Estão abertas as inscrições para as oficinas do Olhar de Cinema

 


As oficinas são gratuitas, acontecem de forma online e as Inscrições podem ser feitas até o dia 13 de maio

Em sua décima primeira edição, o Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba oferece três oficinas gratuitas que complementam a experiência cinéfila daqueles que acompanham o festival, expandindo e aguçando os sentidos dos participantes para as mais variadas facetas do cinema. Os temas dos encontros são variados: “QuilomboCinema” traz uma abordagem crítica e decolonial sobre a presença de pessoas negras no cinema brasileiro, com Tatiana Carvalho Costa; “A Montagem como Reescrita de um Filme”, com Tomás von der Osten , propõe pensar a montagem cinematográfica quanto processo de reestruturação do roteiro, abordando conceitos de dramaturgia e estratégias de como aplicá-los na montagem de um filme; “Incorporar memórias; corporalizar presenças”, ministrada por Abiniel João Nascimento, usa o corpo como suporte para discutir imagem, memória e presença. 

 

 

As aulas acontecerão de forma online e aqueles que tiverem interesse podem se inscrever no site do festival (https://www.olhardecinema.com.br/oficinas-2022-inscricoes-abertas/) até o dia 13 de maio.

 

O 11º Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba acontece de 1° a 9 de junho.

 

Mais informações:

 

Oficina: QuilomboCinema

Ministrante: Tatiana Carvalho Costa

Encontros online nos dias 4 e 5 de junho, de 10h às 13h 

 

A oficina propõe uma abordagem à cultura fílmica por meio de um pensamento crítico escurecido numa perspectiva descolonizadora, promovendo uma aproximação às noções de aquilombamento e encruzilhada presentes no pensamento de, entre outres, Maria Beatriz Nascimento, Abdias Nascimento e Leda Maria Martins. Essa abordagem colabora para a compreensão da presença disruptiva de pessoas negras que ampliam a noção de “Brasileiro” no Cinema Contemporâneo.

 

Oficina: A montagem como reescrita de um filme

Ministrante: Tomás von der Osten

Encontros online nos dias 4 e 5 de junho, de 14h às 17h 

 

A oficina propõe pensar a montagem cinematográfica quanto processo de reestruturação do roteiro, abordando conceitos de dramaturgia e estratégias de como aplicá-los na montagem de um filme. Será mostrado como as escolhas de montagem podem afetar a superestrutura narrativa (grande arco dramático), estruturas intermediárias (relações entre cenas e/ou sequências) e a microestrutura (relações entre planos, a dramaturgia visual no interior de uma cena).

 

Oficinas: Incorporar memórias; corporalizar presenças

Ministrante: Abiniel João Nascimento

Encontros online nos dias 6 e 7 de junho, de 18h às 21h 

 

Como destituir da imagem a existência? A oficina busca tecer uma artesania de pensamento que, utilizando-se do corpo enquanto peça motriz, complexifique as relações entre imagem, memória e presença. Partindo duma perspectiva que visa a uma crítica ao Arquivo, desdobrar-se-ão as discussões nos direcionamentos que margeiam a captura da imagem e a representação.

 

Nenhum comentário:

Crítica Filme Miss França por Rita Vaz

  Estreia nessa quinta-feira, a comédia dramática francesa “Miss França”, dirigida pelo ator e cineasta luso-francês Ruben Alves (Uma Famí...