Sexta temporada da série "Amar o Mar" apresenta o mundo fascinante da reprodução dos corais brasileiros

Créditos: Projeto Coral Vivo/Divulgação

A sexta temporada da série "Amar o Mar" apresenta imagens inéditas de tirar o fôlego de um dos fenômenos mais fascinantes da natureza: a reprodução dos corais brasileiros. Com produção do Projeto Coral Vivo, patrocinado pela Petrobras, os novos episódios estreiam no dia 18 de dezembro no canal do YouTube do Coral Vivo. Os capítulos, com pouco mais de um minuto de duração, apresentam ao espectador um fascinante mergulho nos recifes de coral, acompanhando a reprodução de espécies essenciais para a biodiversidade marinha. 

A nova temporada, que foca nos corais brasileiros, busca alertar o público sobre as consequências negativas do aquecimento global para a saúde dos recifes. Com a chegada do El Niño, pesquisadores do Projeto Coral Vivo reforçam que é esperada uma grande onda de calor para o verão de 2023/24, o que pode aumentar as taxas de mortalidade de corais com mais eventos de branqueamento, fenômeno causado pelo aquecimento das águas do oceano. 

“Começamos essa linha de pesquisa inédita no Brasil sobre a reprodução de corais no Museu Nacional/UFRJ, na década de 1990. Costumo brincar que nos metemos na vida dos corais e, com a ajuda de muita gente, desvendamos muita coisa. A possibilidade de descobrir os dias e horários da reprodução das espécies, com o objetivo de buscar recuperar os recifes e perpetuá-los, foi o que motivou a criação do Projeto Coral Vivo. Essa nova série nos brinda esses 30 anos de pesquisa e 20 anos do Projeto no avanço do conhecimento sobre esses eventos fundamentais para a manutenção e renovação dos nossos recifes de coral”, explica Débora Pires, bióloga marinha e fundadora do Projeto Coral Vivo.

“Conhecer um pouco sobre o modo de vida dos corais, como eles se reproduzem e se interrelacionam com o meio e com os demais organismos nos faz refletir sobre a origem comum da vida no planeta, inclusive de nós, seres humanos. E que a colaboração entre as espécies – mais talvez até que outras formas de interação – é a chave para a sobrevivência e o sucesso dessa história que começou no oceano deste pequeno planeta azul do sistema solar há mais de três bilhões de anos”, destaca Alvaro Migotto, professor do Centro de Biologia Marinha da Universidade de São Paulo.

O primeiro episódio, intitulado "A Reprodução dos Corais", abre a temporada apresentando os seres que são os protagonistas da temporada, os corais. Na jornada guiada pelos pesquisadores do Coral Vivo, em parceria com CEBIMAR/ USP, o espectador pode conferir o desenvolvimento das larvas, os primeiros pólipos fundadores e a formação das grandes colônias, que formam cidades submarinas - os recifes de coral – os ambientes de maior biodiversidade do ambiente marinho.  noite da reprodução de corais. As águas tranquilas são o cenário para que diferentes espécies possam se reproduzir, cada qual da sua forma. As imagens em altíssima definição mostram a desova das colônias de coral-vela, que ocorre em sincronia e, em seguida, a fertilização, no balanço da maré. Já os corais barriguinha-amarela têm os ovócitos fecundados dentro das colônias e, depois, as larvas são liberadas já prontas para se dispersar no mar. Não importa se é na dança das águas ou no aconchego da colônia que a fertilização acontece, a maravilha é que assim começa mais um ciclo da vida.

"Sincronia é Tudo", terceiro episódio, fala sobre a relação entre fenômenos da natureza e a reprodução dos corais. Para algumas espécies, existem estímulos que atuam como gatilhos para que a vida se perpetue. Neste mergulho, imagens mostram a influência da Lua Nova no pico reprodutivo das colônias de coral-vela. Ao longo de 1.200 quilômetros da costa, estes animais desovam ao mesmo tempo, em perfeita sincronia com a lua.

O quarto, "Pequena Larva, Grande Desafio" apresenta a jornada das pequenas larvas de corais, como as do coral-barriguinha-amarela, que no futuro se tornarão colônias de corais. O público irá conhecer os desafios para a dispersão das larvas, a colonização de novos espaços nos oceanos e como estes seres se mantêm vivos. 

A viagem segue no quinto capítulo, "O Recruta e Seus Clones", que mostra a transformação das larvas em pólipo. Chamados de recrutas, eles irão se tornar os fundadores dos corais, que constroem os recifes. Imagens impressionantes mostram o fascinante crescimento das colônias, processo lento, que pode demorar séculos até alcançar o amadurecimento. 

O sexto episódio, "A Resiliência dos Corais Brasileiros" faz um alerta importante sobre os perigosos impactos do aquecimento dos oceanos na vida dos recifes. Será apresentado o resultado de uma pesquisa inédita, realizada pelo Coral Vivo, sobre a resiliência dos corais. Nela, revelam-se informações sobre a capacidade de algumas espécies de corais brasileiros de se adaptar ao estresse térmico e às mudanças que estamos vivendo neste momento no planeta Terra. 

No último episódio, "Um Mergulho de Descobertas", os pesquisadores chamam a atenção para o aquecimento global. O aumento da temperatura pode branquear as larvas de coral antes mesmo de virarem recrutas para dar início a uma nova colônia, prejudicando a formação das belas e importantes cidades submersas, que dão abrigo e refúgio para milhares de espécies marinhas.

A sexta temporada de "Amar o Mar" conta ainda com uma trilha sonora exclusiva composta pelo músico Ruy Galdino. Os primeiros episódios trazem canções com tons românticos, misturando violão, violino e flauta transversal. Conforme o seriado avança, a trilha ganha sons mais aventureiros, com toques de violão, berimbau, percussão e “handpan”. 

SOBRE O CORAL VIVO

O PROJETO CORAL VIVO nasceu no Museu Nacional/UFRJ, a partir de pesquisas em recifes e ambientes coralíneos brasileiros. Desde 2006, com o patrocínio da Petrobras, além de parcerias locais e nacionais, passou a atuar junto a vários setores da sociedade, como os órgãos governamentais; as universidades e escolas; os conselhos gestores; o segmento de turismo; os pescadores e os coletivos jovens. O projeto possui uma Rede de Pesquisas com 13 instituições envolvidas e uma Base de Pesquisas e Visitação em Porto Seguro (BA). Suas ações de conscientização incluem formações para educadores, desenvolvimento de projetos em escolas, exposições e a edição e difusão de publicações e vídeos de divulgação científica. O projeto tem vários e importantes livros publicados, disponibilizados gratuitamente para download em seu site, alguns deles alvos de ações de adoção extraordinárias por parte de diversas secretarias municipais de educação, além de uma produção científica robusta e internacionalmente reconhecida e referendada. 

Além disso, o Coral Vivo integra a Rede BIOMAR, junto com os projetos Albatroz, Baleia Jubarte, Golfinho Rotador e Meros do Brasil. Patrocinados pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental, eles atuam de forma complementar na conservação da biodiversidade marinha do Brasil. As ações do Projeto Coral Vivo são viabilizadas também pelo copatrocínio do Arraial d’Ajuda Eco Parque.

O Coral Vivo faz parte também da Rede de Conservação das Águas da Guanabara e Entorno (REDAGUA), que reúne, igualmente, todos projetos apoiados pela Petrobras. A rede tem como objetivo promover a conservação da biodiversidade, prestação de serviços ecossistêmicos, restauração ambiental, pesquisa, educação ambiental, inclusão social e comunicação na região da Baía de Guanabara e entorno, sendo constituída pelos Projetos Coral Vivo, Guapiaçu, Meros do Brasil e Uçá.

Nas redes sociais, o Coral Vivo já tem mais de 380 mil seguidores e em seu canal do Youtube veicula uma produção audiovisual diferenciada em termos de sensibilização e conteúdo. Venha mergulhar nessas redes para saber mais e, quem sabe, ser colaborador e apoiador do Coral Vivo: coralvivo.org.br

Ficha Técnica:

PRODUÇÃO: Instituto Coral Vivo

DIREÇÃO: Fábio Negrão

ROTEIRO: Thaís Falcão, Débora Pires, Bia Hetzel e Marina Angeli

LOCUÇÃO: Marina Angeli

ARGUMENTO: Débora Pires e alunos do Projeto de Extensão Universitária do Projeto Coral Vivo

ASSESSORIA CIENTÍFICA: Débora Pires, Alvaro Migotto e Miguel Mies

TRILHA SONORA:  Rui Galdino, Luís Felipe Silva, David Felipe Almeida e Leandro Didgeridoo 

IMAGENS: Eco360; Alvaro Migotto; Fábio Negrão; Galdi Valentim, Clovis Castro e Isabela Seiblitz

IMAGENS MICROSCÓPICAS: Alvaro Migotto

EDIÇÃO: Eco360 

DESIGNER: Gabriela Dias

Nenhum comentário:

Festival de Cinema Brasileiro de Paris anuncia programação completa de sua 26ª edição

"Nas Ondas de Dorival Caymmi", "Barravento", "Nosso Sonho" e "Meu Nome É Gal".  O Festival de Cinema...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba