Crítica Filme "Furiosa Uma Saga Mad Max" por Rita Vaz

Estreia nesta quinta-feira o filme “Furiosa – Uma Saga Mad Max” do cineasta George Miller, que já dirigiu longas como “Era Uma Vez um Gênio”, “Mad Max” e outros.

No estilo Mad Max de ser, “Furiosa” apresenta um mundo ficcional pós-apocalíptico, na melhor estética já produzida.

George Miller, o grande condutor dessa saga, sabe exatamente o que colocar em cena e o que não colocar, além de escalar grandes estrelas para o seu elenco, tendo Anya Taylor-Joy e Chris Hemsworth como protagonistas.

A trama revela a história de origem da guerreira renegada Furiosa, anteriormente interpretada por Charlize Theron, narrando sua jornada até se unir a Max em Mad Max: Estrada da Fúria (2015).

O enredo segue uma jovem Furiosa (Anya Taylor-Joy), sequestrada de seu lar, o Lugar Verde de Muitas Mães, por uma grande horda de motoqueiros liderada pelo senhor da guerra Dementus (Chris Hemsworth).

Muito tempo depois, cruzando Wasteland, eles alcançam a Cidadela, dominada pelo Immortan Joe (Lachy Hulme). Enquanto os dois tiranos disputam o domínio, Furiosa se vê envolvida em uma batalha incessante para retornar ao seu lar.

No início da trama, quando Furiosa, interpretada pela ótima atriz mirim Alyla Browne, é sequestrada por motoqueiros de Dementhus, nós já entendemos que ela é o tipo de garota que nasceu em um mundo realmente violento e que desde criança aprendeu a se defender, e a defender os seus.

Em um mundo dominado pela selvageria de alguns, a necessidade de se defender, aprendendo técnicas diversas para tudo o que for possível, é vital, literalmente. E digo isso, para entendermos o porquê de uma pessoa, desde criança, ter uma inteligência e coragem acerbadas.

E isso só vai se provando, cada vez mais ao longo da trama, até chegarmos ao momento em que conhecemos a personagem, em outra história (a de 2015), e absolutamente tudo, faz sentido.

O elenco é sensacional em suas diversas formas e personagens, dos mais variados, e imagináveis possível. A estética do filme, já provou que um mundo à parte, foi criado, e muitas coisas mais podem sair dele.

Os efeitos especiais estão cada vez melhores, é impressionante como a qualidade das imagens, das coreografias, dos trejeitos corporais e faciais são bem feitos. Tudo está excelente nesse filme.

“Furiosa: Uma Saga Mad Max” é um filmaço, tem que ser visto no cinema, tanto pela imponência das imagens, quanto pela grandiosidade da história, de seu elenco e de sua direção.

Uma experiência única na telona, que vale seu investimento de tempo e dinheiro. Super recomendo!

 

Nenhum comentário:

Clube dos Vândalos, novo filme do diretor Jeff Nichols com Austin Butler e Tom Hardy, estreia hoje (20) nos cinemas

Estreia hoje nos cinemas de todo o país Clube dos Vândalos, produção da Universal Pictures que marca o retorno do diretor Jeff Nichols às te...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba