Crítica Filme "Trem-Bala" por Rita Vaz

 


Estreia nesta quinta-feira, dia 4 de agosto o filme “Trem Bala” sob a direção de David Leitch (“Dead Pool 2”, “Atômica”, “John Wick” e outros).

Já deu para perceber que o diretor David Leitch gosta muito de filmes de ação, com muita ação, e em “Trem Bala” ele manteve esse quesito em alta.

Na trama conhecemos Joaninha (Brad Pitt), codinome de um assassino de aluguel um tanto azarado, que está decidido a fazer seu último trabalho, de forma tranquila, zen, depois de ter passado por tantos outros que saíram do seu controle.

Quase desistindo de sua carreira, ele é recrutado por Maria Beetle (Sandra Bullock) para coletar uma maleta em um trem-bala indo de Tóquio para Morioka.

O destino, entretanto, tem outros planos, e a última missão de Ladybug o coloca em rota direta de colisão com adversários letais vindos de todas as partes do globo, todos com objetivos conflitantes porém conectados, no trem mais rápido do mundo, ele precisa encontrar uma maneira de desembarcar.

“Trem-Bala” é um dos filmes mais aguardados do ano, tanto pela direção quanto pelo elenco que conta com Brad Pitt, entregando um personagem carismático, engraçado, violento e zen ao mesmo tempo, e também conta com Hiroyuki Sanada, Michael Shannon, Joey King, Sandra Bullock, Brian Tyree Henry, Aaron Taylor-Johnson e muitas mais participações especiais.

Esse time de estrelas entregou o que sabe fazer de melhor, com performances cheias de intensidade, coreografias muito bem ensaiadas, timings perfeitos para a comédia, muita pancada e muito sangue, sim a violência é personagem nessa história também.

O diretor David Leitch administra muito bem, as várias histórias que acontecem dentro do trem-bala, e faz com que tudo se encaixe, não deixando uma ponta solta, de todos os elementos que ele coloca em cena. Tudo está ali, por algum motivo, e isso é sensacional.

“Trem-Bala” é um filme que não para. Como o próprio título sugere, a ação acontece em alta velocidade, o tempo todo. Mas, como comentei acima, você entende tudo.

Uma história que acontece em um Japão moderno, porém, cheio de tradições, que nos mostra diálogos modernos, mas, com respeito aos conceitos do passado, com assassinos que lutam da mesma forma, com armas modernas e armas antigas.

“Trem-Bala” é um filme surpreendente, que agrada plateias diversas e que vale a pena ser assistido.

Eu super recomendo!

 

Nenhum comentário:

Crítica Filme "Trem-Bala" por Rita Vaz

  Estreia nesta quinta-feira, dia 4 de agosto o filme “Trem Bala” sob a direção de David Leitch (“Dead Pool 2”, “Atômica”, “John Wick” e out...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba