Crítica "I Wanna Dance with Somebody: A História de Whitney Houston" por Rita Vaz

Estreia nesta quinta-feira o filme “I Wanna Dance With Somebody: A História de Whitney Houston”, sob a direção de Kasi Lemmons (Harriet), escrito pelo indicado ao Oscar® Anthony McCarten, e produzido pelo lendário produtor musical Clive Davis.

“I Wanna Dance with Somebody” é uma grande celebração à incomparável Whitney Houston, e estrelado pela ganhadora do Prêmio BAFTA® Naomi Ackie, em uma atuação poderosa e deslumbrante.

O filme é um retrato da complexa e multifacetada mulher por trás da voz que ficou conhecida como a melhor de sua geração.

Na trama conhecemos Whitney quando ela era uma jovem do coral da igreja de Nova Jersey. Lá, sua mãe, uma cantora famosa, e maestrina a conduzia com mãos de ferro, exigindo dela, sempre o melhor.

É a partir de uma apresentação em um clube, em que um produtor musical a ouve, que sua carreira profissional se inicia. Esse produtor é Clive Davis, que inclusive, produziu esse longa.

A partir do momento que essa jornada é iniciada, nos é apresentado, além de todo o potencial vocal e artístico de Whitney, a sua vida íntima, os seus altos e baixos, os seus problemas familiares e de relacionamentos.

É impressionante como a diretora Kasi Lemmons mostrou todas as faces da cantora, sem nem um temor, o que é ótimo para o cinema e principalmente para os fãs.

Ela conta a história do início ao fim, e é interessante falar assim, porque a gente sabe o final dela e gostaria muito, que fosse diferente.

A história foi escrita com a ajuda dos familiares e do produtor de Whitney, o que deu muito mais informações do seu dia a dia e de suas relações.

A atriz Naomi Ackie está perfeita no papel, sua interpretação é cheia de emoção, dá vida e brilho ao personagem. E além de ser talentosa como atriz, ela também é talentosa como cantora.

A obra conta com gravações originais de 22 clássicos de Whitney, remixados especialmente para o cinema, mas, apesar disso, Ackie, além de interpretar exatamente igual às performances de Whitney, cantava de verdade nas filmagens para dar mais realismo às cenas.

Confesso, que durante o filme, eu aplaudi as performances de todas as músicas. Um show à parte.

Mais um ponto super positivo para o filme é a direção de arte e figurino, eles estão perfeitos, muito bem feitos e construídos, e que também levam o espectador aos anos 1980 e 1990, eu estive lá e posso afirmar que tudo está correto.

“I Wanna Dance With Somebody” é um filme que leva o espectador para dentro dos shows da cantora, além de compartilhar a emocionante jornada que foi sua vida.

Apesar de sabermos do final da história, como já comentei acima, o filme contempla a música, a performance artística da cantora, e é isso o que os fãs querem ver na telona, uma ode à vida e à lenda que é Whitney Houston.

 


Nenhum comentário:

O Longa NINGUÉM SAI VIVO DAQUI, de André Ristum, Acaba de Ganhar Cartaz Oficial

Com roteiro inspirado no livro Holocausto Brasileiro, da jornalista Daniela Arbex, o longa NINGUÉM SAI VIVO DAQUI acompanha a jornada de Eli...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba