Crítica Filme "O Lado Bom da Vida"

 
Uma comédia dramática já é interessante pelo próprio mote, subentende-se que os personagens rirão de seus próprios problemas, e é assim “O Lado Bom da Vida”.
Por que, apesar de tudo, não tentarmos novamente, não darmos a volta por cima?
O filme responde a essa pergunta com Pat, um professor de história que tem sua vida mudada depois que encontra sua esposa nos braços de outro homem.
A cena o deixa violento, o que acarreta alguns meses de internamento em um sanatório.
Diagnosticado como bipolar, ele consegue sair do local sob a tutela de sua mãe.
Ele acredita piamente que vai reconquistar tudo o que perdeu, principalmente sua esposa.
O problema é que ele vive em uma família disfuncional. A mãe é quieta demais, o pai tem problemas de “toc”, seus parentes e amigos sempre apresentam algum comportamento estranho.
Em meio a essa empreitada ele conhece Tiffany, uma jovem viúva que também tem problemas comportamentais.
Ela promete ajudá-lo a reconquistar sua esposa com a condição de ele ser o seu par em um concurso de dança.
Essa relação inesperada os levará a um relacionamento mais próximo e sincero do que eles jamais haviam imaginado.
“O Lado Bom da Vida”  trata da complexidade das relações humanas, com excelentes atuações, um roteiro muito bem desenvolvido e uma ótima direção.
Temos o prazer de ver Robert DeNiro como há muito não se via, atuando de forma brilhante.
Indicado a oito Oscar, o filme cumpre o que promete, diverte com qualidade.

Nenhum comentário:

A VIDA INVISÍVEL no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

  Produzido por Rodrigo Teixeira, da RT Features, A VIDA INVISÍVEL teve sua estreia mundial no Festival de Cannes de 2019, no qual conquist...