Crítica Filme - Bingo: O Rei das Manhãs - Rita Vaz


Na década de 1980, a versão brasileira do programa do palhaço Bozo, foi um absoluto sucesso, e se tornou um dos maiores clássicos infantis da televisão brasileira.
Produzido em mais de 40 países, a versão brasileira que estreou em setembro de 1980, ficou no ar até março de 1991.
Vários atores interpretaram o palhaço Bozo, mas é a partir de Arlindo Barreto, que essa cinebiografia foi inspirada.
No filme, com os nomes alterados, por conta de direitos autorais, conhecemos Augusto (Arlindo), filho da atriz, diva e jurada de programas de televisão, Martha (Marcia de Windsor), que está um tanto esquecida da mídia e passa por um momento depressivo.
Augusto é ator de pornochanchadas, mas tenta outros papéis na televisão e um uma dessas idas, ele faz o teste para ser o novo palhaço Bingo (Bozo) em um programa matinal.
Depois de conseguir convencer o dono da franquia norte-americana e a sisuda diretora do programa, ele passa a estudar a profissão de palhaço para conquistar o público infantil.
Mas, o que a princípio parecia somente mais um item de um contrato, passa a ser um pesadelo para Augusto.
No contrato está acordado que ele nunca poderia revelar a sua identidade para o público, ele seria conhecido somente como Bingo, nunca como Augusto.
Em uma corrida perigosa e cheia de estratégias, para conseguir alcançar o primeiro lugar no Ibope da manhã, Augusto vai se perdendo em meio a drogas, luxúria e a falta de reconhecimento.
O diretor Daniel Rezende, estreante no cargo, entrega um filme repleto de emoção e dramaticidade.
A direção de arte que nos leva rapidamente à década de 1980, é primorosa.
E o ator Vladimir Brichta constrói um personagem, que por trás de uma máscara alegre, é confuso, perdido, levado por situações fáceis e também trágico.
“Bingo – O Rei das Manhãs” é um filme pesado, um tanto triste, mas real. Como o próprio Arlindo disse, tudo o que está no longa, aconteceu, nem sempre exatamente do jeito que é mostrado, mas aconteceu.
Recomendo como um dos melhores filmes nacionais do ano.

Título Original: Bingo – O Rei das Manhãs
Gênero: Drama/Biografia
Duração: 1 hora e 48 minutos
Ano de Lançamento: 2017
Direção: Daniel Rezende,
Elenco: Vladimir Brichta, Leandra Leal, Augusto Madeira, Ana Lucia Torre, Tainá Muller, Emanuelle Araújo, Cauã Martins, Soren Hellerup.


RITA VAZ

Nenhum comentário: