“CURUPIRA E A MÁQUINA DO DESTINO”, de Janaina Wagner

 

O filme Curupira e a máquina do destino, fez  sua estreia nacional na 25ª. Mostra de Cinema de Tiradentes – Mostra Panorama – Agora, é a vez da estreia Internacional que será no Kino Pavasaris, em Vilnius (https://kinopavasaris.lt/en), no final de Março, e em seguida ele vai para o Glasgow Film Festival (https://glasgowfilm.org/glasgow-film-festival), dentro de um programa sobre Ecologia e fins de mundo, na esteira da COP26. 

O curta foi filmado em 2021 no Amazonas, na Estrada Fantasma BR-319, Transamazônica BR-230 e na cidade real de Realidade. Essa é a estreia mundial do filme com a primeira exibição no Brasil.  

SINOPSE 

“Curupira e a máquina do destino” documenta o encontro no tempo presente entre uma curupira e o fantasma encarnado de Iracema, personagem do filme “Iracema – uma transa amazônica”. Abertos feito feridas durante a Ditadura cívico-militar que enredou o Brasil nos brados da ordem e do progresso, os vergalhões de asfalto que varam o país foram construídos, destruídos e se afogam agora em um processo de reconstrução. Ruínas mornas de um futuro viciado. Apaixonada, Iracema fantasma parte nas encruzilhadas das estradas retilíneas do Amazonas para encontrar Curupira e vingar o futuro.

 

DIRETORA JANAINA WAGNER 

Artista plástica e realizadora, Janaina Wagner desenvolve suas pesquisas em diversas mídias, como vídeo, fotografia, desenho, instalações, cenografia e pintura. O ponto nevrálgico de seu trabalho são as relações de limite, controle e contenção que o humano estabelece com o mundo. Atualmente doutoranda no Le Fresnoy-Studio National des Arts Contemporains (FR), Wagner participou de diversas residências artísticas, como Gasworks (Londres, UK), FID Campus – Festival International de Cinema de Marseille (Marseille, FR), Bolsa Pampulha (Belo Horizonte, BR), Red Bull Station (São Paulo  BR), Casa Tomada (São Paulo, BR), Anarcademia W139 (Amsterdã, NL) e NES Skagaströnd, na costa rural da Islândia. Dentre as principais exposições, destacam-se Ensaio de Tração - Pinacoteca do Estado de São Paulo, 10 Semana de Cinema do Rio de Janeiro, Uma história natural das Ruínas (Pivô, SP), Fuso Festival – Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado (Lisboa, Portugal), Cuando no hay sombra es mediodía, Nube – Kiosko (Santa Cruz, Bolívia), With burning love – (Villa Belleville, Paris),  Casa Carioca – MAR Museu de Arte do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro, Brasil), Criatura (Oficina Cultural Oswald Andrade, SP), e Decupagem/ Crônica de um final anunciado (MARP, SP), Bestiário - Centro Cultural São Paulo - CCSP, Permanências e Destruições – Torre H (RJ), Hipótese e Horizonte – Observatório (SP), 4o Prêmio EDP nas Artes – Instituto Tomie Ohtake (SP). 

 

Bacharel em Artes Plásticas e Jornalismo, mestra no Programa de Experimentação em Arte e Política (SPEAP) e professora de vídeo no Ensino Fundamental, muitas das referências disparadoras de suas pesquisas derivam dos procedimentos com que o homem vem registrando e articulando seu progresso e legado. O viés sociológico do Jornalismo opera para ela como os mecanismos através dos quais uma história é feita verdadeira – uma constelação de contos, fatos e imagens. Da mesma maneira que o jornalista parte de fatos para formar narrativas, Janaina desenvolve sua produção plástica em um processo de decupagem de imagens textuais e visuais já existentes e em circulação midiática.

Site: www.janainawagner.com 

 

FICHA TÉCNICA 

Documentário-ficção / Experimental | 24'40'' | DCP | Cor | 16:09 | Brasil e França | 2021

Direção e roteiro: Janaina Wagner

Empresa produtora: Le Fresnoy Studio National des Arts Contemporains

Direção de produção: Janaina Wagner

Produção local: Carolina Gesser e Christyann Ritse

Montagem: Janaina Wagner e Yuyan Wang

Fotografia: Carine Wallauer

Som direto: Marcela Santos

Direção de arte: Janaina Wagner

Edição de som e mixagem: Yannick Delmaire

Elenco: Vitória Pereira é Iracema Fantasma +

Ana Karoline de Moraes

Paula Fernandes

Raiane de Lima Tavares

Raylany de Lima Tavares

Sabrina Gomes de Sá

Scherley Alves Meyer de Sousa

Sheron Meyer de Sousa

Niziê Ramos de Oliveira

 


Nenhum comentário:

Crítica Filme “Minions 2: A Origem de Gru” por Rita Vaz

Estreia nesta quinta-feira, uma das animações mais esperadas do ano. “Minions 2: A Origem de Gru”, dirigida por Kyle Balda (Meu Malvado Favo...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba