Crítica "O Homem de Aço"




Em 1938 foi criado o mais icônico personagem dos quadrinhos, conhecido mundialmente como Superman.
Ele já foi adaptado para o rádio, televisão, videogames e cinema, sendo um dos heróis mais lembrado e enobrecido pelos fãs.

Sob a direção de Zack Snyder (Sucker Punch) e produção de Chrystopher Nolan (Trilogia Cavaleiros das Trevas) o “Homem de Aço” chegou com uma enorme expectativa dos fãs que esperam reencontrar seu herói favorito muito bem retratado e uma imensa responsabilidade de seus feitores em agradar essa massa de fãs.

A história é clássica, mas com novos e interessantes elementos.
O planeta de origem do homem de aço é mostrado com detalhes e conhecemos mais profundamente a história de seus habitantes.
O filme começa e somos apresentados ao planeta Krypton que está em pleno colapso. 

O casal Jor-El e Lor-Em decidem salvar seu filho recém-nascido, enviando-o ao planeta Terra onde sua vida é possível. Junto dele, eles escondem toda a história de seu povo.
General Zod, um guerreiro destemido não admite que esse conhecimento seja levado de seu planeta e tenta impedir Jor-El de salvar seu filho.
Depois de fracassar em seu intento, ele é preso e condenado a ficar em uma prisão situada longe de seu planeta. 

Krypton entre em convulsão e deixa de existir.
O pequeno viajante é encontrado por Jonathan e Martha Kent, que o acolhem como filho e ensinam para ele todos os valores morais que uma pessoa deve ter.
Com o tempo os poderes do menino, agora chamado Clark Kent aumentam e ele precisa aprender a controlá-los com a ajuda de seus novos pais.

O tempo passa e muitos anos depois, Clark ainda procura respostas para suas dúvidas mais íntimas.
Zod o encontra na Terra, e para não aniquilar o planeta exige que Kal-El seja entregue como prisioneiro.
O homem de aço ficará diante de um dilema, salvar o planeta que o acolheu ou destruí-lo para que uma nova Krypton renasça.

Sob o ponto de vista técnico, o filme é perfeito. Imagine dois super homens (Kar-El e o General Zod) lutando em nosso planeta, onde tudo é facilmente destruído por ambos. Todas as possíveis explosões, colisões e destruições de uma cidade inteira estão lá, retratadas da forma mais real possível. Impressionante!

Sob o ponto de vista humano, a história do homem que busca sua identidade em um lugar onde é considerado um alienígena, com valores recebidos de pais biológicos e de pais afetivos também está lá.

Uma mistura de muita ação com momentos de delicadeza faz do novo homem de aço, um dos melhores que o cinema já produziu. Super recomendo!!!

Nenhum comentário: