PEDÁGIO, NOVO FILME DE CAROLINA MARKOWICZ, CHEGA EXCLUSIVAMENTE AOS CINEMAS NESTA QUINTA-FEIRA, 30 DE NOVEMBRO

Produção mais premiada na última edição do Festival do Rio, onde conquistou os prêmios de melhor atriz (Maeve Jinkings), ator (Kauan Alvarenga), atriz coadjuvante (Aline Maria Marta) e direção de arte (Vicente Saldanha), o longa-metragem PEDÁGIO, o segundo da carreira de Carolina Markowicz, chega nacionalmente aos cinemas nesta quinta-feira, 30 de novembro. Além de uma marcante passagem pela Mostra de Cinema de São Paulo, o filme vem também consolidando uma ótima carreira internacional, com exibições nos festivais de San Sebastián, Vancouver, Bordeaux e Toronto – no qual a diretora se tornou o primeiro nome latino-americano da história a receber o prestigiado Tribute Award, na categoria Emerging Talent, ao lado de nomes como Spike Lee, Pedro Almodóvar e Patricia Arquette. No Festival de Roma, PEDÁGIO conquistou o prêmio de melhor filme. A classificação indicativa é 16 anos.

Produzido pela Biônica Filmes e O Som e a Fúria, coproduzido pela Globo Filmes e Paramount Pictures e distribuído pela Paris Filmes, o novo projeto conta a história de uma atendente de pedágio que, inconformada com a orientação sexual do filho, comete delitos na tentativa de financiar uma cura para a sua “doença”. Único longa brasileiro de ficção na programação do festival, PEDÁGIO retrata a opressão e violência sofrida pela população LGBTQIA+, diante das incoerências e atrocidades promovidas – de forma mais explícita nos últimos anos – por alguns setores da sociedade.

“Em pleno 2023 com todos adventos, tecnologias e avanços, chega a ser chocante a preocupação com quem o outro se relaciona sexualmente. O fosso conservador que vivemos nos últimos tempos serviu para deixar bem à vontade cada indivíduo que se achasse no direito de proferir críticas e até agressões à população LGBTQIA+”, analisa Carolina, que também assina o roteiro da produção. “Além da violência, há práticas absurdas e patéticas, como as retratadas pelo filme, que parecem ser ficção, mas estão muito próximas à realidade surreal do brasileiro LGBT, gerando sequelas físicas e emocionais irreparáveis”.

O longa, que a diretora descreve como “um drama permeado por humor ácido”, participou de relevantes laboratórios de apoio ao desenvolvimento audiovisual, como o Tribeca All Access, Torino Film Lab e Berlinale Coproduction Market.

Neste ano, a cineasta conquistou ainda um troféu na última edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, na categoria Primeira Direção, com o seu filme de estreia “Carvão” (2022), que também foi indicado pela Academia de Brasileira de Artes e Ciências Cinematográficas para representar o país na 38ª edição do Goya, na Espanha, uma das mais importantes premiações do cinema europeu.

Sinopse

Suellen, cobradora de pedágio, percebe que pode usar seu trabalho para fazer uma renda extra ilegalmente. Mas tudo por uma causa nobre: financiar a ida de seu filho à caríssima cura gay ministrada por um famoso pastor estrangeiro. 

Ficha Técnica

Direção: Carolina Markowicz

Roteiro: Carolina Markowicz

Elenco e Personagens: Maeve Jinkings (Suelen), Kauan Alvarenga (Tiquinho), Thomás Aquino (Arauto), Aline Marta Maia (Telma), Isac Graça (Pastor Isac)

Classificação Indicativa: 16 anos

Nenhum comentário:

Festival de Cinema Brasileiro de Paris anuncia programação completa de sua 26ª edição

"Nas Ondas de Dorival Caymmi", "Barravento", "Nosso Sonho" e "Meu Nome É Gal".  O Festival de Cinema...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba