“Diálogos com Ruth de Souza”, dirigido por Juliana Vicente ganha data de estreia

Premiado longa chega aos cinemas no dia 09 de maio e já passou por quinze festivais ao redor do mundo. Juliana também dirigiu “Racionais: Das Ruas de São Paulo pro Mundo”, que está na Netflix.


O premiado “Diálogos com Ruth de Souza”, dirigido por Juliana Vicente (“Racionais: Das Ruas de São Paulo pro Mundo” e Cores e Botas”) chega aos cinemas dia 09 de maio. A data não foi escolhida por acaso. No dia 08 de maio de 1945, quase 80 anos atrás, Ruth estreava no Theatro Municipal do Rio de Janeiro com a peça “Imperador Jones”, de Eugene O'neil, ao lado da trupe do Teatro Experimental do Negro (TEN), o primeiro grupo de artistas negros a se apresentar naquele palco. Em 12 de maio de 2024, ela completaria 103 anos. Com produção da Preta Portê Filmes, o longa é o primeiro filme lançado pela Preta Play, braço de distribuição da produtora criada por Juliana Vicente.  

O filme, que contém diversas conversas gravadas e abundantes materiais de arquivo, conta a história de uma das grandes damas da dramaturgia brasileira com imagens captadas nos últimos dez anos de vida da atriz. Em meio a reflexões e memórias, nasce o diálogo entre duas gerações de artistas negras, Ruth e Juliana.  

O primeiro encontro entre as duas artistas aconteceu em 2009. “Tinha uma ideia pré-concebida dela como uma diva, mas quando cheguei, obviamente encontrei uma pessoa, e num momento bem específico da vida, já com algumas limitações impostas pela idade”, comenta a diretora. Foi uma jornada de dez anos até a morte da Ruth, em 2019, aos 98 anos. 

Em meio a um vasto material de arquivo, o filme apresenta ainda um cruzamento com o universo mitológico africano através do encontro com as Yabás, orixás femininas, em uma interpretação ficcional e transcendental da vida de Ruth, interpretada pelas atrizes Dani Ornellas e Jhenyfer Lauren nas fases adulta e jovem, respectivamente. No elenco, estão também a artista visual Rosana Paulino, a mãe de santo Iya Wanda De Omolu, a cantora, compositora e atriz Lívia Laso, a atriz Mirrice De Castro e a cantora Luísa Dionísio. Dani e Jhenyfer, aliás, fazem parte da história de Juliana há muitos anos. As duas estrelaram o primeiro curta-metragem da diretora, "Cores e Botas". Além disso, Dani foi a responsável por apresentar Juliana a Ruth, em 2009. 

Com  uma vasta carreira de mais de 70 anos dedicada ao teatro, cinema e televisão, Ruth de Souza se destacou pelo seu pioneirismo e é considerada a primeira grande referência para artistas negros na dramaturgia. Foi a primeira brasileira a disputar um prêmio internacional de cinema - em 1954, ela concorreu ao prêmio de melhor atriz no Festival de Veneza por seu trabalho em “Sinhá Moça” -, e também foi primeira atriz negra a protagonizar uma telenovela na TV Globo, em “A Cabana do Pai Tomás” (1969).  

Prêmios e Festivais

Juliana Vicente conquistou por “Diálogos com Ruth de Souza” a Melhor Direção de Documentário no Festival do Rio 2022. O filme foi laureado, no mesmo ano, no Festival de Brasília com o Prêmio Marco Antônio Guimarães pela obra que melhor trabalhou com pesquisa, material de memória e arquivos do cinema nacional. No ano de 2023, o FEMINA|Festival Internacional de Cinema Feminino concedeu ao longa o Prêmio do Júri. O documentário também foi selecionado para mais nove festivais brasileiros: 46ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Mostra de Cinema de Tiradentes 2023, Olhar de Cinema 2023 (Curitiba), Mostra Ecofalante 2023, Festival de Cinema de Santos, CineOP - Ouro Preto 2023, Semana de Cinema Negro de Belo Horizonte 2023 e Festival Latino-Amercicano de Documentário de São Francisco do Sul 2023 (Santa Catarina). E para os festivais internacionais: Harlem International Film Festival 2023 (Estados Unidos), BlackStar Film Festival 2023 (Estados Unidos), Trinidad + Tobago Film Festival 2023 (Trinidade e Tobago). 

 

Sinopse

Ruth de Souza inaugura a existência de atrizes negras em palcos, televisões e cinema no Brasil. Carrega em si a gênese de parte importante das conquistas para as mulheres negras ao longo de quase um século de vida. Aos 95 anos, ultrapassando os 70 de carreira, em meio a reflexões e memórias, nasce o diálogo entre duas gerações de artistas negras, Ruth e a diretora. 

Ficha Técnica

Direção: Juliana Vicente

Roteiro: Juliana Vicente

Elenco: Dani Ornellas, Jhenyfer Lauren, Rosana Paulino, Iya Wanda De Omolu, Luísa Dionísio, Livia Laso, Mirrice De Castro, Ruth De Souza

107 minutos

Nenhum comentário:

Canal Brasil reexibe episódios de "O Papel da Vida", conduzidos por Marina Person

“ O Papel da Vida ”, programa apresentado por Marina Person durante 2 anos no Canal Brasil, terá alguns episódios reprisados a partir de seg...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba