PREMIADO EM CANNES, NOVO FILME DE ASGHAR FARHADI FAZ SUA ESTREIA NACIONAL NA 45ª. MOSTRA DE SÃO PAULO

 


Diretor de dois filmes ganhadores de Oscar de melhor produção em língua estrangeira (“A Separação” e “O Apartamento”, também indicado na categoria roteiro original), além de prêmios nos Festivais de Berlim e Cannes, o iraniano Asghar Farhadi, volta à sua terra natal, depois de filmar na Espanha, para o drama de suspense UM HERÓI, que, no Festival de Cannes deste ano, ganhou o Grande Prêmio do Júri e o Prêmio François Chalais, conferido a filmes com valor afirmativos sobre a vida e o jornalismo. O longa tem sua primeira sessão no Brasil na 45a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, que acontece entre 21 de outubro e 03 de novembro. 

O filme é protagonizado por Rahim (Amir Jadidi), um homem que foi preso por dever dinheiro, e, quando tem a chance de sair da cadeia por dois dias, arma um plano, com ajuda de sua namorada, que encontrou uma sacola com ouro perdida na rua. Porém quando descobre que este vale menos que o imaginado, ele tem uma ideia: espalhar anúncios procurando o verdadeiro dono, e, assim, ganhando publicidade como um homem honesto. Farhadi, que também assina o roteiro, explica que a origem da trama está em fatos reais, mas em nenhum específico.

Como em todo os filmes do cineasta, esses acontecimentos são permeados por dubiedade e nuances. Sem trazer respostas simples em suas narrativas, Farhadi conta que isso não é intencional. “A ambiguidade vem naturalmente durante a escrita, e devo confessar que gosto disso. Esse aspecto faz a relação entre o filme e o público durar mais, ir para além da sessão. Dá a possibilidade de se refletir mais sobre o filme. Combinar ambiguidade com uma história que lida com a vida cotidiana é um desafio interessante.”

O diretor resolveu situar a trama do longa em Shiraz, no sudoeste do Irã, onde há “muitas ruínas históricas, traços importantes e gloriosos da identidade iraniana. A principal razão pela escolha dessa cidade é por causa da especificidade da trama e dos personagens. Eu também queria ficar longa da tumultuada Teerã.”

A construção realista das personagens, segundo o diretor, é marcada pela complexidade. “As pessoas são feitas de uma multiplicidade de dimensões, e, em certas circunstâncias, uma destas toma a frente e se torna mais visível. Esses personagens não são estereotipados.” No caso específico do protagonista, explica, seu sorriso é parte fundamental de um conjunto que apareceu progressivamente ao longo dos meses de ensaio. 

Outro elemento importante nos filmes do diretor iraniano são as famílias e a solidariedade entre seus membros, e em UM HERÓI são centrais para a trama e as personagens. “As relações familiares são mais desenvolvidas nas cidades pequenas, e, quando um dos membros enfrenta um problema, todo mundo se envolve. Eu cresci nesse tipo de ambiente sociocultural. Vinte anos atrás, a frase “Não é problema meu” não existia na língua iraniana. Esse comportamento foi importado e materializa um novo modelo de relacionamento na nossa sociedade.”

A contemporaneidade da sociedade iraniana também se manifesta no filme na presença das Redes Sociais, e Farhadi destaca isso como crucial na vida de seus conterrâneos. “Isso é um fenômeno novo, mas o impacto é tal que é difícil lembrar como era a vida antes disso. Minha experiência pessoal me leva a crer que essa sensação é mais óbvia na sociedade iraniana do que em qualquer outro lugar. Acredito que possa ser explicado pela situação sociopolítica do país.”

Por fim, o diretor define UM HERÓI como um filme no qual “todas as personagens têm suas razões, para agir como agem. Elas são repletas de contradições. Não quero dizer que todos os atos sejam justificados. Não é sobre legitimação, mas compreensão. Ao se saber os motivos que levaram alguém a agir, podemos o compreender sem tomar o seu partido.”

Desde sua estreia em Cannes, de onde saiu com dois prêmios, o longa só tem colhido elogios. Peter Bradshaw, no inglês The Guardian, escreve que “UM HERÓI é um filme que funciona com a performance inteligente e sutil de Amir Jadidi”. Dave Calhoun, na Time Out, define o longa como “uma excelente peça moral que nos imerge nos valores e rituais de uma sociedade, e nos mantêm curiosos até seu final poderoso.” Já Joey Magidson, do Awards Watchs, aponta que “quando se assiste a um filme de Asghar Farhadi, sabemos que uma história potencialmente simples é sempre um veículo para algo mais complexo e um exame do comportamento humano.”

UM HERÓI será lançado no Brasil pela Califórnia Filmes. 

Sinopse

Rahim está preso por causa de uma dívida que não conseguiu pagar. Durante uma condicional de dois dias, ele tenta convencer seu credor a retirar a queixa, se conseguir pagar parte do que deve. Mas as coisas não saem como planejadas. 

Ficha Técnica

Direção: Asghar Farhadi 

Roteiro: Asghar Farhadi 

Produção:  Alexandre Mallet-Guy, Asghar Farhadi

Elenco: Amir Jadidi, Mohsen Tanabandeh, Sahar Goldust, Fereshteh Sadre Orafaiy, Sarina Farhadi, Ehsan Goodarzi, Alireza Jahandideh, Maryam Shahdaei

Direção de Fotografia: Ali Ghazi

Desenho de Produção: Mehdi Mousavi 

Montagem: Haydeh Safiyari 

Gênero: drama, suspense

País: Irã, França 

Ano: 2021

Duração: 127 min.


Nenhum comentário:

‘EDUARDO E MÔNICA’ estreia nos cinemas brasileiros no dia 6 de janeiro

  Inspirado nos populares personagens criados por Renato Russo na canção ‘Eduardo e Mônica’, o longa-metragem homônimo estreia nas telonas d...