Crítica Filme "O Vôo"


Um filme emocionante e surpreendente.

Na primeira cena encontramos Whip Whitaker acordando ao lado de uma linda mulher, tomando como café da manhã um resto de cerveja e que antes de sair para o trabalho, no qual está relativamente atrasado, cheira uma carreira de cocaína.

O problema maior é que Whip é o comandante de uma aeronave e mesmo estando sob o efeito das drogas, leva seu avião às alturas.

Depois de uma turbulência fora do normal, o comandante toma duas pequenas garrafas de vodka para relaxar, e então acontece a tragédia.

Seu avião tem um grande problema mecânico e começa a cair. Whip é um excelente piloto e animado pelo poder das drogas, faz manobras dificílimas e consegue pousar o avião em um campo longe de centros urbanos, salvando noventa e seis dos cento e dois passageiros.

A partir desse momento ele é aclamado como um novo herói que salvou muitas vidas.

Tudo seria perfeito se não fosse a chegada do resultado do exame toxicológico feito na tripulação.

É nesse momento que uma séria investigação interna caçará o culpado pela morte de seis pessoas.

“O Vôo” é um filme que mostra o drama das pessoas que são dependentes químicos e que por isso mesmo perdem o melhor de suas vidas.

Denzel Washington consegue transmitir toda a solidão e abatimento de um homem diante da verdade que até então era negada e consegue também mostrar como uma pessoa pode ficar altiva e arrogante quando está sob efeitos químicos.

Com um roteiro direto e muito bem escrito, com excelentes atuações e uma direção certeira, “O Vôo” é um dos melhores lançamentos em drama dos últimos tempos.

Nenhum comentário:

A VIDA INVISÍVEL no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

  Produzido por Rodrigo Teixeira, da RT Features, A VIDA INVISÍVEL teve sua estreia mundial no Festival de Cannes de 2019, no qual conquist...