Crítica Filme "Em Transe"


Filmes que mexem com a mente são especialmente apreciados pelos cinéfilos.

A possibilidade de “enxergar” além do normal, o que passa dentro da cabeça de um ser humano é fascinante.

Nesse novo longa de Danny Boyle, responsável pelos incríveis “Quem quer ser um milionário?” e “127 horas” podemos observar temas como arte, hipnoses, sistemas de segurança, tramas amorosas se misturando com uma maestria ímpar.

“Em Transe” é um filme para ser visto com bastante atenção, pois a história é complexa, nem uma cena está lá por acaso e tudo o que é citado tem razão para isto.

Simon trabalha com leilões, com obras de arte valiosíssimas e por isso mesmo o treinamento para que nem uma delas seja roubada é feito intensa e incessantemente.

Mas, Simon também é viciado em jogos, e depois de ter perdido muito dinheiro, consegue com um malfeitor que ele pague sua dívida.

Acontece que para pagar a dívida ao bandido, ele combina com ele e sua gangue o roubo de uma obra de arte.

Durante o assalto, Simon sofre uma grave pancada na cabeça e acaba perdendo a memória do lugar onde escondeu a tela.

Depois de uma cruel tortura sem resultados, eles procuram uma especialista em hipnose para ajudá-los.

A Dra. Elizabeth se mostrará mais do que eficiente conseguindo penetrar na mente não só de Simon, mas de todos os integrantes do bando.

“Em Transe” é um filme cheio de reviravoltas, que deixa a história cada vez mais interessante, durante todo o filme você não sabe o que é realidade ou imaginação, e é justamente isso que torna o filme atraente. Recomendo!

Nenhum comentário:

A VIDA INVISÍVEL no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

  Produzido por Rodrigo Teixeira, da RT Features, A VIDA INVISÍVEL teve sua estreia mundial no Festival de Cannes de 2019, no qual conquist...