"Rashomon", de Akira Kurosawa, está entre as estreias da próxima semana


As estreias da próxima semana do Belas Artes À La Carte está repleta de obras de grandes diretores: Akira Kurosawa, Laurence Olivier,  James Ivory, Oliver Stone e Paulo Thiago. 

Na quinta-feira, 22 de julho, chegam os longas “Rashomon” (1950), de Akira Kurosawa, vencedor do Leão de Ouro de Melhor Filme no Festival de Veneza 1951 e indicado ao Oscar 1953 de Melhor Direção de Arte; “Ricardo III” (1955), de Laurence Olivier, sobre o poderoso conto de Shakespeare sobre o perverso Rei e suas conquistas; o drama de época “Um triângulo diferente” (1984), de James Ivory, que se passa em Bostom, em 1875 e acompanha o trio formado por Olive Chancellor (Vanessa Redgrave), uma das líderes do movimento feminista, a jovem Verena Tarrant (Madeleine Potter) e Basil Ransome (Christopher Reeve), um advogado de Nova York, se apaixona por Verena; e “Entre o céu e a terra” (1993), de Oliver Stone, baseado no livro "Quando o Céu e a Terra Mudaram de Lugar", que a  vietnamita Le Ly Hayslip escreveu sobre suas experiências durante e após a Guerra do Vietnã.

 Fechamos com o longa nacional “Sagarana, o duelo”, (1974), de Paulo Thiago. Adaptação de romance de João Guimarães Rosa,  o filme concorreu ao Urso de Ouro de Melhor Filme no Festival de Berlim 1974.

Além das cinco estreias semanais o À La Carte, realiza, em parceria com o Instituto Italiano de Cultura de São Paulo, a terceira edição do Cine Clube Italiano, que este mês exibe a animação “A arte da felicidade”, de Alessandro Rak. O longa, que será exibido  gratuitamente para assinantes e não assinantes, entre os dias 23 e 29 de julho, ganha um bate-papo especial no dia 28 de julho. 

Rashomon (Rashomon)

Japão, 1950, Crime, 88min, 14 anos

Direção: Akira Kurosawa

Elenco: Toshirô Mifune, Machiko Kyô, Masayuki Mori,Takashi Shimura 

Sinopse: A violação de uma noiva e o assassinato de seu marido samurai são lembrados desde a perspectiva de um bandido, da noiva, do fantasma do samurai e de um lenhador.

Curiosidades: Vencedor do Leão de Ouro de Melhor Filme no Festival de Veneza 1951 e indicado ao Oscar 1953 de Melhor Direção de Arte; Este filme é muitas vezes considerado o motivo pelo qual a Academia criou a categoria "Melhor Filme Estrangeiro" na premiação do Oscar; Durante as filmagens, o elenco abordou Akira Kurosawa com o roteiro em mãos e perguntou a ele: "O que isso significa?". A resposta que o diretor deu é que "Rashomon" é um reflexo da vida, e a vida nem sempre tem significados claros.



Nenhum comentário:

HOMEM ONÇA estreia nos cinema brasileiros dia 26 de agosto

Situado no final dos anos de 1990, HOMEM ONÇA, de Vinícius Reis, investiga como a história do país reflete e interfere na vida pessoal de Pe...