Crítica Filme "Brightburn – Filho das Trevas" - Rita Vaz



Você já imaginou se os super-heróis que conhecemos das histórias em quadrinhos e dos filmes, tivessem a sua moral subvertida?

E se eles, com todo o seu poder, fossem “do mal” ao invés de protegerem as pessoas, o que seria da humanidade?

Bem, é essa a premissa, superinteressante do longa “Brightburn – Filho das Trevas”.

Quando pela primeira vez li sobre esse filme, fiquei bastante empolgada com o que o diretor David Yarovesky (Guardiões da Galáxia, A Colmeia) poderia entregar aos espectadores, e acabei surpreendida com uma história prá lá de bem-feita.

Na trama conhecemos o casal Tori e Kyle, que vivem em uma região rural e por mais que queiram e tentem, não conseguem engravidar.

Em uma determinada noite, alguma coisa cai do céu no terreno deles e eles encontram lá, um bebê, que decidem cria-lo como se fosse seu filho.

Os anos passam e Brandon é um garoto normal, tem pais amorosos, estuda e sofre bullying na escola, mas é quando ele completa 12 anos que algo acontece e tudo muda.

De repente, após seu aniversário, Brandon se torna uma criança sem sentimentos, fria e descobre em si poderes que nunca tinha percebido.

O que ele quer, se torna mais importante que tudo o mais, e ele não aceita ser incomodado em suas intenções e passa por cima de quem tenta contradizê-lo.

A partir daí, a pequena cidade em que eles trabalham e estudam, começa a ser aniquilada.

O roteiro do longa é muito bem desenvolvido, tem uma história que cresce e capricha na construção do suspense e terror.

Muitas cenas são bastante reais e chegam a incomodar, mas em um bom sentido.

O elenco está ótimo no filme, com destaques para a atriz Elisabeth Banks que faz a mãe de Brandon, e entrega uma personagem crível, que apesar de todas as evidências, acredita e ama seu filho.

O destaque maior vai para o ator mirim Jackson Dunn que faz um personagem amável e amedrontado no início e logo depois entrega um verdadeiro mestre do terror.

Os efeitos especiais são um caso à parte, são muito bem feitos e de excelente qualidade, e ainda mais, foram muito bem pensados.

“Brightburn – Filho das Trevas” é um filme que pode ter algumas leituras, você pode pensar nele, como se fosse uma analogia à entrada da puberdade, ou à incerteza dos pais em relação à criação dos filhos, mas o gênero terror é o mais acertado para a leitura desta obra, que além de ser cheia de referências ao clássico filme de super-herói, é também uma obra bastante particular na qualidade de subversão de temas.

Recomendo muito este filme, principalmente para quem gosta do gênero terror e para quem é fã de histórias de superpoderes.

Título Original: Brightburn
Gênero: Terror
Duração: 1 hora e 31 minutos
Ano de Lançamento: 2019
Direção: David Yarovesky
Elenco: Elizabeth Banks, David Denman, Jackson Dunn, Stephen Blackehart, Meredith Hagner, Matt L. Jones, Gregory Alan Williams, Michael Rooker.

Nenhum comentário: