Animações: empatia e cultura, por Daniel Bydlowski


Filmes de animação são muito mais complexos do que parecem. Exigem técnicas modernas e demandam anos de produção. Graças ao constante avanço da tecnologia a criação de personagens que podem expressar emoções bem próximas às humanas tornam-se reais. Mas na verdade, nem sempre são essas expressões que farão a conexão.

O contexto, os dubladores e outras tantas técnicas têm dado conta muito bem. Claro que quando trata-se de cinema, falamos em um conjunto de coisas que devem trabalhar juntas, história, música, personagens, fotografia e etc. A questão é, se tem um segmento da sétima arte que sabe entregar muito bem a sua mensagem é a animação.

Na lista abaixo, crianças e adultos conheceram culturas e o valor de sentimentos como amizade e empatia da forma mais incrível que poderiam. Portanto, estoure sua pipoca, fique confortável e prepare-se para conhecer um pouco sobre o mundo e a vida com personagens como Buzz LightYear, Stich, Kung-Fu Panda e mais!

ToyStory Os personagens interpretados por brinquedos, representam figuras bem reais para os americanos e tornam-se uma divertida jornada pela cultura do Tio Sam. O Woody: cowboy, xerife do condado, e o Buzz LightYear inspirado no segundo homem a andar na lua, o astronauta da Apollo 11, Buzz Aldrin, junto com toda a galera ao longo das 4 produções, ensinam inúmeras reflexões como o valor da amizade, como lidar com a frustração, aceitação, amor próprio e o poder de propósito.

Lilo e Stitch se seu sonho é conhecer o Hawai, o estranho, mas extremamente cativante Stitch e sua amiga Lilo farão um tour, com direito a trilha sonora de Elvis Presley. Lilo é uma garotinha que vive com a irmã mais velha pois acabaram de perder os pais, tá aí uma lição sobre resiliência. Lilo sofre bullying e encontra em Stitch, que na verdade é um extraterrestre disfarçado de cachorro, um tremendo amigo para aprender a ser forte.  Assim como Lilo, Stitch que é diferente passa a ser julgado e é aí que a empatia entre os dois cresce, além claro do senso de família. Ohana!

Kung Fu Panda as famílias podem ser diferentes, e com muitas pessoas, o que importa é o amor! Provavelmente esta é a melhor mensagem de Kung Fu Panda. Poucos se lembram, mas o estabanado urso é criado pelo protetor pai ganso! Na terceira sequência do filme, Po conhece seu pai biológico e seu amor fica maior ainda. Ambientado na China os cenários e elementos chineses tradicionais trazem uma verdadeira bagagem cultural ao espectador.

Rio é uma verdadeira imersão cultural ao Brasil, mais propriamente dita ao Rio de Janeiro. A animação aborda temas extremamente importantes como o tráfico de animais silvestres, reencontros, o valor da amizade e o descobrimento do verdadeiro amor. Tudo com muita música, bom humor e charme de Blu, Jade, o descontraído e carismático Nico, Linda e Tulio.

Sobre: O cineasta brasileiro Daniel Bydlowski é membro do Directors Guild of America e artista de realidade virtual. Faz parte do júri de festivais internacionais de cinema e pesquisa temas relacionados às novas tecnologias de mídia, como a realidade virtual e o futuro do cinema. Daniel também tenta conscientizar as pessoas com questões sociais ligadas à saúde, educação e bullying nas escolas. É mestre pela University of Southern California (USC), considerada a melhor faculdade de cinema dos Estados Unidos. Atualmente, cursa doutorado na University of California, em Santa Barbara, nos Estados Unidos. Recentemente, seu filme Bullies foi premiado em Newport Beach como melhor curta infantil, no Comic-Con recebeu 2 prêmios: melhor filme fantasia e prêmio especial do júri. O Ticket for Success, também do cineasta, foi selecionado no Animamundi e ganhou de melhor curta internacional pelo Moondance International Film Festival.
 

Nenhum comentário:

A VIDA INVISÍVEL no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

  Produzido por Rodrigo Teixeira, da RT Features, A VIDA INVISÍVEL teve sua estreia mundial no Festival de Cannes de 2019, no qual conquist...