Crítica do Filme "A Odisseia dos Tontos" - Rita Vaz



Se você pesquisar sobre a crise econômica que atingiu a Argentina em 2001, vai encontrar textos que dizem mais ou menos que o que aconteceu foi um desastre político e econômico que ensanguentou suas ruas com repressão, resultou em cinco presidentes em uma semana e marginalizou o país do sistema financeiro internacional.

E é nesse cenário que o longa “A Odisseia dos Tontos” acontece.

Em uma cidade no interior da Argentina, durante a crise econômica, um grupo de amigos decide reunir uma quantia específica de dinheiro, para juntos montarem uma cooperativa para poderem trabalhar de modo mais digno e quem sabe melhorarem de vida.

Acontece que logo depois que eles conseguem um montante razoável e o depositam no banco, um golpe do governo lhes tira tudo.

Por lei, todo cidadão argentino pode sacar, a partir daquele momento, somente 250 pesos por dia, de suas contas.

O sonho de todos do grupo vai por água abaixo, e a tristeza se instala.

Mas, um dos amigos do grupo fica sabendo da possibilidade de alguém ter tido a informação de que o governo iria bloquear o dinheiro e sacado tudo o que pôde do banco, inclusive o dinheiro deles.

A partir desse episódio eles farão de tudo para reaver o dinheiro, que supostamente possa estar com um determinado indivíduo da pequena cidade.

Eles não querem roubar ninguém, eles querem justiça.

“A Odisseia dos Tontos” é um filme realista, que em determinados momentos emociona e em outros nos faz rir.

Apesar do tema pesado, o diretor Sabastián Borensztein consegue fazer um filme leve, que prende a atenção do espectador e o faz torcer por um grupo que, talvez, esteja fazendo algo errado, mas torce porque também quer justiça.

O elenco, basicamente composto por homens, está ótimo e divertido em cena.

O ator Ricardo Darín que protagoniza a história está excelente como sempre, entregando um personagem digno e sensível, e todos os outros atores com suas peculiaridades em cena, dão um show à parte.

As poucas mulheres em cena, muito bem representadas pelas atrizes Verónica Llinás e Rita Cortese são importantes para que a história aconteça.

Logo no início do filme, o narrador fala do significado da palavra “tonto”, que é aquele que é enganado, passado para trás, mas, fica claro que o tonto no filme, são todas as pessoas que são obrigadas a passar na vida o que os políticos resolvem ou não, do alto de seus comandos.

“A Odisseia dos Tontos” é um ótimo filme para você se divertir e para você refletir sobre as várias crises econômicas pelas quais acabamos nos acostumando a passar.

Mais uma excelente obra do cinema argentino. Recomendo!

Título Original: La Odisea de los Giles
Gênero: Drama/Aventura/Comédia
Duração: 1 hora e 56 minutos
Ano de Lançamento: 2019
Direção: Sebástian Borensztein
Elenco: Ricardo Darín, Luis Brandoni, Chino Darín, Verónica Llinás, Daniel Aráoz, Carlos Belloso, Rita Cortese, Andrés Parra.

Nenhum comentário: