Da Sato Company: GODZILLA MINUS ONE e O MENINO E A GARÇA no Oscar 2024

Na manhã de terça-feira, 23 de janeiro, O MENINO A GARÇA, o mais novo filme do lendário diretor japonês Hayao Miyazaki, foi anunciado como um dos cinco finalistas na categoria de Melhor Animação em Longa-Metragem do Oscar 2024. Nesta 96ª edição de premiação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, o grande sucesso de público e crítica desponta como favorito a levar a estatueta dourada.

Também da Sato Company, GODZILLA MINUS ONE conquistou uma vaga na categoria de Melhores Efeitos Visuais. Em exibição nos cinemas brasileiros, onde já fez mais de 240 mil espectadores, o longa-metragem do icônico daikaijū, que apareceu na lista de melhores filmes de 2023 em um sem número de publicações, tem torcida garantida para a vitória no departamento.

Ganhador do Oscar por “A Viagem de Chihiro”, em 2003, Miyazaki é considerado uma lenda viva da animação e do cinema japonês. Entre seus filmes estão, também, “Meu Vizinho Totoro”, “O Castelo Animado”, “Vidas ao Vento”, “Ponyo: Uma Amizade que Veio do Mar” e “Lupin: The Castle of Cagliostro” (esse último também da Sato Company). 

Toshio Suzuki, produtor e co-fundador do Studio Ghibli, compartilhou uma declaração no X (antigo Twitter) agradecendo ao Prêmio: “Estou muito feliz em saber que O Menino e a Garça recebeu um prêmio no histórico Globo de Ouro. Este é o primeiro Globo de Ouro concedido a um filme do Studio Ghibli e é uma sensação muito especial. Desde o início deste ano, o Japão foi atingido por uma série de trágicos terremotos e acidentes. Quando ouço relatos de muitas pessoas que ainda aguardam resgate nas áreas do desastre, fico cheio de desespero. Em tal situação, espero que a boa notícia da conquista de um prêmio possa trazer um sorriso ao rosto de todos, mesmo que apenas um pouco. Juntamente com nossos parceiros de distribuição nos EUA, esperamos obter ainda mais sucesso com o filme. Muito obrigado ao Globo de Ouro por esta homenagem."

Ainda segundo o produtor Toshio Suzuki, a produção do longa se iniciou em 2016. Na ocasião, Miyazaki havia anunciado sua aposentadoria, mas abandonou a ideia para desenvolver esse projeto, que causou muita curiosidade em seu anúncio, já que o diretor manteve um grande segredo sobre o nome e a sinopse do longa.

O MENINO E A GARÇA é uma fantasia cujo roteiro é assinado pelo mesmo diretor, e apesar de se referir ao romance homônimo de 1937, de Genzaburō Yoshino, é uma história original, que tem como protagonista Mahito Maki, um garoto de 12 anos, que vive no Japão de 1943, durante a Guerra do Pacífico.

Após a morte de sua mãe, seu pai se casa com a irmã mais nova dela, e se mudam para a casa dela no campo. Nesse ambiente, Mahito conhecerá uma garça cinza que o levará a uma torre misteriosa, onde viverá uma jornada na qual descobrirá a verdade sobre si.

O roteiro é, assumidamente, baseado em experiência do próprio Miyazaki em sua infância, e entre as mensagens do longa está a possibilidade da paz entre as nações num mundo marcado pelo conflito.

De acordo com o The Japan Times, “O MENINO E A GARÇA ressalta a importância das crianças, das novas gerações, em superar os erros e as guerras do passado, forjando um futuro melhor, de mais compreensão e reciprocidade.”

Em sua estreia nos EUA, no dia 8 de dezembro, o filme ficou em primeiro lugar nas bilheterias, arrecadando US$ 10 milhões no primeiro final de semana e foi lançado na mesma semana que GODZILLA MINUS ONE, também da Sato Company, que ficou em terceiro lugar. No Japão, a produção conquistou US$ 54 milhões, tornando-se o terceiro maior lançamento do ano. Ao todo, O MENINO E A GARÇA já arrecadou US$ 160 milhões ao redor do mundo, provando a potência e o apelo do cinema asiático atualmente.

Nenhum comentário:

Festival de Cinema Brasileiro de Paris anuncia programação completa de sua 26ª edição

"Nas Ondas de Dorival Caymmi", "Barravento", "Nosso Sonho" e "Meu Nome É Gal".  O Festival de Cinema...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba