Festival de Cinema da Bienal de Curitiba



Em sua 11ª edição, O Festival de Cinema da Bienal de Curitiba (FICBIC) traz mais uma vez para as telas da cidade, filmes que possuem algumas características em comum e que resumem o mote do evento, a representatividade.

A curadoria do Festival está em sintonia com a temática do país, trazendo obras que provocam a reflexão e se preocupam com a estética.
Serão dez dias em que a sétima arte será representada nessa Bienal, com a exibição de mais de 100 filmes.

De 09 a 19 de novembro, o festival apresentará os seguintes circuitos, o Brasileiro, o Clássico, o Curto-circuito, Diretor Homenageado, o Mundial e o Universitário.

O Circuito Brasileiro que é o carro-chefe do Festival, exibirá filmes recentes e premiados e tem curadoria de Paulo Camargo e Denize Araújo. 





O filme de abertura do Festival será o “Arábia” dos brasileiros Affonso Uchôa e João Dumans.

O longa conta a história de um jovem que encontra, em uma fábrica de alumínio, o diário de um operário que sofreu um acidente e conhece um panorama das condições de vida desses trabalhadores.

Com alguns prêmios já arrematados, o filme fala de temáticas e conflitos do povo brasileiro com um relevante contexto atual, mostrando uma estética realista.

A exibição de “Arábia” acontecerá no dia nove, às 20:00 horas no Espaço Itaú de Cinema. Os valores dos ingressos são de seis reais (inteira) e três reais (meia).


Curadores (da esquerda para a direita) – Nicole Loiola, Mariana Bernal, Paulo Camargo, Denize Araújo e Aristeu Araújo.

O Circuito Clássico tem curadoria de Aristeu Araújo e apresentará filmes como “Ran” de Akira Kurozawa e “Aguirre – A Cólera dos Deuses” de Werner Erzog, entre outros. Os clássicos estão sempre na visão do festival.

O Curto Circuito tem curadoria de Mariana Bernal e é direcionado para crianças e adolescentes.

O Circuito Diretor Homenageado nesta edição, vai trazer o diretor e roteirista francês Jacques Demy, responsável por clássicos do século passado, como “Pele de Asno”(1970), “Os Guarda-Chuvas do Amor” (1967) e “Lola, a Flor Proibida”(1961) – todos longas que serão exibidos no FICBIC. A mostra trará cinco obras do diretor, sendo quatro delas em película 35mm.

O Circuito Mundial se divide nas mostras australiana, chinesa, espanhola, norueguesa e israelense.

O Circuito Universitário que tem curadoria de Nicole Loiola, trará ao todo, doze filmes.

Os locais de exibição do Festival serão o Espaço Itaú, o Cine Guarani, a Cinemateca e o Cinepensamento (Paço da Liberdade); todos, exceto o Espaço Itaú, têm entrada gratuita. 

O Espaço Itaú de Cinema fica na Rua Comendador Araújo, 731, no Batel; o Cine Guarani, no subsolo do Portão Cultural, é localizado na Avenida República Argentina, 3430, em frente ao Terminal do Portão; a Cinemateca, fica na Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1.174 e o Cinepensamento é no 1º andar do SESC Paço da Liberdade (Praça Generoso Marques, 189, Centro).

Para mais informações, como a programação completa do evento, acesse a página oficial do Festival no Facebook, facebook.com/ficbic/ou o site bienaldecuritiba.com.br/2017/cinema/ .

RITA VAZ.


Nenhum comentário: