MOSTRA RETRATOS
41 MOSTRA INTERNACIONAL DE SÃO PAULO - MOSTRA BRASIL
XIV PANORAMA INTERNACIONAL COISA DE CINEMA - MOSTRA PANORAMA BRASIL
12a MOSTRA CINEMA E DIREITOS HUMANOS

Ficha técnica:
Henfil
2017 | Brasil | Documentário | 75 minutos
Diretor: Angela Zoé, Roteirista: Angela Zoé, Gabriela Javier, Fotografia: Ane Hinds, André Monteiro, Isabela Fernandes, Guy Gonçalves, Maicon Barcelos, Produção Executiva: Hélio Pitanga, Monique Cruz e Pedro Pedreira, Montagem:  Indira Rodrigues, João Rodrigues, Empresa produtora: Documenta Filmes, Distribuidora: O2 Play, Classificação indicativa: a verificar

Sinopse: O documentário revela, através de narrativas paralelas, o cartunista e ativista, Henrique de Souza (Henfil). Ao mesmo tempo que filme mostra a vida do artista a partir de depoimentos de amigos, ele explora um movimento de descoberta do personagem junto aos jovens animadores que tentam trazer o trabalho de Henfil para os dias atuais.

Acompanhe os filmes nas redes sociais:


Crítica Filme "As Viúvas" - Rita Vaz



Um filme empolgante, tanto pela ação, pelo clima de suspense, quanto pelo drama.

Imagine uma história em que nem um personagem é honesto, pois assim é “As Viúvas” que fala de muitas coisas, mas principalmente de política.

Mas, não pense que esse tema é chato, de forma alguma. É uma política cheia de contraversão, violência, falsidade e crueldade.

Algo muito parecido com o que vivemos hoje, mas de forma dinâmica.

Chicago é a cidade onde a trama acontece, e quando se ouve esse nome, já nos vem à lembrança personagens de sua história real como Al Capone, que não é lá uma figura que nos remeta a pensamentos honestos e tranquilos.

O longa inicia-se com uma excelente sequência de cenas de ação X cenas de tranquilidade, onde conhecemos alguns aspectos importantes de alguns personagens.

Assistimos Harry e três amigos seus na finalização de um assalto, ao mesmo tempo em que o vemos com sua esposa Veronica.

O filme continua e vemos que apesar de toda a engenharia do grupo, algo dá errado e os quatro morrem (isso não é spoiler, está em todos os trailers e sinopses).

Apesar da tristeza das famílias, as viúvas são cobradas pelos credores do grupo que padeceu, e terão que fazer um trabalho planejado pelos maridos, para pagar uma dívida contraída por eles com bandidos de todos os tipos.

Elas terão que ser mais inteligentes, perspicazes, espertas e unidas que seus maridos.

A partir daí uma enorme profusão de acontecimentos interfere na vida de todos, e muitas coisas surpreenderão as viúvas e a plateia.

Desde o início é possível perceber a que veio o diretor Steve McQueen, com sua mão certeira em projetar ideias, ações e questionamentos de forma empolgante para a plateia.

A trama é muito boa, cheia de insinuações, surpresas, conexões e temas complexos.

O elenco do filme é um caso aparte. Só pra se ter uma ideia estão nele Viola Davis, Robert Duvall, Colin Farrell, Daniel Kaluuuya e muitos outros.

E todos são de uma competência impressionante, o que dá ainda mais credibilidade para o longa.

O filme fala e trata de um assunto atual e tem no elenco feminino, as protagonistas da história, o que o torna mais atual ainda.

“As Viúvas” é um filme que surpreende o espectador porque trata de temas pesados como a corrupção, a tortura, a violência contra mulheres e outras coisinhas mais, mas consegue, apesar desse tema, manter vigor na tela. Super recomendo.

Título Original: Widows
Gênero: Suspense/Drama
Tempo de Duração: 2 horas e 09 minutos
Ano de Lançamento: 2018
Direção: Steve McQueen (II)
Elenco: Viola Davis, Michelle Rodriguez, Elizabeth Debicki, Cynthia Erivo, Colin Farrell, Brian Tyree Henry, Daniel Kaluuya, Jacki Weaver, Robert Duvall, Liam Neeson.

Com Estreia Dia 06 de Dezembro, "O Beijo no Asfalto" Divulga Trailer Oficial.


Com estreia marcada para 6 de dezembro, “O BEIJO NO ASFALTO”, acaba de divulgar o trailer oficial. Numa adaptação ousada e diferente, que mescla teatro e cinema em preto e branco, Murilo Benício faz sua estreia na direção no filme “O BEIJO NO ASFALTO”, peça escrita por Nelson Rodrigues e encenada pela primeira vez nos palcos em 1961. O longa traz um elenco de peso: Fernanda Montenegro, Débora Falabella, Lázaro Ramos, Stênio Garcia, Otávio Müller e Augusto Madeira.

Na trama, Lázaro Ramos vive Arandir, um homem que, sem pensar, atende ao pedido de um beijo na boca feito por outro homem prestes a morrer ao ser atropelado na Avenida Presidente Vargas, no Rio de Janeiro. Tal gesto banal vira uma matéria sensacionalista de Amado (Otávio Müller), um repórter que cria uma fake News e passa a explorar o beijo entre dois homens para vender mais jornal. A versão criada pelo jornalista incita a polícia a investigar uma suposta ligação entre Arandir e o morto e cria dúvidas na cabeça de Selminha (Débora Falabella), mulher de Arandir e filha de Aprígio (Stênio Garcia), que, misteriosamente, insiste na ideia de que presenciou o beijo, quando, na verdade, estava de costas.

O projeto do filme levou dez anos para se realizar e contou com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual, Riofilme, além de recursos próprios, e coprodução do Canal Brasil. “Eu decidi fazer uma adaptação pouco antes do início dos anos 2000. Na época, comprei os direitos autorais, mas não consegui fazer porque me envolvi com outros trabalhos e acabei perdendo os direitos. Depois de muito tempo, quando eu estava fazendo um programa na Globo com o (diretor de fotografia) Lula Carvalho, que estava ciente da ideia, ele me perguntou em que pé estava e me incentivou a retomar o processo e o projeto”.

Exibido na 41ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, o elenco é um dos grandes destaques do filme, que também tem participação da atriz Fernanda Montenegro.

O BEIJO NO ASFALTO contou ainda com uma equipe de grandes nomes, como o fotógrafo Walter Carvalho, direção de arte de Tiago Marques Teixeira, montagem de Pablo Ribeiro e trilha de Berna Ceppas. Além de dirigir, Murilo Benício é produtor e roteirista do filme. Com produção de Marcello Ludwig Maia, da República Pureza Filmes, o longa tem distribuição em circuito nacional pela ArtHouse.

Ficha Técnica

Direção e roteiro: Murilo Benício
Elenco: Fernanda Montenegro, Lázaro Ramos, Débora Falabella, Augusto Madeira, Otávio Müller, Luiza Tiso, Amir Hadad, Stênio Garcia, Raquel Fabri, Marcelo Flores e Arlindo Lopes.
Ney Matogrosso – Participação na canção “A vida é ruim”, de Caetano Veloso
Produção: Marcello Ludwig Maia e Murilo Benício
Fotografia e Câmera: Walter Carvalho
Direção de Arte: Tiago Marques Teixeira
Montagem: Pablo Ribeiro
Trilha: Berna Ceppas
Edição de Som: Denilson L. Campos
Som direto:  Marcel Costa
Figurino: Valeria Stefani
Maquiagem: Gabriela Figueira
Direção de produção: Barbara Isabella Rocha
Produção- executiva: Marcello Ludwig Maia