Estreias desta quinta na série Cinema #EmCasaComSesc


Série Cinema #EmCasaComSesc traz papa no divã, visão humanista sobre as consequências do genocídio na Armênia, uma viagem para encontrar Mujica e o reencontro de dois talentosos músicos após 52 anos.  

Com curadoria do CineSesc, a plataforma Sesc Digital recebe a partir de quinta-feira, 8/7, o longa italiano "Habemus Papam", o francês “Uma História de Loucura” e o brasileiro “A Partida”.

Também nesta semana, estreia exclusiva do documentário musical inédito “O Anel - Alaíde Costa Canta José Miguel Wisnik” 

Dia 9/7 a estreia de “Ascensão” inaugura a série Realizadoras Soviéticas

Novas estreias do CineClubinho garantem a alegria da garotada nas férias de julho

 

Filmes disponíveis em sescsp.org.br/cinemaemcasa

 

Nesta quinta-feira, 8 de julho, a série Cinema #EmCasaComSesc está repleta de novidades. Além dos três longas-metragens semanais, a plataforma recebe em seu catálogo uma estreia inédita e exclusiva, inaugura uma nova programação que homenageia realizadoras soviéticas, além de novos curtas-metragens no CineClubinho. Com curadoria do CineSesc, os filmes ficam disponíveis por 30 dias na plataforma Sesc Digital, com exceção do documentário “O Anel - Alaíde Costa Canta José Miguel Wisnik”, disponível apenas até o dia 14/7. 

Elogiado pela crítica nacional e internacional, o irônico "Habemus Papam", de Nanni Moretti, mostra um papa que sofre um ataque de pânico segundos antes de ser apresentado aos fiéis como novo pontífice. Com a saúde mental fragilizada ele começa a se tratar com um psicanalista (também interpretado por Moretti). Selecionado à Palma de Ouro no Festival de Cannes, o filme foi sucesso de bilheteria nos cinemas brasileiros. 

Com a honestidade e o olhar humanista que caracterizam sua obra, o cineasta francês Robert Guédiguian, aborda o genocídio armênio e suas consequências em “Uma História de Loucura”. Ao mesmo tempo que traz um recorte específico, o longa aborda temas universais ao apresentar a história de uma família ao longo de um século.

Passeando entre a ficção e o documentário, o ator e diretor Caco Ciocler provoca o espectador a pensar sobre como pessoas de posicionamentos políticos opostos podem conviver dentro de um espaço diminuto como um ônibus. “A Partida” fala de política a partir das relações humanas ao mostrar uma trupe de vários atores, incluindo o próprio Caco, viajando no final de 2018 em direção a Montevidéu para passar a virada do ano ao lado do ex-presidente uruguaio Pepe Mujica.

A quarta estreia é exclusiva e inédita: o documentário musical “O Anel - Alaíde Costa Canta José Miguel Wisnik”. Dirigido por Daniel Augusto, a produção mostra o reencontro entre Alaíde Costa e José Miguel Wisnik em estúdio para a gravação do álbum homônimo, lançado pelo Selo Sesc em dezembro de 2020. O filme, que reconstitui a força expressiva de Alaíde ao interpretar com destreza pérolas do cancioneiro popular brasileiro, fica disponível com exclusividade no Sesc Digital na série Cinema #EmCasaComSesc de 08/07 a 14/07.

SESSÃO ESPECIAL: REALIZADORAS SOVIÉTICAS

A partir do dia 9/7, o CineSesc exibe uma programação especial com quatro filmes dirigidos por cineastas soviéticas e russas. Os títulos estreiam um por semana, sempre às sextas-feiras, na série Cinema #EmcasaComSesc. O protagonismo feminino sempre se fez presente no cinema soviético, não só em personagens marcantes, mas também nas atuações de grandes diretoras. As mulheres têm destaque nos mais variados gêneros e em alguns dos filmes mais importantes da cinematografia soviética e russa. Esta seleção de quatro longas-metragens de três décadas distintas apresenta um pouco do olhar feminino nesta cinematografia fundamental.

A primeira estreia é o longa “Ascensão”, último trabalho da diretora Larissa Chepitko, que morreu prematuramente em um acidente de carro em 1979. Adaptação do livro “Sotnikov”, do escritor Vassil Bykov, o filme conta a história de dois partisans capturados pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. O longa foi o segundo dirigido por uma mulher a ganhar o Urso de Ouro no Festival de Berlim, em 1977.


FÉRIAS COM O CINECLUBINHO

Durante o mês de julho o Cineclubinho reforça sua programação de estreias escolhidas para alegrar as férias de toda a família com diferentes narrativas e olhares sobre o mundo. 

Nesta quinta estreiam três curtas-metragens de animação:  “Mitos Indígenas em Travessia”, de Julia Vellutini e Wesley Rodrigues, que traz seis histórias indígenas dos tempos antigos de diferentes etnias; o premiado “Claudete e o Bolo”, de Fádhia Salomão; e “Lé com Cré”, de Cassandra Reis, que traz depoimentos engraçados de crianças sobre diversos temas, além do curta-metragem de ficção “Bicho do Mato”, de Juliana Sanson, que mostra os desafios da menina Jussara e de sua família ao se mudarem do campo para a cidade grande.   

CINESESC DIGITAL - PROGRAMAÇÃO DA SEMANA

ESTREIA 8/7

HABEMUS PAPAM

Dir.: Nanni Moretti | Itália, França | 2012 | 102 min | Ficção | Livre

No Vaticano, logo após a morte do papa, cardeais da Igreja Católica se reúnem em conclave e, como manda a tradição, elegem o novo líder da ordem. Depois de algum tempo, o conclave elege o cardeal Melville. Só que a multidão de fiéis terá de esperar um pouco mais para dar as boas-vindas ao novo papa. O filme foi selecionado à Palma de Ouro do Festival de Cannes e entrou para a lista dos 10 Melhores Filmes de 2011 da Cahiers du Cinéma.

UMA HISTÓRIA DE LOUCURA

Dir.: Robert Guédiguian | França | 2015 | 134 min | Ficção | 14 anos

Anos 80, um jovem armênio explode o carro do embaixador turco em Paris. Um ciclista é gravemente ferido pela bomba. O terrorista foge para Beirute e sua mãe procura a vítima em busca de perdão. Filme selecionado para o Festival de Cannes de 2015.

A PARTIDA

Dir.: Caco Ciocler | Brasil | 2020 | 94 min | Documentário | 12 anos

Diante do resultado da última eleição no Brasil, uma atriz decide candidatar-se à Presidência da República e se juntar a uma trupe em uma viagem apaixonada em defesa de uma utopia: tentar passar a virada do ano nos braços de sua maior inspiração política, o ex-presidente do Uruguai Pepe Mujica.

O ANEL – ALAÍDE COSTA CANTA JOSÉ MIGUEL WISNIK

Dir.: Daniel Augusto | Brasil | 2021 | 53 min | Documentário | Livre

O reencontro sensível de Alaíde Costa e José Miguel Wisnik onde este destaca sua admiração pela voz incomparável, segura e ao mesmo tempo suave de uma das pioneiras da Bossa Nova. Em outubro de 1968, Alaíde apresentou uma canção de Wisnik no Festival Universitário da TV Tupi. Na época, ela tinha 33 e ele 20 anos. Mais de 50 anos depois, eles se reencontram e decidem gravar em disco, pela primeira vez, a canção do festival.

ESTREIA 9/7

SESSÃO ESPECIAL: REALIZADORAS SOVIÉTICAS

A ASCENSÃO

Dir.: Larisa Shepitko | URSS | 1977 | 109 min | Ficção | 16 anos

No rigoroso inverno que assola a URSS durante a Segunda Guerra Mundial, dois partisans deixam seu acampamento à procura de alimentos para o grupo. A jornada é de provações e sofrimento. Capturados pelos nazistas, reagem diferentemente ao mesmo tratamento brutal. Adaptação do romance “Sotnikov”, do escritor Vassil Bykov. Vencedor do Urso de Ouro, no Festival de Berlim.

### CINECLUBINHO ###

sescsp.org.br/cineclubinho  

ESTREIA 8/7

MITOS INDÍGENAS EM TRAVESSIA

Dir.: Julia Vellutini e Wesley Rodrigues | Brasil | 2019 | 22 min | Animação | Livre

Seis histórias indígenas dos tempos antigos das etnias Kuikuro (Aldeia Afukuri, TerraÍndígena Parque do Xingu, Mato Grosso), Javaé (Aldeia São João, Terra Indígena Parque do Araguaia, Ilha do Bananal, Tocantins) e Kadiwéu (Aldeia São João, Terra Indígena Kadiwéu, Mato Grosso do Sul). Entre as histórias: A Ema, O Menino-Peixe, As Mulheres Sem Rosto, A Via Láctea, A Menina Cobra, e O Urubu Rei.

CLAUDETE E O BOLO

Dir.: Fádhia Salomão | Brasil, Portugal | 2020 | 5 min | Animação | Livre

Alguém que gosta de fazer bolos e os faz com verdadeira dedicação, esta é Claudete. Seus bolos são apreciados por todos e isso a deixa contente, mas quando se vê sobrecarregada pela demanda excessiva, Claudete terá que tomar uma atitude.

BICHO DO MATO

Dir.: Juliana Sanson | Brasil | 2018 | 16 min | Ficção | Livre

Jussara e sua família perdem tudo o que tinham quando suas terras são atingidas por chuvas intensas e violentas. Sem terem onde viver, eles deixam o campo para morar na cidade grande, uma mudança que trará muitas dificuldades para todos, em especial para Jussara que precisará se adaptar a um mundo diferente do que ela conhecia.

LÉ COM CRÉ

Dir.: Cassandra Reis | Brasil | 2018 | 5 min | Animação | Livre

Dinheiro, medo e coisas de menino e menina contados por algumas crianças de um jeito fofo e esquisito. 

Série Cinema #EmCasaComSesc

Nenhum comentário:

Um Forte Clarão, estreia na 45a Mostra Internacional de Cinema

Subvertendo narrativas e padrões, a diretora Ainhoa Rodríguez, apresenta seu filme espanhol UM FORTE CLARÃO (Destello Bravío), que é seu lon...