Crítica Filme "Judy - Muito Além do Arco-Íris" - Rita Vaz



Estreia nesta quinta-feira, o longa “Judy”, e ele chega aos cinemas, com duas indicações ao Oscar 2020, a de Melhor Atriz para Renée Zellweger e Melhor Cabelo e Maquiagem, além de já ter ganho inúmeras premiações.

A atriz Judy Garland é considerada hoje como uma das mais importantes da Era de Ouro de Hollywood. Ela é responsável por grandes sucessos no cinema e no teatro, tanto quanto atriz, como cantora.

O longa dirigido por Rupert Goold não conta toda a história da atriz, mas, foca, no último ano de sua vida, onde ela passou por maus bocados, sérios problemas financeiros, casamentos acabados e uma sofrida separação dos filhos.

Mas, faz isso com intercessões do passado, justamente da época em que ela protagonizou “O Mágico de Oz”, quando tinha apenas quatorze anos, mostrando, talvez, o que acabou moldando a sua personalidade adulta.

Parece inconcebível, mas no longa percebemos como Judy Garland era uma pessoa solitária.
Apesar de todo o seu passado de sucesso, alguma coisa deu errado e ela sucumbiu diante de tantos acontecimentos negativos em sua vida.

Porém, percebemos também que, apesar de tudo o que deu errado, ela mantinha o bom humor, e o talento brilhante que ela tinha, permaneceu até o fim.

O diretor Rupert Goold fez uma obra digna, que apesar das falências da atriz, respeita sua dignidade e mostra ao público, o que eu considero, somente a ponta do iceberg.

O problema que a atriz tinha com o alcoolismo, por exemplo, é mostrado de forma sucinta, sem jamais cair no vexaminoso.

O filme é grandioso, tanto nos cenários, com os teatros e suas big bands, quanto no figurino, ambos belíssimos, de época e glamourosos.

Além disso, o longa é uma história de personagem, ele foca cem por cento na atriz que é magistralmente interpretada por Renée Zellweger.

Aliás, depois que assistimos o filme entendemos o porquê de tantas indicações e premiações, Renée Zellweger se transforma em Judy Garland.

São os trejeitos faciais e corporais, intimamente interpretados por ela; são as canções lindamente cantadas e também interpretadas por ela.

“Judy – Muito Além do Arco-Íris” conta uma história triste, mas, uma história linda, que em determinados momentos arrepia a pele da plateia, de uma forma emocionante.

Se você gosta de cinema, se você gosta de Judy Garland, se você gosta de Renée Zellweger, seja lá qual for o motivo, não deixe de ver esse filme que fala muito da indústria do cinema.

Título Original: Judy
Gênero: Drama
Duração: 1 hora e 58 minutos
Ano de Lançamento: 2020
Direção: Rupert Goold
Elenco: Renée Zellweger, Jessie Buckley, Finn Wittrock, Rufus Sewell, Michael Gambon, Bella Ramsey, Royce Pierreson, John Dagleish, Andy Nyman, Daniel Cerqueira.

Nenhum comentário:

A ILHA DA FANTASIA lançamento HOJE nas plataformas digitais

Após um longo período sem lançamentos diretamente dos cinemas, a Sony Pictures Home Entertainment anuncia o lançamento exclusivo de A Ilha d...