SISTEMA FIEP INAUGURA NOVO CENTRO CULTURAL COM ARTE CLÁSSICA E CONTEMPORÂNEA


No próximo dia 17 de março, quinta-feira, Curitiba vai ganhar um novo espaço cultural no coração da cidade - o Centro Cultural Sistema FIEP – localizado no pavimento térreo do edifício sede da entidade, na Avenida Cândido de Abreu, com 521 metros quadrados dedicados a promoção da arte e da cultura.

A exposição inaugural “Uma Homenagem à Arte Paranaense” reúne obras de artistas clássicos e a mostra da artista contemporânea Vera Lilia. A exposição entrelaça passado, presente e futuro da arte paranaense, convidando o público a uma viagem ao tempo e à memória da cultura local.

O fio condutor deste passeio é Antonio Mariano de Lima, patrono do Centro Cultural Sistema FIEP, artista português visionário que promoveu o encontro do operário com as artes no final do Século XIX, no Liceu de Artes e Ofícios da então Província de Coritiba. O Liceu foi frequentado por artistas que, décadas depois, fundaram a Escola de Belas Artes do Paraná, como Alfredo Andersen.

Antonio Mariano de Lima recebe esta homenagem por ser um visionário e enxergar no Paraná a localidade ideal para receber um sistema educacional nos moldes europeus, voltado para a liberdade de ensino, horários flexíveis, cursos gratuitos e sem distinções.

“O ideário de Mariano de Lima permanece atual e pode ser traduzido por inovação, empreendedorismo e competitividade, ideais que a Fiep vem sustentando ao longo da atual gestão”, afirma o presidente do Sistema Fiep, Rodrigo da Rocha Loures. Segundo ele, o Centro Cultural Sistema Fiep marca com qualidade a difusão das artes no meio empresarial, artístico e comunitário do Paraná.

Em “Uma Homenagem à Arte Paranaense” estarão expostas doze obras de artistas clássicos do Paraná: Alfredo Andersen, Arthur Nísio, Erbo Stenzel, Estanislau Trape, Frederico Lange de Morretes, Guido Viaro, João Turin, João Zaco Paraná, Leonor Lea Botteri Genehr, Oswald Lopes, Theodoro de Bona, Waldemar Curt Freysleben.

Segundo a curadora Maria Cecilia Araujo de Noronha, “a exposição é um recorte da arte paranaense e pretende enfatizar os desdobramentos que a Escola criada por Mariano de Lima possibilitou à cidade de Curitiba”.

Pinheiros - Fazendo referência à arte paranaense contemporânea, a artista plástica Vera Lília mostrará um trabalho que valoriza os Pinheiros do Paraná. Suas esculturas exploram três elementos: resina de poliéster, cerâmica e bronze. “São peças figurativas que homenageiam as coisas do Paraná. É uma honra inaugurar uma galeria”, comenta Vera Lília, que em 2011 celebra os vinte anos da sua primeira exposição, realizada em Curitiba.

Com foco na inovação e no futuro, a exposição “Uma Homenagem à Arte Paranaense” ainda surpreende o público ao retratar com tecnologia as obras de artistas clássicos que compõem a paisagem urbana da cidade e convivem com os curitibanos há várias gerações.

Um exemplo dessa onipresença são as calçadas de Curitiba, que foram projetadas por Frederico Lange de Morretes e as pessoas não se dão conta que convivem com uma autêntica obra de arte.

Na exposição serão representadas cinco intervenções arquitetônicas assinadas por artistas clássicos do Paraná, que o público poderá conhecer por meio de uma representação holográfica jamais vista em exposições no Estado. Com a tecnologia inovadora, será possível visualizar a obra como se estivesse no local, de todos os ângulos.

Nenhum comentário:

Festival de Cinema Brasileiro de Paris anuncia programação completa de sua 26ª edição

"Nas Ondas de Dorival Caymmi", "Barravento", "Nosso Sonho" e "Meu Nome É Gal".  O Festival de Cinema...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba