CANCELADO - FESTIVAL ONLINE E GRATUITO DEDICADO À TRILHA SONORA DE CINEMA ACONTECE ENTRE OS DIAS 08 E 10 DE ABRIL


O Festival Luz, Câmera e Close de Música de Cinema (FLCCMC), evento de música de cinema que aborda a importância da trilha sonora dentro das artes audiovisuais, acontece entre os dias 08 e 10 de abril, totalmente online e gratuito, no YouTube. 

O festival foi criado para mostrar como as trilhas são feitas e o processo criativo dos compositores e realizadores e tem a curadoria e direção musical do compositor e pianista Tony Berchmans e a idealização do produtor Paulo Bastos. 

O objetivo do Festival é discutir esse elemento tão importante e, ao mesmo tempo, abstrato para que o público possa compreender o universo da música de cinema.

Por meio de workshops interativos, painéis, shows e performance, compositores, artistas, estudiosos e diretores poderão esclarecer dúvidas, trazer curiosidades e contar um pouco mais sobre as trilhas sonoras.

Com convidados como André Abujamra, Antônio Pinto, Ricardo Herz, Ciça Lucchesi, entre outros, o Festival traz ao público um recorte deste segmento artístico tão importante e fundamental para a sétima arte. 

“A trilha sonora é a responsável, quase sempre, por marcar personagens e cenas, por emocionar o público e fazer com que uma obra seja eternizada. A trilha sonora tem um peso imenso dentro de uma obra, é quase impossível falar de uma cena, ou de uma personagem, e não lembrar de suas músicas. E agora queremos levar ao público as curiosidades, técnicas e fundamentos de como essas trilhas são pensadas e produzidas. Estamos bem empolgados”, afirma Tony Berchmans.  

Quinta-feira | 08 de abril 

No primeiro dia, Tony Berchmans recebe Richard Ribeiro para o workshop interativo, “Os Primórdios Da Música De Cinema” e depois ambos acompanham ao vivo o filme “O Gabinete Do Dr. Caligari” no espetáculo audiovisual “Cinepiano”. 

Ainda no primeiro dia, teremos mais um workshop interativo, “A Música da Comédia” em que Tony Berchmans e o violonista Ricardo Herz apresentam de forma didática os fundamentos dos filmes cômicos e, depois, apresentam ao vivo a trilha de “O Homem Mosca”, no espetáculo audiovisual “Cinepiano”.

Sexta-feira | 09 de abril

As atividades do segundo dia serão compostas por dois painéis. No primeiro, A “Fascinante Arte Da Música De Cinema”, Antônio Pinto e André Abujamra falam sobre seus processos criativos. 

No segundo, “O Legado Morricone”, em homenagem ao ícone italiano. Alexandre Guerra e o professor Nelson Guarniero irão debater o legado de Morricone para a trilha sonora. Ambos os painéis serão mediados por Tony Berchmans. 

Sábado | 10 de abril

Os cantores Vânia Canto e Gabriel Kaleo lideram a banda especialmente montada para o festival que apresentará um panorama das canções que fizeram a história da grande premiação do cinema de Hollywood, desde clássicos como “Over the Rainbow” a hits recentes como “Shallow”, de “Nasce uma Estrela”. 

Fechando as atividades, a videoartista Ciça Lucchesi se une aos compositores Anselmo Mancini e Tony Berchmans e juntos apresentam a performance multimídia “LAURA Poema Audiovisual”, espetáculo inédito de live cinema e trilha sonora ao vivo com piano e sintetizadores.  

Homenageado

Ennio Morricone, que morreu ano passado aos 91 anos, é um dos maiores compositores de trilhas sonoras da história do cinema. Com canções curtas e diretas, com pianos elétricos e guitarras, Morricone se tornou um ícone ao misturar diversos elementos em suas músicas. 

Ao longo da sua carreira foi responsável pela composição e arranjo de mais de 500 filmes e programas de televisão. Morricone escreveu algumas das trilhas sonoras mais conhecidas dos western spaghetti do cineasta Sergio Leone como: “Por um Punhado de Dólares” (1964) e “Era uma Vez no Oeste” (1968). Outras composições de sucesso incluem as trilhas de: “Era uma vez na América” (1984), “Os Intocáveis” (1987), “Cinema Paradiso” (1988) e “Lolita” (1997).

Ganhou seis prêmios BAFTA entre 1980 e 2016. Foi também indicado pela Academia de Hollywood para cinco Oscars de Melhor Trilha Sonora Original. Em 2007, Morricone recebeu pelas mãos de Clint Eastwood um Oscar honorário por sua carreira musical. 

Em 2016, recebeu seu primeiro Oscar pela trilha sonora de “Os Oito Odiados”, de Quentin Tarantino.


Sobre Tony Berchmans

Compositor, pianista, produtor musical, professor especialista em música de cinema, Tony Berchmans iniciou sua formação musical aos 7 anos de idade, tendo estudado piano, violoncelo, flauta e teoria musical. 

Produziu trilhas sonoras para diversos curtas-metragens como "O Retrato da Felicidade", com Ana Lucia Torres e Wagner Molina, e compôs a música original para o longa "Amores Imperfeitos", de Márcio de Lemos.

Em 2006, lançou o livro: "A MÚSICA DO FILME - Tudo o que você gostaria de saber sobre a Música de Cinema. Em 2007, foi o curador do “Música em Cena - 1º Encontro Internacional de Música de Cinema”, que contou com a participação de Ennio Morricone, Gustavo Santaolalla, Antônio Pinto, entre muitos outros.

É membro votante da WSA Academy (World Soundtrack Awards - Bélgica). Em 2011 criou o espetáculo CINEPIANO Tony Berchmans e, desde então, já realizou mais de 150 concertos em prestigiadas instituições culturais brasileiras e internacionais.

Em 2018 iniciou a série "CINEPIANO Sessions", no YouTube, em que cria novos arranjos para canções clássicas do cinema, com convidados especiais. 

Sobre a PBO

A PBO Entretenimento é uma produtora, idealizada por Paulo Bastos, para criar e executar projetos autorais e de terceiros.

A produtora faz curadorias, direção, produções artísticas e musicais, agenciamentos, contratações, criação de conteúdo cultural, além de produções e PR Cultural.

A PBO também atua com bandas, cantores, Live PA, Performances e DJ’s. 

Sobre o FLCCMC

O Festival Luz, Câmera e Close de Música de Cinema (FLCCMC) traz ao público um recorte deste segmento artístico tão importante e fundamental para a sétima arte.

O Festival mostra que a música é uma poderosa ferramenta dramática na comunicação audiovisual, que transforma o significado de uma cena na esfera da linguagem cinematográfica.

A música é tão importante quanto um ator, porque fala por meio de suas notas o que os personagens não podem dizer. Ou tão importante quanto a fotografia, porque tem o poder da ressignificação.

Entender a articulação da música na linguagem cinematográfica é um desafiador exercício para cineastas e compositores desde a época do cinema mudo. E é esse exercício que o Festival traz por meio de atividades interativas e troca de experiências.

Serviço 

Festival Luz, Câmera e Close de Música de Cinema

Onde: Exibições pelo Youtube e retransmissão pelo Facebook.

Siga também o Festival no Instagram.

Quando: De 08 a 10 de abril

Quanto: Gratuito

Use nossas hashtags #luzcameraeclose #FLCCMC 

Nenhum comentário:

MUBI promove conversas entre realizadores e acadêmicos em outubro

Para conectar ainda mais estudantes com o universo do cinema, a MUBI, distribuidora e serviço global de streaming com curadoria, promove de ...