Crítica Filme "Sobreviventes - Depois do Terremoto" por Rita Vaz

Estreia nesta quinta-feira o filme sul-coreano “Sobreviventes - Depois do Terremoto” com direção do cineasta Tae-hwa Eom, que também assina o roteiro ao lado de Lee Shin-ji.

A história apresenta um mundo reduzido a escombros depois de um grande terremoto, sem causa aparente.

Depois da tragédia, no coração de Seul, há apenas um prédio em pé, o Hwang Gung Apartments, que se torna o centro da história.

Com o passar do tempo, pessoas de fora começam a entrar nos apartamentos com a intenção de se protegerem do frio extremo e, em pouco tempo, os moradores são incapazes de lidar com o número crescente de pessoas abrigadas no prédio. A partir daí, decretam uma medida especial, em que somente os proprietários dos apartamentos podem permanecer no local.

A partir daí uma verdadeira guerra se instala, para colocar para fora as pessoas que não fazem parte desse condomínio.

O diretor Tae-hwa Eom consegue construir um mundo caótico, pós terremoto, que caminha a passos largos, para um mundo distópico, onde a opressão e o desespero se tornam protagonistas entre as pessoas que sobreviveram.

Ele conta ainda com um excelente elenco, colocando na conta o drama exacerbado dos personagens, bons efeitos especiais, excelente direção de câmera, e com alguns takes que surpreendem.

Assistindo ao filme me lembrei de outras histórias que criticam a sociedade, que na tentativa de sobreviver a um evento catastrófico, perde o controle ao tentar se autogovernar, atribuindo algumas lideranças a pessoas que não possuem um caráter rígido.

Me lembrei do livro de William Golding, “O Senhor das Moscas”, do livro de George Orwell, “A Revolução dos Bichos”, e alguns filmes recentes também baseados em livros como a série “Divergente”.

Porém, não quero dizer que é mais uma história sobre o assunto, não. Muitas histórias são parecidas, mas, os caminhos que elas percorrem são bastante diferentes.

E é o caso de “Sobrevivente – Depois do Terremoto”, que consegue concentrar a história em um condomínio, que representa bem a sociedade, o espírito de coletividade ou não, a liderança interessada no bem maior ou não, cada indivíduo com sua história particular.

“Sobrevivente – Depois do Terremoto” é um filme para ser visto com atenção, pois, tem muitas peculiaridades para serem vistas e entendidas.

Esse é mais um filme sul-coreano que veio para marcar presença, para chamar a atenção do público, para fazer com que as pessoas pensem, cada vez mais no coletivo.

Recomendo muito!

Nenhum comentário:

Canal Brasil reexibe episódios de "O Papel da Vida", conduzidos por Marina Person

“ O Papel da Vida ”, programa apresentado por Marina Person durante 2 anos no Canal Brasil, terá alguns episódios reprisados a partir de seg...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba