“O Paciente – O Caso Tancredo Nves”, de Sérgio Rezende, Tem Trailer e Pôster Divulgados



Acaba de ser divulgado o trailer e o cartaz oficial de ‘O Paciente – O Caso Tancredo Neves’, de Sergio Rezende. O longa, rodado entre novembro e dezembro de 2017, no Rio de janeiro, é um thriller que revela os detalhes que envolveram a misteriosa morte de Tancredo Neves. Com lançamento marcado para 13 de setembro, o filme tem Othon Bastos no papel do presidente eleito e Esther Goes, no de Risoleta, sua esposa. “A produção nos transporta ao lugar de Tancredo naquele momento. Ao longo das cenas, vamos vivendo tudo aquilo que ele viveu, suas angústias, medo e ansiedade quanto ao seu futuro como presidente e quanto ao futuro do país”, diz o diretor, lembrando da comoção nacional que mobilizou o país em torno do estado de saúde de Tancredo, que tinha acabado de ser eleito democraticamente depois do longo regime militar brasileiro, em 1985.

O elenco principal conta com Paulo Betti (cirurgião Henrique Valter Pinotti), Otavio Muller (Dr. Renault Mattos Ribeiro), Leonardo Medeiros (Dr. Francisco Pinheiro Rocha) e Emilio Dantas como Antonio Britto, secretário de imprensa e assessor de Tancredo. Luciana Braga interpreta Ines Maria, filha de Tancredo e mãe de Aécio Neves, papel de Lucas Drummond. A produção é de Mariza Leão, com coprodução da Globo Filmes, Paris Filmes e Telecine. A distribuição será da Paris Filmes.

Tancredo Neves uniu o país duas vezes: primeiro pela esperança na democracia e depois na tragédia de sua morte, cujas circunstâncias nunca foram totalmente esclarecidas”, lembra Sérgio Rezende. O eletrizante roteiro de Gustavo Lipsztein é baseado no livro homônimo do pesquisador e historiador Luis Mir, que depois de anos dedicado ao projeto conseguiu ter acesso a documentos do Hospital de Base de Brasília e do Instituto do Coração, em São Paulo, onde Tancredo Neves morreu. Em 384 páginas, ele apresenta boletins e laudos médicos e conclui que um erro de diagnóstico de apendicite aguda levou a equipe médica a realizar, desnecessariamente, uma cirurgia de emergência que o impediu de tomar posse. A partir dali, Tancredo não saiu mais do hospital e seu estado só se agravou até o óbito, por falência múltipla de órgãos.

O tanque de Shark Tank Brasil reabre em agosto no Canal Sony


O Canal Sony já está se preparando para exibir mais uma temporada de negócios inovadores e histórias de superação emocionantes: o terceiro ano de Shark Tank Brasil estreia no dia 17 de agosto, às 22h. A nova edição da versão brasileira de um dos realities de maior sucesso do mundo também volta maior, serão 16 episódios dessa vez, três a mais que o ano anterior, mostrando empreendedores de todo o Brasil tentando convencer cinco investidores a apostarem em seus negócios.

À frente dos grandes investimentos desta temporada, o Canal Sony aposta no retorno dos Sharks da última edição: Cristiana Arcangeli, empresária serial do segmento de moda, beleza e bem-estar; João Appolinário, fundador da Polishop; Robinson Shiba, criador e Presidente da rede China In Box; Camila Farani, um dos maiores nomes em investimento-anjo do Brasil, e Caito Maia, dono da Chilli Beans.

A terceira temporada também contará com a presença de um Shark convidado, que irá compor o time de investidores em um episódio especial.  Além disso, Erick Krominski continua acompanhando a emoção dos empreendedores antes e depois dos participantes entrarem no agitado “tanque”.

Produzido pela Floresta Produções em parceria com o Canal Sony, a primeira e segunda temporadas de Shark Tank Brasil – Negociando com Tubarões somam 29 episódios e 116 pitches de empreendedores apresentados no programa. Desses, 44 negócios despertaram interesse dos Sharks, totalizando mais de 16,5 milhões de reais investidos. Passaram pelo programa os mais diversos tipos de negócios, de mais de 10 estados brasileiros, entre eles um projeto que pretende democratizar o acesso a próteses no Brasil, um empresário de apenas 15 anos que lidera seu próprio empreendimento, um adesivo desentupidor de vasos sanitários, um açougue vegano e vegetariano, um cão-guia robô, e outras inovações para todos os tipos de público e interesse.

A premiada franquia “Shark Tank” é baseada no reality "Dragons’ Den", criado pela Nippon TV no Japão e distribuída ao redor do mundo pela Sony Pictures Television. O programa oferece a empreendedores a oportunidade de lançar suas ideias de negócios para grandes investidores, conhecidos como “Tubarões", na esperança de conseguir fundos de investimento. “Dragons’ Den” já cativou audiências em mais de 30 territórios em todo o mundo. 

Crítica Filme "Mamma Mia! Lá vamos nós de novo"



Depois de uma década de seu lançamento, chega aos cinemas, para o delírio dos fãs, a sequência desse campeão de bilheteria “Mamma Mia 2”, repleto (obviamente) de muitas músicas, surpresas e amor.
Sim, o filme é uma ode ao amor em suas mais diversas formas.
A alegria dos musicais, a vivacidade dos personagens, suas histórias cantadas pelas letras do grupo ABBA, a bela fotografia e direção, tudo está alinhado para que a experiência de assistir esse longa seja a melhor possível.
Sophie, a filha de Donna, deseja reinaugurar o hotel que foi de sua mãe, do jeito que ela sempre imaginou. Desde os pequenos detalhes até as grandes intervenções, tudo foi pensado para que Donna ficasse feliz e orgulhosa da filha.
Para o grande dia Sophie convidou seus três pais, as inseparáveis amigas da mãe, Rosie e Tanya e muitas outras pessoas.
Mas, devido a uma tempestade fora de hora, tudo sai do lugar e as pessoas não conseguem chegar à ilha.
Todo esse contexto foi feito para aparar outras histórias.
Em um ir e vir do presente ou passado, o diretor Ol Parker conta como Donna, em sua juventude, foi parar em uma ilha grega e se envolveu tão rapidamente com os supostos pais de Sophie.
Ele conta também o momento atual de Sophie que está longe de seu marido e precisa lutar com toda sua força, tenacidade e voz para seguir em frente e realizar os sonhos de sua mãe e dela mesma.
“Mamma Mia” é feliz em seu roteiro, em sua fotografia, em seus números musicais, em seu incrível elenco, e além de todos esses elementos tem alguns momentos mais que especiais, que para mim foram dois.
A apresentação da música Dancing Queen é um deles. De uma alegria, de um colorido e de uma movimentação em cena tão impressionantes, que não é possível que alguém fique parado na poltrona do cinema sem ao menos mexer os pés no ritmo da canção.
O segundo momento acontece dentro de uma capela, onde música, letra e contexto são absolutamente emocionantes. Você vai concordar comigo quando assistir.
O elenco desse filme é um capítulo à parte, temos Meryl Streep, Lily James, Amanda Seyfried, Cher, Pierce Brosnan, Colin Firth, Stellan Skarsgard, Andy Garcia e muito mais, em performances honestas e felizes.
“Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo” cumpre o que promete, musicais, histórias, elenco, entretenimento certo para quem gosta do gênero.

Título Original: Mamma Mia! Here We Go Again
Gênero: Musical/Comédia
Tempo de Duração: 1 hora e 54 minutos 
Ano de Lançamento: 2018
Direção: Ol Parker
Elenco: Meryl Streep, Lily James, Amanda Seyfried, Cher, Pierce Brosnan, Colin Firth, Stellan Skarsgard, Andy Garcia, Julie Walters, Christine Baranski, Dominic Cooper.

Daveed Diggs vive ex-condenado que não pode escapar da violência de Oakland, na Califórnia, em “Ponto Cego”.



Daveed Diggs e Rafael Casal protagonizam “Ponto Cego” (Blindspotting), com direção do estreante Carlos López Estrada. Com estreia nacional agendada para 11 de outubro e distribuição nacional Paris Filmes, a produção acaba de ganhar o primeiro trailer e cartaz oficial.

No início do ano, o drama integrou a seleção oficial do maior festival de cinema independente dos Estados Unidos - Festival de Sundance. No trailer recém-revelado, é possível observar Diggs aprisionado a violência nas ruas e no centro de conflitos pessoais.
O filme segue Collin (Daveed Diggs), que deve passar pelos últimos três dias de liberdade condicional para ganhar a chance de um novo começo. Ele e seu amigo de infância problemático, Miles (Rafael Casal), trabalham como mensageiros e, quando Collin testemunha um tiroteio policial, a amizade dos dois homens é testada à medida que lidam com suas identidades e diferentes realidades no bairro em que cresceram.
Amigos e colaboradores de longa data, Daveed Diggs e Rafael Casal co-escrevem e estrelam esta história oportuna e descontroladamente divertida sobre amizade e interseção de raça e classe social tendo como pano de fundo a cidade de Oakland, na Califórnia. Contagiado com o espírito do rap e hip hop, a produção evoca uma brilhante provocação com humanidade.

Ficha técnica:
Diretor: Carlos López Estrada
Roteiro: Rafael Casal e Daveed Diggs
Elenco: Daveed Diggs, Rafael Casal, Janina Gavankar e Jasmine Cephas Jones
Gênero: Drama
Classificação indicativa: a definir

Acompanhe as novidades sobre esse e outros lançamentos por meio das redes sociais:
facebook.com/ParisFilmesBR 
instagram.com/ParisFilmes
youtube.com/ParisFilmes 



“A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro” Já Está Disponível no Streaming



Filme “A VIDA EXTRA-ORDINÁRIA DE TARSO DE CASTRO” já pode ser visto no streaming. Disponível nas plataformas iTunes, NET, Google Play, Oi Play e Vivo Play, o documentário revive, por meio da fascinante trajetória do jornalista Tarso de Castro, a história do Brasil dos anos 60, 70 e 80 e da geração de intelectuais que resistiram à ditadura militar e promoveram uma verdadeira revolução nos costumes e na cultura brasileira.

Entre os entrevistados estão o cartunista Jaguar, o jornalista Sérgio Cabral (pai) e o filho de Tarso, João Vicente de Castro, além de outros companheiros do jornalista, como Paulo César Pereio, Caetano Veloso, Antônio Pedro, Nelson Motta, Roberto D’Avila, Bárbara Oppenheimer, Paulo Caruso e Gilda Midani.

Idealizador do jornal Pasquim e do caderno Folhetim da Folha de S.Paulo, Tarso de Castro foi um dos mais importantes e polêmicos jornalistas do Brasil. Como bem definiu Otto Lara Resende, Tarso traçou um verdadeiro pacto de felicidade com a vida e pagou o preço dos prazeres excessivos – era alcoólatra, não admitia se tratar e morreu de cirrose hepática aos 49 anos de idade em 1991.

SINOPSE

Boêmio. Provocador. Sedutor. Revolucionário. Além de idealizador do “Pasquim”, Tarso de Castro foi um dos maiores jornalistas do Brasil. Ao investigar sua vida, vem à tona a história de um país embriagado pela ditadura e pela censura, onde o sonho de democracia nascia de uma geração libertária.

SERVIÇO

iTunes: Aluguel HD - R$ 11,90 / Compra SD - R$ 12,90 / Compra HD - R$ 19,90
Google Play: Aluguel HD - R$ 6,90 / Compra SD - R$ 19,90 / Compra HD - R$ 24,90
NET: R$ 14,90
Oi Play: R$ 12,90
Vivo Play: R$ 11,90

“A Freira” Ganha Nova Arte




A Warner Bros. Pictures divulga nova arte de A Freira, o mais recente filme da franquia “Invocação do Mal”. A imagem mostra a Irmã Irene (Taissa Farmiga) sobreposta pela imagem da Freira. Produzido por James Wan e dirigido por Corin Hardy, o longa revela a origem da freira que aterrorizou uma família e o casal Warren em “Invocação do Mal 2”.

Sobre o filme
         O cineasta James Wan, diretor dos bem-sucedidos filmes de horror “Invocação do Mal” e “Invocação do Mal 2”, explora outro lado sombrio desse universo com A Freira. Dirigido por Corin Hardy (“A Maldição da Floresta”), o novo filme é produzido por Wan e Peter Safran, que produziu todos os filmes da franquia “Invocação do Mal”. 
        
Quando uma jovem freira que vive enclausurada em um convento na Romênia comete suicídio, um padre com um passado assombrado e uma noviça prestes a fazer seus votos finais são enviados ao Vaticano para investigar o caso. Juntos, eles desvendam o segredo profano da ordem. Arriscando não só suas vidas, mas também sua fé e suas almas, eles confrontam a força malévola que assume a forma da mesma freira que aterrorizou o público em “Invocação do Mal 2”, à medida que o convento se torna um horripilante campo de batalha entre os vivos e os amaldiçoados. 

New Line Cinema apresenta uma produção da Atomic Monster / Safran Company, A Freira. Com estreia prevista para 6 de setembro de 2018 nos cinemas do Brasil, o filme será distribuído pela Warner Bros. Pictures, uma empresa da Warner Bros. Entertainment.




David A.R. White Vem ao Brasil Divulgar Sequência de “Deus Não Está Morto: Uma Luz na Escuridão”.



David A.R. White, protagonista do filme “DEUS NÃO ESTÁ MORTO: UMA LUZ NA ESCURIDÃO”, de Michael Mason, virá ao Brasil para prestigiar a estreia do longa nos cinemas. O ator, que interpreta o reverendo Dave, participará da pré-estreia para convidados em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Com data de estreia marcada para 30 de agosto, o aguardado filme é a sequência de sucesso dos outros dois filmes lançados no país e que foram assistidos por mais de 10 milhões pessoas por todo o mundo.

Produzido pela Pure Flix,
“DEUS NÃO ESTÁ MORTO: UMA LUZ NA ESCURIDÃO” tem como cenário central o incêndio da Igreja de Saint James, que devasta a congregação do pastor Dave (David A. R. White). Diante disso, a universidade vizinha Hadleigh University usa a tragédia para tentar retirar a igreja do campus. A batalha logo se levanta entre a igreja e a comunidade, o reverendo Dave contra seu amigo de longa data Thomas Ellsworth (Ted McGinley), o presidente da universidade, envolvendo também a estudante Keaton (Samantha Boscarino), membro do ministério da igreja, questionando sua fé cristã.

Sinopse

Quando um incêndio terrível atinge a Igreja de Saint James, devastando a congregação e o Pastor Dave (David A. R. White), a universidade vizinha Hadleigh University usa a tragédia para tentar despejar a igreja do campus. A batalha logo se levanta entre a igreja e a comunidade, o Pastor Dave contra seu amigo de longa data Thomas Ellsworth (Ted McGinley), o presidente da universidade, envolvendo também a estudante Keaton (Samantha Boscarino), membro do ministério da igreja, questionando sua fé cristã.

Ficha Técnica

Direção: Michael Mason
Elenco: David A.R. White, John Corbett, Shane Harper, Ted McGinley, Tatum O’Neal
Gênero: Drama
País: EUA
Ano: 2018


“De Carona Para o Amor” Estreia dia 02 de Agosto



Motivado por razões pessoais, o ator e diretor Franck Dubosc colocou a mão na massa e resolveu dirigir o seu primeiro filme, “DE CARONA PARA O AMOR”, que estreia nos cinemas dia 02 de agosto, depois de ser exibido no Festival Varilux de Cinema Francês. Na comédia, o diretor dá vida a Jocelyn, um empresário bem-sucedido e mentiroso que, cansado da mesmice, resolve se passar por um deficiente físico para conquistar a jovem Florence (Alexandra Lamy). O plano parecia perfeito até o dia em que a moça apresentou a sua irmã, também deficiente.

- Minha motivação foi duplamente pessoal: um dia, por causa da idade e porque ela não conseguia mais se mover, minha mãe começou a usar uma cadeira de rodas. A cadeira, símbolo da deficiência, se tornou uma solução porque, afinal, ela poderia se mover, sair de casa de novo. Mas ela protestou: ‘não vou poder fazer as compras de Natal porque não posso subir as escadas’. O que parecia ser uma oportunidade se transformou em obstáculo. Por outro lado, eu sempre quis contar uma história de amor fundada numa diferença, não cultural ou social, e sim física. É uma pergunta que sempre fiz a mim mesmo: e se eu me apaixonasse por uma pessoa deficiente? Seria uma visão do futuro certamente um pouco complicada. O amor seria mais forte que a razão? Acredito que sim, e por isso quis fazer este filme – explica o diretor e protagonista.

Além da história da mãe e seu interesse pela temática, Dubosc voltou ao passado e lembrou de uma paixão de infância com quem enfrentou os primeiros preconceitos. “Quando era criança, eu me apaixonei por uma garota fortemente estrábica. Todo mundo caçoava dela. Mas eu a via com outros olhos, se é que posso dizer assim. Sempre me pareceu que a diferença era uma vantagem, um charme. Mas sei que é preciso ser muito corajoso para aceitar, para construir uma vida com alguém diferente, para amá-la. Não sei se eu fui corajoso o suficiente”, confessa.

O diretor confessou ainda que, no começo do processo de escrita, ficou preocupado em tratar a deficiência com humor, mas que, assim como na vida, esqueceu ao longo do processo. “Quando encontramos alguém deficiente, no início prestamos bastante atenção a cada palavra que dizemos, mas quando a relação se aprofunda, não se presta mais atenção. Senão isso significaria não aceitar a diferença, colocar o outro à distância. Além disso, minha intenção nunca foi de debochar. Espero que as pessoas percebam isso”, completa.

SINOPSE

Jocelyn, empresário bem-sucedido, é um conquistador e mentiroso inveterado. Cansado de ser ele mesmo, acaba seduzindo uma bela e jovem mulher ao se passar por um deficiente físico. Até o dia em que ela lhe apresenta a irmã, também deficiente…

FICHA TÉCNICA

Direção: Franck Dubosc
Roteiro: Franck Dubosc
Gênero: comédia
País: França e Bélgica
Ano: 2018
Classificação: A definir


Paramount lança primeiro trailer do terror ‘Operação Overlord’




A Paramount Pictures acaba de divulgar o primeiro trailer de “OPERAÇÃO OVERLORD” (OVERLORD), terror produzido por J.J. Abrams (Star Trek, Lost, Star Wars), que estreia nos cinemas brasileiros em novembro.

Dirigido por Julius Avery, o longa traz como mote a história de um grupo de paraquedistas americanos que, durante uma missão na Segunda Guerra Mundial, descobre que o inimigo é muito pior do que pensava.

Crítica Filme "Todo Dia" - Rita Vaz



Direcionado ao público jovem, o longa “Todo Dia” fala basicamente do amor, em suas várias formas (e nesse caso, literalmente).
Baseado no best-seller de David Levithan, autor consagrado com dezenas de livros escritos para o público infanto-juvenil, o filme tem uma premissa bastante original e conversa com vários gêneros, desde o romance, a aventura até a ficção.
Na trama conhecemos Rhiannon uma jovem que está no ensino médio, é popular, tem amigos, namorado e família.
Tudo seria perfeito se o namorado não fosse um grosso e seus pais não estivessem em uma grande crise.
Mas, apesar desses problemas evidentes, Rhiannon não consegue enxergar o namorado “sem noção” e nem intervir na relação dos pais.
Em um dia normal, ela chega na escola e Justin, o namorado, está diferente, ele está amável, solidário, carinhoso, atencioso e a convida a passarem o dia juntos, longe do colégio.
Ela se apaixona ainda mais por ele.
O que ela não sabe, é que acabou de conhecer “A”, uma pessoa que acorda todo dia em um corpo diferente, em uma vida diferente e tem que viver aquela vida.
“A” não sabe o porquê disso e não controla nada. Ela pode acordar em um corpo masculino ou feminino, ela pode acordar em um corpo doente ou saudável.
Isso acontece há tanto tempo que “A” já se acostumou e tem suas regras, e uma delas é não se apegar às pessoas que cruzam sua jornada.
Mas, isso muda quando ela conhece Rhiannon e quer permanecer ao seu lado dia após dia.
Com essa difícil empreitada, a trama toca em assuntos como identidade sexual, valorização da beleza interior, mídias sociais, superações, ética e amor.
O roteiro é interessante, mas peca em focar somente nos dois personagens principais e não desenvolver outras ideias ou possibilidades sobre o que acontece com quem está perto deles.
O diretor Michael Sucsy entrega um filme agradável de se ver, tanto pela leveza das cenas em locações externas quanto pelo elenco principal.
A jovem atriz Angourie Rice está ótima no papel entregando uma personagem crível e amorosa e o ator Justice Smith entrega a melhor “A” de todas.
“Todo Dia” é um filme bom de se ver, ele tem uma história que aguça a nossa curiosidade e faz com que pensemos em muitas coisas. Recomendo!

Título Original: Every Day
Gênero: Drama/Fantasia/Romance
Tempo de Duração: 1 hora e 38 minutos 
Ano de Lançamento: 2018
Direção: Michael Sucsy
Elenco: Angourie Rice, Justice Smith, Owen Teague, Maria Bello, Debby Ryan, Lucas Jade Zumann, Jacob Batalon, Colin Ford.

Crítica Filme "Missão Impossível: Efeito Fallout" - Rita Vaz



É possível uma sequência de número seis, ser melhor que as anteriores? Sim, é possível!
“Missão Impossível – Efeito Fallout” é a prova disto.
Uma verdadeira aula de cinema de ação, assim é o novo longa do agente Ethan Hunt que mais uma vez mostra que agente secreto como ele é difícil de achar.
Brincadeiras à parte, o novo filme do ator/produtor Tom Cruise é muito bom, é recheado de cenas de ação, com perseguições de moto, de carro, de helicóptero e de correria a pé mesmo.
Além disso também é cheio de tramas internacionais, de agentes duvidosos, de engenharia política, de múltiplos vilões, de situações limite, de uma certa dose de romance e de muita porrada e tiro.
Na nova trama, Ethan, depois de decidir salvar sua equipe e acabar perdendo alguns artefatos de ordem nuclear, se vê forçado a trabalhar com o agente especial da CIA, August Walker justamente para reaver esses artefatos que agora, em mãos erradas, são uma ameaça real à paz mundial.
Em meio às tramas de interesses diversos, Ethan se vê novamente, frente a frente com Solomon Lane, que parece interferir em seus trajetos de uma forma pontual.
Hunt terá que agir com a ajuda de sua equipe para salvar as pessoas que ele ama, impedir uma catástrofe mundial e quem sabe colocar todo o seu passado em dia.
O diretor Christopher McQuarrie apresenta uma trama de difícil compreensão, mas possível de acompanhar, e decide por não explicar muito os acontecimentos, o que é muito bom.
As cenas de ação estão cada vez melhores, mais ousadas e surpreendentes. E ele ainda conta com o super ator Tom Cruise, que dispensa dublês para as dezenas de cenas onde eles seriam necessários, fazendo com isso com que o filme se torne ainda mais interessante para quem o assiste.
O ator Henry Cavill traz um personagem forte e dúbio à trama, alçando ainda mais as cenas de ação.
Outro ponto positivo para a história são as locações, Paris (vista de vários ângulos), Londres Abu Dabhi, Noruega, Nova Zelândia, todas exploradas de uma forma absolutamente linda.
Além da equipe de Ethan, outros personagens voltam para a história, como é o caso da agente Ilsa Faust, protagonizada pela atriz Rebecca Ferguson (ótima em ação), que traz força e poder para a mulher no filme. O que torna o longa ainda mais atual.
“Missão Impossível – Efeito Fallout” é um excelente filme, vale cada centavo de seu ingresso e suas duas horas e meia de pura ação, passam rapidamente, deixando um gostinho de quero mais. E se você tiver a oportunidade de assistir o longa em um cinema Imax, não a perca, porque o filme fica melhor e maior ainda!

Título Original: Mission: Impossible - Fallout
Gênero: Ação/Espionagem
Tempo de Duração: 2 horas e 28 minutos 
Ano de Lançamento: 2018
Direção: Christopher McQuarrie,
Elenco: Tom Cruise, Rebecca Ferguson, Henry Cavill, Sean Harris, Simon Pegg, Ving Rhames, Michelle Monaghan, Vanessa Kirby, Angela Basset, Alec Baldwin.

“Acrimônia”, thriller estrelado por Taraji P. Henson, ganha trailer e cartaz oficial.



"Você não sabe o que ele me fez...", diz Taraji P. Henson, protagonista de “Acrimônia” (Acrimony) indicada ao Oscar pelo filme “O Curioso Caso de Benjamin Button”. Com direção e roteiro assinados por Tyler Perry (de “Madea - Reunião de Família”), o thriller de infidelidade tem estreia nacional agendada para 2 de agosto e pôster e trailer oficial recém-revelados pela Paris Filmes.

O trailer apresenta uma mulher abalada e cansada de ficar ao lado de seu marido que continua a mentir e traí-la. Na trama, Lyriq Bent interpreta o marido infiel e o elenco ainda reúne Danielle Nicolet, Jazmyn Simão, Tika Sumpter, Jason Vail e Ptosha Storey. O filme é narrado principalmente por meio de flashbacks, com Henson recontando a história de como ela conheceu seu marido e todos os abusos que silenciosamente sofreu ao longo dos anos, antes de se tornar cruel e vingativa.

Sinopse – Acrimônia
Uma esposa fiel (indicada ao Oscar, Taraji P. Henson), cansada de ficar ao lado de seu marido desonesto (Lyriq Bent) fica furiosa quando fica claro que ela foi traída.

Acompanhe as novidades sobre esse e outros lançamentos por meio das redes sociais:
facebook.com/ParisFilmesBR
instagram.com/ParisFilmes
youtube.com/ParisFilmes 


“Histórias Que Nosso Cinema (NÃO) Contava” Estreia Dia 23 de Agosto



HISTÓRIAS QUE NOSSO CINEMA (NÃO) CONTAVA, dirigido por Fernanda Pessoa, estreia em circuito comercial no dia 23 de agosto, após ter tido sua estreia no 20o Festival de Cinema de Tiradentes e exibido em diversos Festivais nacionais e internacionais, como DocLisboa, CinéLatino Toulouse, Festival du Nouveau e Cinema Brasilia. O filme, que também passou por países como Grécia, França, Índia, Canadá, Sérvia e Portugal, tem distribuição da Boulevard Filmes.

O longa realiza uma releitura histórica da ditadura militar no Brasil, com foco nos 1970, a partir apenas de imagens oriundas de 27 filmes produzidos no período e que foram considerados “pornochanchadas”, o gênero mais visto e mais produzido durante a década de 70.

HISTÓRIAS QUE NOSSO CINEMA (NÃO) CONTAVA é um documentário de montagem, ou de remploi, feito inteiramente com imagens e sons das pornochanchadas, sem entrevistas ou off. Temas como a luta armada, a violência do Estado, o milagre econômico, a “era de aquarius” e a modernização do país são abordados de forma divertida e inusitada, através de uma montagem criativa e associação inesperada de imagens.

HISTÓRIAS QUE NOSSO CINEMA (NÃO) CONTAVA relembra e analisa um período histórico brasileiro através da sua produção cinematográfica hegemônica, provocando uma reflexão não somente sobre o período histórico retratado, mas também sobre o próprio cinema enquanto construtor da história e da memória coletiva.

Anotações Sobre o Filme por Fernanda Pessoa

“Sem ter vivido o período da ditadura militar, já que nasci um ano após a abertura democrática, encontrei nos filmes nacionais do período um grande material histórico, ainda pouco analisado dentro desta perspectiva. Aprendi muito sobre o período assistindo a esses filmes e é essa visão que pretendo mostrar ao espectador, partindo de um conhecimento empírico vindo do próprio cinema. Do chamado “milagre econômico” à repressão e às torturas, tudo foi retratado pelo cinema popular da época, implícita ou explicitamente.

De uma pesquisa inicial de mais de 150 filmes, foram selecionados 27 títulos. Foi realizada uma pesquisa intensa com diversas instituições e pessoas para conseguir encontrar o maior número de filmes produzidos nessa época. Essa difícil busca revelou o quanto a memória do cinema nacional não está sendo preservada. Filmes de importância histórica e estética não estão disponíveis ao público. Por isso, um grande objetivo é trazer à luz a filmografia da chamada pornochanchada – muitas vezes esquecida ou rejeitada.

Durante um ano e meio, viajei com o filme para festivais no Brasil e em países tão diversos como Grécia, Índia, França e Sérvia, tendo reações surpreendentes: na Grécia, o público de identificou muito e percebi que somos mais parecidos do que imaginamos, na Índia o filme causou grande polêmica e debates sobre censura e mudanças de costume, etc. Estou muito feliz que o filme finalmente chegue ao público em geral, o que sempre foi um grande objetivo durante a realização, já que a “pornochanchada” sempre teve um diálogo muito grande com o público “não especializado”.”

Sobre a Diretora

www.pessoafernanda.com
www.historiasquenossocinema.com

Cineasta e artista visual, Fernanda Pessoa trabalha principalmente com cinema documental e videoinstalações. Vive e trabalha em São Paulo, e morou no Arizona, em Buenos Aires e em Paris, onde realizou seu mestrado em Audiovisual na Sorbonne Nouvelle. Dirigiu curtas com exibições internacionais e realizou exposições individuais e coletivas. Em 2016, realizou no MIS-SP a videoinstalação Prazeres Proibidos, sobre a censura aos filmes de pornochanchada durante o regime militar.Em 2017, finalizou seu primeiro longa documental, “Histórias que nosso cinema (não) contava”, exibido em mais de 20 festivais nacionais e internacionais e ganhador de seis prêmios. Atualmente, finaliza seu segundo longa documental, “Zona Árida” e trabalha em um projeto selecionado para a Residência Labmis.

"Um dos acontecimentos mais significativos deste ano no ramo das artes"
Inácio Araújo, Folha de São Paulo.

"Brilhante trabalho de montagem"
Cahiers du cinéma nov. 2017.


Para Todas as Idades: Cardápio de Estreias da Semana no Streaming vai de Drama à Animação.


No dia 19 de julho, filmes de diferentes gêneros e para para qualquer faixa etária chegam no streaming. O ganhador da quinzena dos realizadores de Cannes em 2017 também está na lista. Em “CIGANOS DA CIAMBRA”, de Jonas Carpignano com produção da brasileira RT Features, Pio (Pio Amato) vive em uma pequena comunidade de ciganos na Calábria e, aos quatorze anos, deseja ser como seu irmão mais velho. Quando este desaparece, e as coisas começam a dar errado, Pio verá que tudo chega ao seu tempo.

Em
“PAULISTAS”, de Daniel Nolasco, o longa brasileiro acompanha a contradição entre a tradição e modernidade no sul de Goiás por meio dos três personagens. Desde 2014, não existem mais jovens morando na região, nos paulistas hoje, a pessoa mais jovem tem 45 anos. Assim, as férias de julho são o momento em que futuro e passado se encontram.

“DEU A LOUCA NO ALADDIN”, de Arthur Benzaquen, o espectador embarca no tapete mágico e aproveita os encantos das mil e uma noites nesta versão moderna do clássico infantil! É véspera de Natal, Sam (Kev Adams) e Khalid (William Lebghil) planejam roubar uma loja vestidos de Papai Noel, mas seus planos sofrem um pequeno contratempo.

Serviço

CIGANOS DA CIAMBRA
Classificação Indicativa: 14 ANOS

Itunes: R$ 19,90 (Venda) R$ 11,90 (aluguel)
Now: R$ 14,90 (aluguel)
Google: R$ 29,90 (Venda) e R$ 9,90 (Aluguel)
VivoPlay: R$ 11,90 (aluguel)

PAULISTAS
Classificação Indicativa: 12 ANOS

Itunes: R$ 19,90 (Venda) R$ 11,90 (aluguel)
Now: R$ 14,90 (aluguel)
Google: R$ 29,90 (Venda) e R$ 9,90 (Aluguel)
VivoPlay: R$ 11,90 (aluguel)

DEU A LOUCA NO ALADDIN
Classificação Indicativa: LIVRE

iTunes: R$ 14,90 (Venda) R$ 7,90 (aluguel)
Now: R$ 14,90 (aluguel)
Google Play / Youtube: R$ 29,90 (Venda) e R$ 9,90 (Aluguel)
Vivo Play: R$ 11,90 (aluguel)
http://mail.sinnyassessoria.com/recursos/072078d1d93362ad9f923828413f1a5b/.Easygoi/easyspacer.gif


Cinema e Psicanálise apresenta o filme "Entre Elas".



No dia 21 de julho às 14 horas, teremos mais uma sessão do Cinema e Psicanálise, com o Filme ENTRE ELAS (Sister my Sister).

Sobre o Filme:
As irmãs Léa e Christine Papin viviam na França, eram empregadas domésticas. Em 1932, após um curto circuito elétrico, assustadas, elas matam as suas patroas. O crime causou grande comoção pública. Houve grandes debates à época e juristas, psicanalistas, psiquiatras, artistas, cada qual explicou o caso a partir de suas perspectivas. 

O filme ENTRE ELAS conta a história das irmãs Papin e do ato por elas cometido.

No encontro serão tratados temas como o das psicoses, do Estado do espelho, da agressividade, das relações familiares...

Informações de participação no evento estão no cartaz.

Especial Dia do Amigo no Megapix



Comemorado no dia 20 de julho, o Dia do Amigo será destaque no Megapix com uma trinca de sucessos que mostram como essa relação é importante e duradoura.
De ação a comédia, o especial será a partir das 14:30.

Gigantes de Aço abre a dose tripla, afinal amizade entre humanos e robôs também conta, não é mesmo? Indicado ao Oscar por seus efeitos visuais, a produção é uma aventura familiar que se passa num futuro próximo, onde as máquinas substituem os homens no ringue. Quem não consegue se adaptar ao novo formato é o ex-pugilista Charlie. Quando tudo parece perdido, ele se une ao filho, Max, para construir um competidor imbatível.

A amizade continua com Ted, às 16:50. Quando criança, John desejou que seu ursinho Ted ganhasse vida e, surpreendentemente, foi atendido. Porém, agora que é adulto, ele precisa lidar com as consequências de seu pedido, já que Ted não vai parar de atormentar a sua vida.

Para fechar o especial, tem animação e a clássica história de Rapunzel com Enrolados, às 18:50. Uma jovem prestes a completar 18 anos deseja sair de sua torre para ver as luzes que sempre surgem no dia do seu aniversário. Quando Flynn Rider, o bandido mais procurado do reino, se esconde na torre, ela vê a chance de finalmente realizar seu sonho.


Instituto Moreira Salles Dedica Programação Especial Para companhar a Estreia do Filme “Alguma Coisa Assim”.



Para acompanhar a estreia de “ALGUMA COISA ASSIM”, de Esmir Filho e Mariana Bastos, o IMS Paulista e o IMS Rio exibirão o curta-metragem “Tapa na Pantera”, dirigido por Esmir, Mariana e Rafael Gomes, e “Os Famosos e os Duendes da Morte”, primeiro longa-metragem do diretor.

“Tapa na Pantera”, de 2006,  traz a consagrada atriz Maria Alice Vergueiro como personagem central de um curta sobre as experiências de uma senhora usuária de maconha há 30 anos. Já “Os Famosos e os Duendes da Morte”, de 2009, tem um jovem adolescente de 16 anos, conhecido como Mr. Tambourine na internet, que sonha em deixar sua cidade no interior do Rio Grande do Sul para ir a um show do Bob Dylan.

Desenvolvido a partir do curta-metragem homônimo premiado em Cannes, em 2006, o filme “ALGUMA COISA ASSIM” chega aos cinemas no dia 26 de julho. O longa acompanha três momentos-chave da vida dos personagens Mari (Caroline Abras) e Caio (André Antunes).

Esmir e Mariana reuniram-se em 2013 com o objetivo de dar sequência à história de Caio e Mari, captando o reencontro dos personagens, vividos pelos mesmos atores, em São Paulo e, posteriormente, num novo momento, em Berlim, em 2016. O resultado dos três encontros ao longo de uma década é o longa-metragem que mergulha na transformação da relação entre os dois através dos tempos e propõe uma reflexão sobre temas atuais, como sexualidade, rótulos, aborto e novas formas de família.

Produzido pelas produtoras brasileiras Saliva Shots e Claraluz Filmes, e pela alemã Zak Films, o filme tem roteiro assinado pelos próprios diretores. “’Alguma Coisa Assim’ foi um curta que escrevi em 2006, que contava a relação entre dois adolescentes descobrindo sentimentos escondidos e vivendo suas primeiras frustrações amorosas em uma Rua Augusta repleta de neons e casas noturnas. Foi um encontro maravilhoso com os atores e Mariana Bastos. Com o tempo, a gente foi acompanhando a transformação da cidade, bem como as questões dos jovens envolvendo sexualidade, relacionamentos contemporâneos e rótulos. Sete anos depois (em 2013), decidimos nos encontrar para criar uma sequência. O que aconteceria com esses mesmos personagens nessa cidade totalmente diferente?”, explica Esmir.

SINOPSE

Tapa na Pantera

Maria Alice Vergueiro manda a real sobre o“tapinha”.

Os Famosos e os Duendes da Morte

Mr. Tambourine é o nome adotado por um garoto de 16 anos para navegar na internet. Ele vive no interior do Rio Grande do Sul e sonha em deixar sua cidade para assistir a um show de Bob Dylan.
Alguma Coisa Assim

Alguma Coisa Assim

Caio e Mari são dois jovens adultos cujo relacionamento está além de qualquer definição. Ao longo de 10 anos, o enredo transita entre 3 momentos marcantes em que seus desejos estão em conflito e seu relacionamento é posto à prova. Entre São Paulo e Berlim, acompanhamos a transformação das cidades e dos personagens, vivendo as dores e as delícias de uma relação sem rótulos.

PROGRAMAÇÃO

IMS RIO

Tapa na Pantera
de Esmir Filho, Mariana Bastos e Rafael Gomes
(Brasil, 2006. 4 min. Arquivo digital)
Classificação Indicativa: 14 anos

Os Famosos e os Duendes da Morte
de Esmir Filho
(Brasil, 2009. 101 min. 35 mm)
Classificação Indicativa: 16 anos

21/7 (sábado) 18h
24/7 (terça-feira)  20h

Ingressos
R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia)

Alguma Coisa Assim
de Esmir Filho e Mariana Bastos
(Alemanha, Brasil, 2017. 80 min. Exibição em DCP)
Classificação Indicativa: 16 anos

26/7- 14h
26/7- 18h
27/7-  20h
28/7- 20h
29/7- 20h
31/7- 14h
31/7- 18h
1/8- 14h
1/8- 20h

Ingressos

terça, quarta e quinta:
R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

sexta, sábado, domingo e feriados:
R$ 26 (inteira) e R$ 13 (meia)

IMS PAULISTA

Tapa na Pantera
de Esmir Filho, Mariana Bastos e Rafael Gomes
(Brasil, 2006. 4 min. Arquivo digital)
Classificação Indicativa: 14 anos

Os Famosos e os Duendes da Morte
de Esmir Filho
(Brasil, 2009. 101 min. 35 mm)
Classificação Indicativa: 16 anos

27/7, sexta-feira, 18h30
29/7, domingo, 17h30

Ingressos
R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia)

Alguma Coisa Assim
de Esmir Filho e Mariana Bastos
(Alemanha, Brasil, 2017. 80 min. Exibição em DCP)
Classificação Indicativa: 16 anos

26/7- 14h
27/7-  14h
27/7-  21h
28/7- 21h
29/7- 14h
29/7- 20h
31/7- 14h
31/7- 22h

Ingressos

terça, quarta e quinta:
R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

sexta, sábado, domingo e feriados:
R$ 26 (inteira) e R$ 13 (meia)


“Temporada” de André Novais Oliveira, Acaba de Ser Selecionado Para o Festival de Locarno



TEMPORADA, novo filme de André Novais Oliveira, terá sua estreia mundial no Festival de Locarno, um dos principais festivais de cinema autoral do mundo, que acontece de 1º a 11 de agosto.  O longa será apresentado na Cineasti del Presente, mostra dedicada a descobrir filmes de novos diretores de todo mundo, onde são exibidos primeiro ou segundo longa do autor.

Na trama, Juliana (Grace Passô) está de mudança do interior do estado de Minas para a periferia de Contagem, em BH. Em seu novo trabalho dedicado a combater às endemias da região, ela se depara com pessoas e vive experiências capazes de mudar a sua vida completamente. Ao mesmo tempo que passa por essa transformação, Juliana tenta lidar com o impacto que tudo isso gera na sua relação conjugal.

André Novais Oliveira ganhou diversos prêmios por seu filme anterior, “Ela Volta na Quinta”, sobre uma família que vivia em Contagem, Minas Gerais. Mais uma vez o diretor usa a periferia da cidade como pano de fundo para sua história. TEMPORADA será distribuído no Brasil pela Vitrine Filmes, ainda sem previsão de data para o lançamento do longa.

SINOPSE

Juliana está se mudando de Itaúna, no interior do estado, para a periferia de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, para trabalhar no combate às endemias na região. Em seu novo trabalho ela conhece pessoas e vive situações pouco usuais que começam a mudar sua vida. Ao mesmo tempo, ela enfrenta as dificuldades no relacionamento com seu marido, que também está prestes a se mudar para a cidade grande.

FICHA TÉCNICA

TEMPORADA (Long Way Home)
Direção e Roteiro: ANDRÉ NOVAIS OLIVEIRA
Elenco: GRACE PASSÔ, RUSSO APR, REJANE FARIA, HÉLIO RICARDO, JU ABREU, RENATO NOVAES, SINARA TELES e JANDERLANE SOUZA

Obras de Egon Schiele Viram Protagonistas nas Telonas



O longa-metragem "Egon Schiele - Morte e Donzela", de Dieter Berner, estreia nos cinemas dia 19 de julho. O filme conta a polêmica e emblemática história do artista expressionista Egon Schiele, que revolucionou a pintura na década de 20.

Schiele quebrou paradigmas ao renegar o modo figurativo das pinturas e ilustrações preferindo retratar o estado psicológico de suas personagens. O nu predomina em suas obras, fato que trouxe julgamentos negativos ao autor na época, porém, mesmo com as críticas, nunca parou de desenhar.

Discípulo de Gustav Klimt, de quem adotou o estilo de desenhar, as linhas firmes e sem correções posteriores, Schiele se apaixonou e retratou diversas mulheres. A linearidade e a suspensão de espaços em seus desenhos também foram inspiradas por Klimt. A ideia é que a angulação de seus traços traga à tona valores emocionais e expressivos.

Dieter Berner quis abordar a história a partir da perspectiva de quanto a arte e suas próprias obras significaram para o autor. "Para Schiele, desenhar era, na verdade, uma espécie de vida substituta desde o começo. Quando menino, ele não era muito bom na escola e muitas vezes não fazia as tarefas porque sempre estava desenhando. Era a sua maneira de entender o mundo e, de alguma forma, lidar com ele" afirma Berner.

Com o total de 287 obras de arte, as mais famosas são "O Retrato de Wally", "O Abraço" e "Morte e Donzela", que dá nome ao longa.

SINOPSE

Jovem, talentoso, sedutor. Egon Schiele é um dos artistas mais provocativos de Viena no início do século XX. Sua vida e obra são impulsionados pelas mulheres que o cercam: Gerti, sua irmã e primeira musa. E Wally, seu grande amor de apenas 17 anos, imortalizada na famosa pintura “Morte e a Donzela”. Com seu estilo radical, Egon atrai artistas ousados como Gustav Klimt, mas causa um escândalo na sociedade local. Para defender sua arte, ele está disposto a sacrificar seu amor. E até sua vida.

FICHA TÉCNICA

Diretor: Dieter Berner
Roteiro: Hilde Berger e Diete Berner
Elenco: Noah Saavedra, Maresi Riegner, Valerie Pachner, Larissa Aimee Breidbach, Marie Jung, Elisabeth Umlauft, Thomas Schubert, Daniel Sträßer, Cornelius Obonya, André Jung, Nina Proll, Wolfram Berger  e Luc Feit


Crítica Filme "Uma Quase Dupla" - Rita Vaz



Chega aos cinemas “Uma Quase Dupla”, comédia/suspense nacional (muito mais comédia) que tem em seu casal de protagonistas, Tatá Werneck e Cauã Reymond seu maior trunfo.

Apesar de na história a dupla de policiais não ter nada em comum, a dupla de atores tem uma ótima química em cena, ela como uma policial durona e ele como um policial sensível.

Na trama conhecemos Keyla, uma policial que chegou diretamente do Rio de Janeiro à pequena e pacata cidade de Joinlândia, para comandar uma investigação de assassinato.

Ela é uma pessoa durona, que não gosta de ajuda, e fala de casos (feios) que resolveu na capital.
O delegado da cidade chama, o subdelegado Cláudio para acompanhar Keyla na investigação.

Cláudio é um menino do bem, é sensível, gosta de fazer as coisas conforme mandam as regras e
 sempre é cordial com as pessoas.

A princípio Keyla não gosta da ideia, mas vai perceber ao longo da história que a presença do subdelegado é vital em sua investigação, pois o modo como ela age na cidade grande, não funciona na cidade do interior.

As investigações se iniciam, muitas figuras de Joinlândia se mostram suspeitas, mas, tudo piora quando eles descobrem um novo cadáver, que revela que eles estão lidando com um astuto assassino em série.

O roteiro do filme é simples, mas ele é pontuado por uma série de piadas e cenas cômicas que o fazem diferente.

O diretor Marcus Baldini explora muito bem seu elenco, conseguindo ótimas atuações até de pequenas participações.

Cauã Reymond está ótimo no papel do ingênuo Cláudio, passando veracidade ao personagem, já Tatá Werneck faz bem sua personagem, mas comete alguns exageros desnecessários à história.

Pode até ser uma característica dela, mas as falas rápidas e incompreensíveis para mim, atrapalham ao invés de dar graça ao momento.

Mas, no resumo da ópera, o filme é engraçado, tira boas risadas da gente e cria uma expectativa em relação ao assassino em série.

E é interessante ver como a história mostra a mulher em uma posição de durona e o homem em uma posição de sensibilidade, e entrega um resultado óbvio, o de que nada muda por conta disso, mas é de extrema importância para que muitas pessoas percebam isso e passem a achar normal também. Um belo e necessário serviço social!

Título Original: Uma Quase Dupla
Gênero: Comédia
Tempo de Duração: 1 hora e 30 minutos 
Ano de Lançamento: 2018
Direção: Marcus Baldini
Elenco: Tatá Werneck, Cauã Reymond, Louise Cardoso, Ary França, Alejandro Claveaux, Daniel Furlan, Augusto Madeira, Luciana Paes.