A MULHER DE UM ESPIÃO, de Kiyoshi Kurosawa, estreia no próximo dia 31/03, nos cinemas.


A Zeta Filmes apresenta A mulher de um espião, o thriller psicológico de fundo histórico que Kiyoshi Kurosawa dirigiu em 2020. Seu primeiro filme de época, participou de vários festivais e ganhou o Leão de prata como Melhor diretor no Festival de Cinema de Veneza. Estreia no próximo dia 24/03 nos cinemas.

sinopse

O ano é 1940 em Kobe, a noite anterior ao início da Segunda Guerra Mundial. O comerciante local, Yusaku Fukuhara, sente que as coisas estão caminhando em uma direção perturbadora. Ele deixa sua esposa Satoko para trás e viaja para a Manchúria. Lá, ele coincidentemente testemunhou um ato bárbaro e está determinado a trazê-lo à luz. Enquanto isso, Satoko é procurada por seu amigo de infância e policial militar, Taiji Tsumori. Ele diz a ela que uma mulher que seu marido trouxe da Manchúria morreu. Satoko é dilacerado pelo ciúme e confronta Yusaku. Mas quando ela descobre as verdadeiras intenções de Yusaku, ela faz o impensável para garantir sua segurança e felicidade. Passado em uma época turbulenta e dilacerada pela guerra, que destino poderia esperar Satoko e Yusaku? Um thriller romântico dirigido pelo gênio Kiyoshi Kurosawa.

Ficha Técnica

Roteiro: Ryusuke Hamaguchi, Tadashi Nohara, Kiyoshi Kurosawa

Fotografia: Tatsunosuke Sasaki

Montagem: Hidemi Lee

Som: Keita Yoshino

Música: Ryosuke Nagaoka

Produção: NHK (Keisuke Tsuchihashi), NHK Enterprises (Takashi Sawada), INCLINE (Satoshi Takada), C&I ENTERTAINMENT (Tamon Kondo)

Elenco: Yu Aoi, Issey Takahashi, Ryota Bando, Yuri Tsunematsu, Minosuke Hyunri, Masahiro Higashide, Takashi Sasano

Título original: ス パ イ の 妻 - Supai no Tsuma

Título em inglês: Wife of a spy

Classificação indicativa: 14 anos


Sobre o Diretor

Kiyoshi Kurosawa nasceu em Hyogo Prefecture, em 19 de julho de 1955 e trabalhou como assistente de direção de Shinji Somai em Sailor Suit and Machine Gun (1981), antes de estrear na direção com Kandagawa Wars, em 1983. Mas foi com Cure, realizado em 1997, que despertou atenção internacional e participou de diversos festivais. Com pulse recebeu o Prêmio FIPRESCI no Festival de Cannes (2001). Tokyo Sonata, recebeu o Prêmio do Júri da mostra Un Certain Regard, de 2008, em Cannes. Entre seus últimos filmes estão Real (2013), selecionado para competitiva de Locarno, Seventh Code (2013), vencedor do prêmio de Melhor Diretor no Festival de Roma, Para o outro lado (2015), agraciado com o prêmio de Melhor Diretor na Un Certain Regard, em Cannes, Creepy (2016), que integrou a seleção da Berlinale em 2016, e Antes que tudo desapareça (2017), que estreou na Um Certain Regard em Cannes. 

Declaração do Diretor:

Situado em uma cidade na zona rural do Japão durante os tempos de guerra ansiosos e terríveis, este filme retrata a luta de um casal para superar a desconfiança e permanecer fiel ao seu amor um pelo outro. Este é o meu primeiro filme que se passa nos velhos tempos. Com a linha do tempo histórica e os eventos da sociedade já fixados, ponderei com grande interesse ao imaginar como as pessoas devem ter se sentido em conflito ao pensar no que esperar do futuro.

Nenhum comentário:

Crítica Filme Miss França por Rita Vaz

  Estreia nessa quinta-feira, a comédia dramática francesa “Miss França”, dirigida pelo ator e cineasta luso-francês Ruben Alves (Uma Famí...