Crítica Filme "Uma Vida – A História de Nicholas Winton" por Rita Vaz.

Estreia nesta quinta-feira o filme “Uma Vida - A História de Nicholas Winton”, com direção do cineasta James Hawes, que tem em seu currículo séries como “Black Mirror”, “Expresso do Amanhã” e outras.

Baseado na obra homônima escrita por Barbara Winton, e publicada no Brasil pela editora Cultrix, o longa conta a história do britânico que ajudou a salvar 669 crianças judias da morte, nos momentos que antecederam o início da Segunda Guerra Mundial. 

Nicholas Witon (Anthony Hopkins) em 1938, visitou Praga e se horrorizou com famílias vivendo em condições extremamente precárias, sob a constante ameaça de uma invasão nazista.

Compadecido com a situação, Nicholas junto com um grupo de apoio, conseguiu ajudar, principalmente crianças, a fugirem do Holocausto e irem para a Inglaterra antes das fronteiras serem fechadas.

Na Câmara dos Comuns, ele conseguiu que fosse aprovada uma medida que permitia a entrada de refugiados na Grã-Bretanha com menos de 17 anos, desde que tivessem um lugar para ficar e que uma garantia de 50 libras fosse depositada, por pessoa, para garantir seus eventuais retornos aos seus países de origem.

Foram algumas viagens de trem, extremamente tensas e cheias de pressão com o tempo limitado, que salvaram muitas crianças.

Entretanto, décadas depois, Nicholas Winton ficou atormentado com o sentimento de culpa pensando naqueles que ele não conseguiu resgatar. Somente quando ele reencontrou com uma sobrevivente que ele ajudou é que conseguiu se livrar do peso da culpa.

O diretor James Hawes faz um filme contundente, forte, que mexe com o espectador, pois consegue inserir na trama, nuances de uma pessoa que não fala o que faz para o outro, uma pessoa que cala os seus próprios atos heroicos, por não considerar grande o que fez, e sim por considerar um feito justo.

E por mostrar a situação precária e de horror que as pessoas estavam passando na época, de uma maneira muito forte.

Ele conta com uma maravilhosa direção de arte, de fotografia e com um elenco de tirar o chapéu, tendo Anthony Hopkins como seu protagonista. Esse ator é como o vinho, quanto mais envelhece, melhor fica. Palmas para sir Hopkins, sempre.

“Uma Vida – A História de Nicholas Winton” é um filme belíssimo, emocionante, e principalmente importante. Muitas ou todas as pessoas deveriam conhecer essa história, primeiro para não esquecer do horror da guerra, segundo para conhecer esse herói anônimo e terceiro para ter esperança, pois essa história renova nossos sentimentos em relação ao ser humano.

O fechamento do filme (isso não é spoiler), com o encontro dele com uma das crianças que ele salvou, é uma das melhores cenas que você vai ver no cinema. Ela é absolutamente catártica e emocionante.

Recomendo muito!

 

Nenhum comentário:

Lifetime Movies exibe programação especial de quatro dias em comemoração ao Dia Internacional do Livro

LIVROS, CÂMERA, AÇÃO! apresenta produções inspiradas em sucessos literários a partir do dia 23/4 O Jardim dos Esquecidos ESPECIAL DIA INTER...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba