Crítica Sonic – O Filme 2 por Rita Vaz

 



Estreia hoje nos cinemas o longa “Sonic - O Filme 2” que é uma sequência dos acontecimentos do primeiro live-action de Sonic The Hedgehog, baseado no videogame de sucesso.

Na nova história, após conseguir se estabelecer em Green Hills, Sonic está pronto para mais liberdade e quer provar que tem o necessário para ser um herói de verdade e seu teste virá quando Tom e Maddie concordam em deixá-lo em casa enquanto saem de férias no Havaí, para participarem do casamento de Rachel, irmã de Maddie.

Até aí tudo bem, mas, o problema é que a data coincide com o retorno do Dr. Robotnik, que encontrou um jeito de sair do Planeta Cogumelo.

Só que ele não vem sozinho, dessa vez ele tem um novo parceiro, o poderoso ouriço Knuckles. Eles estão à procura de uma esmeralda que tem o poder de destruir civilizações.

Felizmente Sonic se une a um novo companheiro, Tails, (que apareceu nas cenas escondidas do primeiro filme) e juntos embarcam em uma jornada para encontrar a esmeralda antes que ela caia nas mãos erradas, especificamente, nas mãos do Dr. Robotinik.

O diretor Jeff Fowler continua no comando do segundo longa, provando que entende da arte, pois mantém em alta performance, toda a ação, a aventura, as referências à cultura pop e a qualidade dos efeitos especiais.

Nessa nova trama assistimos mais sobre os personagens do game, somos colocados nas histórias que aconteceram com eles nos anos 1990, e isso é muito bom, traz nostalgia para quem jogava o Sonic, e também para quem o conhecia, de tão famoso que ele ficou.

Inclusive, quando o roteiro caminha pelos humanos, é onde o filme fica mais fraco, quase desnecessário, se não fosse o mote dos longas.

Porém, quando Jim Carrey aparece em cena é um espetáculo à parte, sim, sei que ele é personagem do game, mas, como ator e humano, ele não faz parte do ponto fraco do filme, ele é um absurdo de bom.

O longa é divertido, engraçado, tem cenas que realmente te fazem rir, é nostálgico e vai agradar os adultos justamente por tudo isso, e as crianças pela ação e aventura e principalmente pelo fato de ter um “quê” de infantil durante toda a trama.

Não saiam da sala de cinema logo após o final, pois, tem cena escondida e ela é muito legal.

Super recomendo para os fãs do gênero e do Sonic!!!

 

Nenhum comentário:

"Coração de Neon" é aclamado pela crítica em Cannes como o "novo cinema popular brasileiro"

Produtores de cinema que estiveram na premiére do filme em Cannes, na França, enxergam a produção como ousada e inovadora, do enredo ao fina...