Crítica Filme "Renfield Dando Sangue Pelo Chefe" por Rita Vaz.


Estreia nesta quinta-feira o ótimo filme “Renfield: Dando Sangue Pelo Chefe”, que é dirigido por Chris McKay (“A Guerra do Amanhã”, “LEGO Batman: O Filme”), tem roteiro escrito por Ryan Ridley (séries “Ghosted” e “Rick & Morty”), e é baseado em um argumento original de Robert Kirkman, criador das séries “The Walking Dead” e “Invencível”.  

O mal não atravessa a eternidade sem uma pequena ajuda.

Neste moderno conto cinematográfico de monstros sobre o leal servo de Drácula, Nicholas Hoult (Mad Max: Estrada da Fúria, franquia X-Men) é Renfield, o sofrido ajudante do chefe mais narcisista da história, Drácula (Nicolas Cage, vencedor do Oscar).

Renfield é forçado a encontrar as vítimas para seu mestre e fazer tudo o que ele lhe pede, qualquer que seja o grau de degradação da ordem recebida.

Mas, agora, depois de séculos de servidão, Renfield está pronto para descobrir se há vida lá fora, para além da sombra do Príncipe das Trevas. Se pelo menos ele puder descobrir como dar fim à sua dependência dele...

Esse é o mote da história que subversivamente, foca no servo e não no mestre.

Mestre este, já tão falado, contado e assistido há décadas. Tanto, que no longa em questão, há diversas referências aos dráculas que já passaram pela telona e marcaram época, como “Nosferatu” de 1922 com o ator Max Schreck, “Drácula” de 1931 com o ator Bela Lugosi e “O Vampiro da Noite” de 1958 com Christopher Lee.

Para quem gosta do gênero “terrir”, esse filme é perfeito, ele é exatamente isso, mas, pensa em um banho de sangue e pedaços de corpos, é exatamente isso que você vai encontrar.

A direção de Chris McKay está ótima, pois, entrega o que a gente espera de um filme como esse. Além do que já mencionei acima, tem também as coreografias das lutas e dos embates, que são muito bem-feitas.

O elenco está ótimo e alinhadíssimo na história. Primeiramente com Nicholas Caige entregando um drácula que faz rir, que amedronta e que dá nojo durante a trama. Ele está realmente ótimo no papel. E o legal dele, nesse personagem também, é que apesar do seu longo histórico em recusar papéis secundários, ele aceitou participar do filme, já que interpretar o Conde Drácula era um de seus sonhos.

O ator Nicholas Hoult também está ótimo, como o servo hora fraco e amedrontado, e hora forte e dono de si, que interpreta então, várias nuances em um mesmo indivíduo. E a atriz Awkaafina faz mais uma vez, uma personagem que é a sua cara, tem o seu estilo e faz toda a diferença na história.

“Renfield Dando Sangue Pelo Chefe” é um filme repleto de ação, de violência, de sangue e tem a censura de 18 anos. Então, se você for assistir, vá de estômago forte, mas, saiba que você também vai rir muito, pois, a história é muito bem-feita e muito bem contada.

E além disso tudo, a história pode ser uma grande metáfora de como as pessoas ficam dependentes de outras pessoas, ou outras coisas, e podem sim, apesar de o processo ser doloroso, se livrar de seus “vampiros”. Recomendo muito!

 

Nenhum comentário:

Canal Brasil reexibe episódios de "O Papel da Vida", conduzidos por Marina Person

“ O Papel da Vida ”, programa apresentado por Marina Person durante 2 anos no Canal Brasil, terá alguns episódios reprisados a partir de seg...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba