Um Forte Clarão, estreia na 45a Mostra Internacional de Cinema


Subvertendo narrativas e padrões, a diretora Ainhoa Rodríguez, apresenta seu filme espanhol UM FORTE CLARÃO (Destello Bravío), que é seu longa de estreia, vencedor de oito prêmios em festivais internacionais.

Sessões na 45ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo:

Sexta, 22 de outubro - 17h30 - Espaço Itaú de Cinema - Frei Caneca 3

Sábado, 23 de outubro - 14h00 - Reserva Cultural 1

SINOPSE 

"Vai ser um clarão forte, bem forte e tudo vai mudar...". 

Isa fala consigo mesma, deixando mensagens em seu gravador para quando ela desaparecer ou perder a memória. Cita se sente presa em seu casamento, em uma casa cheia de santos e virgens. Maria volta para a cidade onde nasceu para enfrentar sua solidão. As mulheres de uma pequena cidade rural – suspensa no tempo e atormentada pelo êxodo da população – vivem entre a apatia de seu dia a dia, em que nada de extraordinário acontece, e um desejo profundo por experiências libertadoras que as façam se reconectar com esse lugar onde eram felizes ou sonhavam em ser.   

 

SOBRE O FILME 

Um Forte Clarão (Destello Bravío) é uma história misteriosa, sombria e sugestiva, distante das abordagens narrativas tradicionais. É uma ficção que bebe na fonte do documentário e dos códigos de suspense, com notas de realismo mágico e surrealismo. Desmonta os gêneros cinematográficos, rompe com a história tradicional e leva em conta vários cotidianos para descrever um estado de espírito: o sentimento dos habitantes de um lugar em processo de despovoamento, focando em suas mulheres.  

 O filme também aborda a busca pela beleza e a saudade da infância. Como causa de seus males, o sistema patriarcal e a chegada da globalização. É uma busca pessoal entre realidade e fantasia, naturalismo e surrealismo. Uma ficção estrelada por não-atrizes e não-atores, nativos da região de Tierra de Barros (Badajoz, Espanha) e arredores, escolhidos após inúmeros testes de elenco.  As protagonistas são mulheres reais, longe de cânones normativos, que trazem sua verdade nua para o trabalho. A cidade e as cidades vizinhas foram protagonistas na realização do filme. 

O filme mergulha nas construções sociais de homens e mulheres, bem como caminha pelas idiossincrasias dos povos do sul da Espanha. Questiona os benefícios do fim de uma era e a chegada da globalização, que implica a perda de tradições mais profundamente ligadas ao meio rural. O filme tem como objetivo refletir sobre as estruturas sociais, culturais e relações de gênero que compõem nossa convivência.    

Assim, Um Forte Clarão é uma história universal que convida o espectador a dialogar com o filme, a relacionar-se com novas abordagens, conhecer outras realidades e, ao mesmo tempo, ver-se refletido nessas diversas situações da vida cotidiana. O filme tem a convicção de estabelecer um ponto de vista feminino e feminista, e colaborar na construção de um imaginário coletivo mais justo, inclusivo e mais heterogêneo. É uma obra que subverte o establishment para nos questionar por que, em um mundo no qual a globalidade prevalece, os olhares únicos na arte são subversivos.

 

AINHOA RODRÍGUEZ

Ainhoa Rodríguez é diretora de cinema, produtora e roteirista. Seu primeiro longa-metragem, Um Forte Clarão (2021) acaba de estrear na Seleção Oficial da Competição da 50ª edição do prestigiado Festival Internacional de Cinema de Roterdã, com grande repercussão de público e crítica. 

Doutora em Teoria e Análise Cinematográfica pela Universidade Complutense de Madrid, com sua tese de doutorado "O conceito de realidade no cinema de Fellini"; detém o Diploma de Estudos Avançados na área de conhecimento de Comunicação Audiovisual e Publicidade. Também é formada em Comunicação Audiovisual (UCM) e graduada em Direção cinematográfica e produção de TV (TAI). 

Ela acaba de ganhar o prêmio de Melhor Diretora no Festival Internacional de Cinema de Vilnius| Kino Pavasaris, por Um Forte Clarão, que foi também integrante da seleção do 50º Aniversário do projeto Novos Diretores / Novos Filmes, organizado pelo MoMA e o Film at the Lincoln Center. 

A revista Variety a destacou como uma das dez cineastas emergentes na matéria “TALENTOS ESPANHÓIS EM ASCENSÃO” e seus curtas-metragens ganharam prêmios em todo o mundo. Há vários anos a diretora divide seu trabalho no cinema com o de professora e palestrante de linguagem audiovisual em instituições públicas e privadas, atividade pela qual é apaixonada e que lhe rendeu muita experiência.

Nenhum comentário:

‘EDUARDO E MÔNICA’ estreia nos cinemas brasileiros no dia 6 de janeiro

  Inspirado nos populares personagens criados por Renato Russo na canção ‘Eduardo e Mônica’, o longa-metragem homônimo estreia nas telonas d...