Crítica Filme "A Favorita" - Rita Vaz



Baseado em fatos reais “A Favorita” chega aos cinemas com várias indicações e alguns troféus dos festivais mais importantes do cinema, inclusive lidera a corrida ao Oscar 2019 com 10 indicações.

Duas mulheres que fazem de tudo para chamar a atenção da Rainha da Inglaterra e se tornarem a sua favorita; essa é a premissa do filme dirigido pelo grego Yogor Lanthimos, que tem em seu currículo filmes como “O Lagosta” que tem a crítica a sociedade como seu maior mote.

Assim também é em “A Favorita” que mostra de forma realista como viviam as pessoas no século XVIII.

A Rainha Ana comandava o Reino Unido em uma época especialmente difícil. 

Uma guerra entre o Reino Unido e a França, fazia com que os dois partidos da época, disputassem a escolha da rainha, por continuar ou não, na dita guerra, pois as duas decisões acarretavam muitas consequências.

Ana tinha em sua conselheira e confidente, a Duquesa de Marlborough, sua melhor amiga.
Mas, a duquesa aproveitava da confiança da rainha e sob muita manipulação, acabava ela, comandando o reino.

Pois, além de amiga, era amante, e muitas decisões são tomadas na alcova.

Tudo vai bem (para a duquesa) até que Abigail, uma prima distante dela, chega ao palácio e começa a trabalhar próxima à rainha.

Muito inteligente e perspicaz, ela começa a enredar a monarca e ganhar sua confiança, destruindo o quanto possa da confiança da duquesa.

Um jogo de poder e ironia se instala no palácio, e muitos terão a ganhar e muitos a perder.

A trama de “A Favorita” se sustenta na força feminina. Em uma época em que as mulheres eram tratadas como objetos, para limpeza e satisfação sexual, é muito interessante ver, como elas aprenderam a usar o poder da manipulação para conseguirem se destacar das outras e até mesmo se livrar de situações, prá lá de incômodas.

As atrizes Olivia Colman (Rainha Ana), Emma Stone (Abigail) e Rachel Weisz (Duquesa) estão maravilhosas em cena. Além de estarem em perfeita sincronia, cada uma tem tempo para desenvolver seu personagem de maneira peculiar.  

Mas, é Olivia Colman que leva os louros de melhor interpretação por criar uma rainha tão poderosa e ao mesmo tempo infantil, indecisa, dependente e soberana.

Às vezes em apenas um close, é possível perceber uma profusão de emoções.

A direção de arte, o figurino e a maquiagem estão todos extremamente bem feitos, pois não mostram somente o luxo da época, mostram a dura realidade de uma sociedade que vivia ainda na escuridão, sem saneamento básico e sem respeito ao ser humano.

“A Favorita” é um drama de época, feito com humor irônico, recheado de diálogos de duplo sentido e que não deve deixar de ser visto. Recomendo!

Título Original: The Favourite
Gênero: Drama
Duração: 2 horas
Ano de Lançamento: 2019
Direção: Yórgos Lánthimos
Elenco: Olivia Colman, Emma Stone, Rachel Weisz, Nicholas Hoult, Joe Alwyn, James Smith (III), Mark Gatiss, Timothy Innes.

Nenhum comentário: