Crítica Filme "O Protetor - Capítulo Final" por Rita Vaz

 

Estreia nesta quinta-feira o filme “O Protetor – Capítulo Final”, o terceiro e último longa da franquia “O Protetor”, iniciada em 2014 e inspirada na série homônima dos anos 1980, com direção de Antoine Fuqua, que também dirigiu os outros dois.

Denzel Washington mais uma vez interpreta o incrível Robert McCall, o protetor, que teve o seu segundo ato em 2018, e agora finaliza a trilogia, com uma história digna de seu personagem.

Na nova trama Robert está em um outro país, mas, igualmente sedento por justiça, ele continua sendo o ex-agente da Cia que se tornou um “protetor” dos injustiçados e que não podem ou não conseguem se defender, depois da aposentadoria.

E mantém todos os trejeitos do personagem,  ele conta para o inimigo o que vai acontecer e em quanto tempo, ele é irônico no momento certo, ele é querido na hora exata.

Depois de uma abertura de tirar o fôlego, a história nos apresenta um Robert que foi feriado e ajudado, em uma pequena cidade da Itália. Nesse lugar, ele começa a ter uma rotina e gostar dela, e gostar também das pessoas que o cercam.

Mas, quando ele percebe que uma máfia tenta manipular e mandar nos locais, o seu antigo eu, entra em ação, fazendo o que é necessário para ajudar seus novos amigos.

Muitas investigações, muitas lutas, muitas surpresas estarão no caminho dele.

O diretor Antoine Fuqua entrega um filme com uma trama muito bem elaborada e ainda transmite valores incutidos em cada núcleo da história.

O novo longa é tão catártico quanto o primeiro, onde o espectador vibra o tempo todo com o protagonista descendo o braço em cima da bandidagem, e se aprofunda mais na história pessoal do personagem, fazendo com que conheçamos ainda mais as motivações dele, e o levando para um lugar onde parece que ele encontra a paz.

Denzel Washington continua perfeito para o papel, tem uma interpretação sólida, verdadeira e liberatória, ele continua forte na telona, tanto na parte física da história, quanto na interpretação, ele é realmente um dos melhores atores de sua geração.

Com a interpretação impecável de Denzel Washington, com uma bonita fotografia e uma história que prende a atenção do espectador, “O Protetor 3” é o tipo de filme que agrada a todo tipo de plateia. Recomendo.

Nenhum comentário:

O Longa NINGUÉM SAI VIVO DAQUI, de André Ristum, Acaba de Ganhar Cartaz Oficial

Com roteiro inspirado no livro Holocausto Brasileiro, da jornalista Daniela Arbex, o longa NINGUÉM SAI VIVO DAQUI acompanha a jornada de Eli...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba