Mostra Comemorativa 30 Anos do Festival de Cinema de Vitória divulga programação


Contar a história das três décadas de existência do Festival de Cinema de Vitória (FCV) por meio da sua principal atração: os filmes. Essa é a proposta da Mostra Comemorativa 30 Anos do Festival de Cinema de Vitória, que promove sessões que apresentam um recorte do audiovisual brasileiro a partir dos filmes que foram exibidos no festival. O evento acontece de 14 a 18 de junho, no Sesc Glória e no Hotel Senac Ilha do Boi, além do Cine Metrópolis, em Vitória. Toda a programação é gratuita. 

“São três décadas de Festival de Cinema de Vitória. Foram trinta anos de inúmeros desafios, tanto para nós que realizamos o festival quanto para quem produz cinema no Brasil. Mas ao mesmo tempo, foram tempos de luta,  realizações e alegrias. Esse recorte, que será apresentado na Mostra Comemorativa 30 Anos, é uma prova da força do audiovisual brasileiro. Da criatividade de seus realizadores e suas equipes, que com suas produções originais, emocionantes e divertidas, contam a história do nosso país”, afirma Lucia Caus, diretora do Festival de Cinema de Vitória.  

Em 30 anos, o Festival de Cinema de Vitória recebeu aproximadamente 500 mil espectadores, além de exibir mais de 2 mil filmes, entre curtas e longas-metragens, vindos de todas as regiões do país. Os números que cercam o Festival traduzem a importância do mais tradicional evento cinematográfico do Espírito Santo, como uma vitrine para as novas produções do audiovisual brasileiro, fazendo-as chegar à população de Vitória, e também sendo um importante veículo de intercâmbio entre profissionais que desenvolvem a cadeia da produção do audiovisual.


SESC GLÓRIA 

O Sesc Glória será palco das sessões especiais da Mostra Comemorativa 30 Anos do Festival de Cinema de Vitória. De 14 a 18 de junho, quarta-feira a domingo, serão exibidos 25 curtas e cinco longas-metragens divididos em três janelas de exibição: Sessão Retrospectiva de Curtas-Metragens, com 20 filmes das mais diferentes linguagens e de várias regiões do Brasil; Sessão Retrospectiva de Longas-Metragens, com a exibição de cinco importantes longas que trazem um recorte da produção autoral brasileira; e a Sessão Espírito Santo em Retrospectiva, janela que exibirá cinco curtas-metragens que jogam luz sobre a produção de realizadores capixabas. 

As Comissões de Seleção priorizaram obras que dialogassem com as transformações sociais que acontecem no Brasil e que encontram no audiovisual um importante espaço de debate e representatividade, além do valor estético.  As sessões de curta-metragem contaram com a curadoria da cineasta, produtora e curadora Flavia Candida; do cineasta, curador, escritor, pesquisador na área audiovisual e e professor da Ufes Erly Vieira Jr; e do mestre em Cinema e Artes do Vídeo, curador e produtor do programa TV É Cinema, Waldir Segundo.  A sessão de longas, teve a seleção de Gilberto Alexandre Sobrinho, que é pesquisador na área do cinema e audiovisual e professor do Instituto de Artes da Unicamp. 

A Sessão Retrospectiva de Curtas-Metragens, acontece de 15 a 18 de junho, sempre às 14 horas, na Sala Marien Calixte. Fazem parte da programação os filmes são Angelo Anda Sumido (RS, 1997), de Jorge Furtado (exibido no 4º FCV); Castelos de Vento (MG, 1998), de Tania Anaya (exibido no 6º FCV); No Princípio Era o Verbo (ES, 2005), de Virgínia Jorge (exibido no 12º FCV); Chupa-Cabras (ES, 2005), de Rodrigo Aragão (exibido no 13º FCV); Rap, o Canto da Ceilândia (DF, 2005), de Adirley Queirós (exibido no 13º FCV); Ensaio de Cinema (RJ, 2009), de Allan Ribeiro (exibido no 16º FCV); Sweet Karolynne (PB, 2009), de Ana Bárbara Ramos (exibido no 16º FCV); Meninos (ES, 2009), de de Ursula D’Art (exibido no 16º FCV); Praça Walt Disney (PE, 2011), de Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira (exibido 18º FCV); O Duplo (SP, 2012), de Juliana Rojas (exibido no 19º FCV); Quinze (MG, 2014), de Maurílio Martins (exibido no 21º FCV); No Devagar Depressa dos Tempos (SP, 2014), de Eliza Capai (exibido no 21º FCV); Virgindade (PE, 2014), de Chico Lacerda (exibido no 22º FCV); A Festa e os Cães (CE, 2016), de Leonardo Mouramateus (exibido no 22º FCV); Kbela (RJ, 2015), de Yasmin Thayná (exibido no 23º FCV); Eclipse Solar (ES, 2016), de Rodrigo de Oliveira (exibido no 23º FCV); Na Missão, com Kadu (MG/ PE, 2016), de Aiano Bemfica, Kadu Freitas e Pedro Maia de Brito (exibido no 23º FCV); Alma Bandida (MG, 2018), de Marco Antônio Pereira (exibido no 25º FCV); Perifericu (SP, 2020), de Rosa Caldeira, Vita Pereira, Sthefanny Fernanda e Nay Mendl (exibido no 27º FCV); A Morte Branca do Feiticeiro Negro (SC, 2020), de Rodrigo Ribeiro Andrade (exibido no 27º FCV). 

Já a Sessão Espírito Santo em Retrospectiva, será exibida na programação noturna, a partir das 19h, no Teatro Glória. Os filmes que compõem a programação são Perto da Minha Casa (ES, 2013), de Diego Locatelli e Carol Covre (exibido no 20º FCV); A Cor do Fogo e a Cor da Cinza (ES, 2014), de André Felix (exibido no 21º FCV); O Projeto do Meu Pai (ES, 2016), de Rosaria (exibido no no 23º FCV); Para Todas as Moças (ES, 2019), de Castiel Vitorino Brasileiro, (exibido no 27º FCV); e Inabitáveis (ES, 2020), de Anderson Bardot (exibido no 27º FCV).  Logo após, o público confere a Sessão Retrospectiva de Longas-Metragens com os filmes Quase Dois Irmãos (RJ, 2004), de Lucia Murat (exibido no 11º FCV); o documentário Corumbiara (RO, 2009), de Vincent Carelli (exibido no 16º FCV); O Som ao Redor (PE, 2012), de Kleber Mendonça Filho (exibido  no 19º FCV); A História da Eternidade (PE, 2014), de Camilo Cavalcante (exibido no 21º FCV); e Ela Volta na Quinta (MG, 2014), de André Novais Oliveira (exibido no 22º FCV). 


MOSTRA A CINEMATECA É BRASILEIRA 

O Festival de Cinema de Vitória, em parceria com a Sociedade Amigos da Cinemateca, promove a estreia nacional da mostra itinerante A Cinemateca é Brasileira, que reúne títulos de diferentes momentos históricos, propostas estéticas e abordagens temáticas,  demonstrando a riqueza do cinema brasileiro ao longo de mais de um século de história. 

O filme, que será exibido dentro da programação da Mostra Comemorativa 30 Anos do Festival de Cinema de Vitória, é uma das produções iniciais do cinema brasileiro, o mitológico e vanguardista Limite, único trabalho realizado pelo diretor Mário Peixoto. A sessão acontece no dia 14 de junho, às 14 horas, na Sala Marien Calixte, no Sesc Glória. 

Nenhum comentário:

Festival de Cinema Brasileiro de Paris anuncia programação completa de sua 26ª edição

"Nas Ondas de Dorival Caymmi", "Barravento", "Nosso Sonho" e "Meu Nome É Gal".  O Festival de Cinema...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba