Crítica Filme Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore por Rita Vaz

 

Estreia nesta quinta-feira, 14 de abril, o aguardado “Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore”.

Na nova trama que traz a terceira parte da saga “Animais Fantásticos”, o professor Alvo Dumbledore (Jude Law) sabe que o poderoso mago das trevas Gerardo Grindelwald (Mads Mikkelsen) está se movimentando para assumir o controle do mundo mágico.

Incapaz de detê-lo sozinho, ele pede ao magizoologista Newt Scamander (Eddie Redmayne) que carrega em sua maleta uma coleção de fantásticos animais do mundo da magia, descoberta em suas viagens, para liderar uma intrépida equipe de bruxos, bruxas e um corajoso padeiro trouxa em uma missão perigosa, em que eles encontram velhos e novos animais fantásticos e entram em conflito com a crescente legião de seguidores de Grindelwald.

Mas o que o grupo de Scamander não sabe é que Grindelwald colocará o Mundo Mágico em uma luta contra o mundo dos trouxas. Enquanto o universo da magia fica mais dividido, Dumbledore deve decidir por quanto tempo ele ficará à margem da guerra que se aproxima.

Tal qual na franquia de Harry Potter, Animais Fantásticos também cresce ao longo de sua trajetória. No primeiro filme da franquia, a história é voltada para um modo mais infanto juvenil, com muita ação e peripécias, mas, sem se embrenhar no mundo da magia, digamos, do mal.

No segundo filme, já conhecemos a trama que envolve Dumbledore e Grindelwald, mas, não entendemos exatamente o que estava acontecendo, agora, no terceiro episódio, tudo é explicado e o tom da história se torna muito mais grave do que no primeiro.

O passado que envolve Dumbledore está muito ligado ao de Grindelwald. Inclusive nesse filme o vilão é interpretado por Mads Mikkelsen, que substitui Johnny Depp, demitido da franquia depois de polêmicas na vida pessoal.

Confesso que apesar de ser fã de Johnny Depp, Mikkelsen entrou tão bem no personagem que parece que ele já estava lá, desde o início. Inclusive, as cenas em que ele e Jude Law aparecem juntos, são as mais fortes do filme.

Em relação ao elenco, todos estão muito bem na história, entregando personagens absolutamente apaixonantes, e eu não poderia deixar de citar a atriz Maria Fernanda Cândido que interpreta Vicência Santos, a Ministra da Magia do Brasil e uma das candidatas ao cargo principal na Confederação Internacional de Bruxos.

Todas as vezes que ela aparece em cena, é muito bom de ver, além de seu importante papel na trama.

O diretor David Yates, já conhecedor profundo da trama, entrega um filme mais coeso, que deixa expectativas sim, mas, responde muitas coisas. E conta com um elenco estelar e com os efeitos especiais que estão cada vez mais bem feitos e impressionantes.

“Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore” é um ótimo filme, principalmente para quem é fã da franquia, mas, se você não assistiu aos outros longas, não tem problema, você vai conhecer a história de uma das melhores formas possíveis. Recomendo.


Nenhum comentário:

Crítica Filme Miss França por Rita Vaz

  Estreia nessa quinta-feira, a comédia dramática francesa “Miss França”, dirigida pelo ator e cineasta luso-francês Ruben Alves (Uma Famí...