12ª Edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro Terá Homenagem à Atriz Ruth de Souza


Maior premiação do cinema nacional, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro entra em sua segunda fase de votação para definir os filmes e profissionais de cinema que se destacaram no ano de 2012. Escolhidos pelos membros da Academia Brasileira de Cinema e também pelo público, os vencedores receberão o Troféu Grande Otelo durante a cerimônia de premiação que será realizada no dia 13 de novembro, às 21h, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. O Grande Prêmio será exibido ao vivo, a partir das 20h45 no Canal Brasil, e também no site www.canalbrasil.com.br. O evento terá mais uma vez a direção artística de Ivan Sugahara, um dos diretores teatrais mais requisitados da atualidade (“A Serpente”, “Vida, O Filme”), com cenografia de Nello Marrense e iluminação de Paulo César Medeiros.

VOTAÇÃO POPULAR

Após a primeira fase de votação - restrita aos membros da Academia, os cinco mais votados em cada uma das 25 categorias configuram a lista dos finalistas. A votação dos acadêmicos é auditada pela PwC. Nesta segunda fase, o público também participa da votação para escolher os melhores longas-metragens de ficção, estrangeiro e documentário através do site www.academiabrasileiradecinema.com.br ou pela fan page (www.facebook.com/GPdoCinemaBrasileiro). A votação popular começa no dia 25 de outubro (sexta-feira) e termina um dia antes da cerimônia, em 12 de novembro.

Do ponto de vista profissional, ao premiar os realizadores todos os anos, a Academia consolida o cineasta de cinema junto aos seus pares e à opinião pública; fortalece a família do cinema brasileiro e ressalta a importância da nossa atividade na economia”, explica Roberto Farias, presidente da Academia Brasileira de Cinema. “Do ponto de vista afetivo, é uma consagração, um carinho que os colegas dedicam ao premiado, reconhecendo seu trabalho e sua importância no cinema brasileiro”, completa.

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é organizado pela Academia Brasileira de Cinema e realizado pela Espaço/Z, e conta com o patrocínio da TV Globo através da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura e da Prefeitura do Rio de Janeiro através da RioFilme. A premiação tem ainda copatrocínio da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, Cinemark e Telecine e apoio da Globo Filmes, Canal Brasil, PwC, Kinoplex, Filme B, Clear Channel, UCI Cinemas, AdoroCinema, Sony Pictures, Downtown Filmes, Lereby, Warner Bros., Paris Filmes, Fox Filmes, Europa Filmes, Mixer, O2 Filmes e Paramount Pictures.

FINALISTAS

Liderando a lista dos finalistas está o filme “Gonzaga de Pai para Filho”, de Breno Silveira, que recebeu 15 indicações, seguido de perto por “Xingu”, de Cao Hamburguer, com 13. “Corações Sujos”, de Vicente Amorim, teve dez indicações e “Heleno”, de José Henrique Fonseca, recebeu nove indicações. “2 Coelhos”, Afonso Poyart, foi indicado em oito categorias e “Febre do Rato”, de Claudio Assis, e “Paraísos Artificiais”, de Marcos Prado, teve cinco indicações. Concorrendo em três categorias aparecem os filmes “À Beira do Caminho” e “Boca”, além dos documentários “A Música segundo Tom Jobim”, “Raul – O início, o fim e o meio” e “Tropicália”. Os filmes “Sudoeste”, “Reis e Ratos”, “Luz nas Trevas – A Volta do Bandido da Luz Vermelha” e “E aí... Comeu?” receberam duas indicações cada. Com uma indicação estão “Era uma vez eu, Verônica”, “Os Penetras”, “Astro – Uma Fábula Urbana em um Rio de Janeiro Mágico”, “Disparos”, “Menos que nada”, “Violeta foi para o Céu”, “5x Pacificação”, “Marighella”, “Marcelo Yuka no caminho das Setas” e “Uma Longa Viagem”.

Os finalistas na categoria Melhor Longa-Metragem Infantil são “31 Minutos”, de Álvaro Díaz e Pedro Peirano; “Brichos – a Floresta é Nossa”, de Paulo Munhoz; “Cocoricó Conta Clássicos”, Fernando Gomes e “Peixonauta – Agente Secreto da O.S.T.R.A”, de Célia Catunda e Kiko Mistrorigo. “Brichos – a Floresta é Nossa” e “Peixonauta – Agente Secreto da O.S.T.R.A” também disputam o prêmio de Melhor Longa-Metragem de Animação.

Na categoria Melhor Longa-Metragem Estrangeiro participam: “A Invenção de Hugo Cabret”, dirigido por Martin Scorsese (distribuição de Paramount Pictures); “A Separação”, de Asghar Farhadi (Imovision); “Argo”, de Ben Affleck (Warner Bros.); “As Aventuras de Pi”, dirigido por Ang Lee (Fox Filmes); e “Intocáveis”, de Olivier Nakache (California Filmes).

“A Mão que Afaga”, “A Melhor Idade”, “A Onda traz o Vento Leva”, “Laura” e “O Duplo” foram selecionados para o prêmio de Melhor Curta de Ficção de 2012, enquanto “A Cidade”, “Desterro”, “Elogio da Graça”, “Filme para Poeta Cego” e “Quem tem Medo de Cris Negão?” disputam o prêmio de Melhor Curta-Metragem Documentário. Na categoria Curta-Metragem Animação foram classificados “Cabeça de Papelão”, “Dia Estrelado”, “O Ogro”, “Realejo” e “Valquíria”.

HOMENAGENS

Pioneira no cinema, teatro e televisão, a atriz Ruth de Souza será a grande homenageada do XII Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. Ela começou a carreira nos palcos em 1945 com o Teatro Experimental do Negro, criado por Abdias do Nascimento e Agnaldo Camargo, na peça O Imperador Jones, de Eugene O´Neil. Tornando-se a primeira atriz negra a se apresentar no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Nos cinemas, Ruth estreou em 1948 no filme Terra Violenta, adaptação do romance Terras do Sem Fim, dirigido por Edmond Bernoudy. Focada em trabalhos no cinema, participou de diversas produções das três empresas pioneiras do mercado: Atlântida, Maristela Filmes e Vera Cruz. Seu elogiado desempenho no filme Sinhá Moça, dirigido por Tom Payne, rendeu a primeira indicação de uma atriz brasileira a um prêmio internacional: o Leão de Ouro do Festival de Veneza, em 1954. A vasta carreira no cinema soma mais de 30 filmes, entre eles Ravina, O Assalto ao Trem Pagador (1962), A Grande Arte (1991), Um Copo de Cólera (1999), e As Filhas do Vento (2004), pelo qual ganhou o prêmio de melhor atriz no Festival de Gramado.

Diretor, produtor, roteirista, professor e assistente de direção dos mais importantes do cinema nacional, Roberto Santos será homenageado post morten do Grande Prêmio. Já Ismail Xavier, um dos mais respeitados críticos e estudiosos do cinema nacional e internacional, receberá o Prêmio Especial de Preservação.

Nenhum comentário: