Crítica Filme "Besouro Azul" por Rita Vaz.

Estreia nesta quinta-feira o aguardado filme “Besouro Azul” com direção de Angel Manuel Soto (“Charm City Kings”, “La Granja”), a partir de um roteiro de Gareth Dunnet-Alcocer (“Miss Bala”), baseado em personagens da DC.

Na trama conhecemos Jaime Reyes (Xolo Maridueña), recém-formado que volta para casa cheio de expectativas para o futuro, mas logo descobre que seu lar não é mais o mesmo. Apesar de sua família continuar amorosa, e extrovertida, como sempre.

Enquanto tenta encontrar seu propósito no mundo, ele trabalha na casa da proprietária da maior empresa de sua cidade. É lá que o destino intervém em sua vida, e o faz conhecer Jenny Kord (Bruna Marquezine), a herdeira de todas essas empresas, que perdeu a mãe, o pai, e tem uma tia tirana.

Em meio a muitos acontecimentos, chega às mãos de Jaime uma antiga relíquia da biotecnologia alienígena, o Escaravelho.

Quando o Escaravelho escolhe Jaime como seu hospedeiro simbiótico, sua vida muda para sempre. Ele ganha uma incrível armadura que lhe dá poderes extraordinários e se torna o super-herói Besouro Azul.

A partir daí são muitas aventuras até ele aceitar o seu novo destino.

“Besouro Azul” é um ótimo filme, ele parece ser um novo respiro para a DC, depois de alguns filmes que não fizeram tanto sucesso com os fãs e com a crítica, como é o caso de “Flash”.

O diretor Angel Manuel Soto, conseguiu equilibrar ação, aventura, comédia e um toque de “filme para a família”, como há tempos não se via em histórias de super-heróis.

Inclusive a parte da família de Jaime é sensacional, eles se amam, são verdadeiros uns com os outros, e não desaminam nunca. Os toques de humor vem todos daí e de uma forma orgânica.

Os efeitos especiais do longa são muito bem feitos, não deixando nem um detalhe fora do controle.

O elenco todo está ótimo no filme, com uma pequena exceção, que falo depois. O ator Xolo Maridueña está perfeito no papel do Besouro Azul, parece que ele já protagoniza o personagem há muito tempo, de tão à vontade que ele está em cena.

A atriz Bruna Marquezine é uma grande surpresa em tela, de tão grande e de tão bem-feito que é seu papel. Ela também é protagonista na história e manda muito bem no seu inglês, e ainda em cena, manda uma frase em um belo português do Brasil. Adorei ela, sério.

A pequena exceção que eu falei acima, se refere, acreditem se quiser, à Susan Sarandon. Eu não gostei dela em cena, ela não me passou verdade com sua vilã. Mas, ela está lá, e é importante para a história do cinema.

O outro vilão da história é o Carapax, que aparece bem em cena desde o começo, e que acaba fazendo um ato muito legal na terceira parte.

“Besouro Azul” é um filme de super-herói sim, mas, é para toda a família. Inclusive as cenas violentas são muito bem dirigidas e não impactam tanto, os menores, que porventura assistam ao longa.

Super recomendo!

E quando o filme acabar, não saia da sala, pois, existem cenas escondidas. Uma delas é logo após os primeiros créditos, mas, a outra, você terá que esperar até o final de todos os créditos para vê-la.

Aproveita e conversa com sua amiga ou amigo sobre o filmaço que vocês acabaram de assistir! 

Nenhum comentário:

Festival de Cinema Brasileiro de Paris anuncia programação completa de sua 26ª edição

"Nas Ondas de Dorival Caymmi", "Barravento", "Nosso Sonho" e "Meu Nome É Gal".  O Festival de Cinema...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba