Crítica Filme "Até os Ossos" por Rita Vaz (Estreia nesta quinta 01/12).


Estreia nesta quinta-feira em todos os cinemas, o filme “Até os Ossos” do diretor Luca Guadagnino (do também ótimo “Me Chame Pelo Seu Nome”).

Baseado no romance homônimo de Camille DeAngelis, situado nos anos 1980, acompanhamos Maren Yearly (Taylor Russell), uma jovem que quer as mesmas coisas que todos nós. Ela quer ser alguém que as pessoas admiram e respeitam, ela quer ser socialmente aceita.

Porém, em um momento com algumas amigas, mais uma vez, a sua verdadeira natureza aparece, e ela precisa fugir com seu pai.

Logo após essa fuga, no dia seguinte ao seu aniversário de dezesseis anos, seu pai a abandona, e Maren vai à procura da mãe, que nunca conheceu, e ao longo do caminho, encontra muito mais do que esperava.

Ela conhece pessoas como ela, mas, também de temperamentos diferentes e de caráter duvidoso.

Em uma das pessoas que ela conhece nessa busca, ela encontra um amor nunca antes imaginado, e a paixão entre os dois cresce, dois jovens à margem da sociedade.

Ele é Lee (Timothée Chalamet), um jovem que como ela, é diferente, mas, fica ao lado de Maren na sua jornada, e juntos embarcam em uma odisseia de 3.000 milhas pelas estradas secundárias da América.

“Até os Ossos” é um road movie da melhor qualidade, que mostra paisagens de diversos locais dos Estados Unidos e conta uma história prá lá de diferente.

Diferente como? Não é uma história de amor?

Sim, é uma bela história de amor, mas, ela tem elementos de terror, com o tipo de maldição que Maren e Lee carregam.

O filme é para adultos, pois, a quantidade de estranhas mortes na história, é grande.

É impressionante como o diretor Luca Guadagnino consegue dar suavidade para momentos sombrios e sanguinolentos, apesar de vermos até pouco sangue na tela. (Quando você assistir, vai me entender).

São momentos graves, em que a trilha sonora aparece com uma música legal, ou suave, ou nada a ver com a cena, e isso faz toda a diferença, elevando ainda mais o nível da história.

A atriz Taylor Russel traz suavidade e força para a sua personagem no ponto certo, fazendo com que ela cresça ao longo da história, tanto quanto o ator Timothée Chalamet, que mergulha fundo em seu personagem.

“Até os Ossos” é um filme que transita por diversos gêneros, foi feito especialmente para o público jovem, mas, com certeza vai agradar a todas as plateias. Recomendo.

 

Nenhum comentário:

Canal Brasil reexibe episódios de "O Papel da Vida", conduzidos por Marina Person

“ O Papel da Vida ”, programa apresentado por Marina Person durante 2 anos no Canal Brasil, terá alguns episódios reprisados a partir de seg...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba