Crítica "Aquaman 2 – O Reino Perdido" por Rita Vaz

Estreia nesta quinta-feira, um dos filmes mais aguardados do ano “Aquaman 2 – O Reino Perdido”, dirigido pelo cineasta James Wan, que também dirigiu “Aquaman”, “Invocação do Mal 1 e 2”, entre outros.

Na nova trama que acompanha Arthur Curry (Jason Momoa), o filho do humano de Tom Curry (Temuera Morrison) com a atlante Atlanna (Nicole Kidman), vemos como ele consegue trabalhar como o rei de Atlântida e as funções que um pai de família tem.

Nesta sequência, o Arraia Negra (Yahya Abdul-Mateen II) depois de não conseguir derrotar o rei dos mares, utiliza o poder do mítico Tridente Negro para liberar uma força antiga e maligna.

Na tentativa de proteger Atlântida e o resto do mundo, Aquaman precisará forjar uma aliança incômoda com um aliado improvável e deixar as diferenças de lado para evitar uma devastação irreversível, esse aliado é seu irmão Orm (Patrick Wilson), ex-rei de Atlântida, que ainda está na prisão.

Eles não imaginam, mas, essa luta acontecerá para salvar suas famílias e o mundo todo.

Para alegria dos fãs, o longa é cheio de ação, cheio de efeitos especiais muitíssimo bons, é colorido, bem executado e tem uma trama que prende a atenção.

Apesar de ser um tanto didático, do começo ao fim, “Aquaman 2” consegue manter o espectador ligado na história o tempo todo.

Talvez esse didatismo seja interessante para as pessoas que pouco conhecem de sua história e estão se inteirando do universo DC.

O diretor James Wan conta, mais uma vez, muito bem a história do herói aquático que leve uma vida de rei super herói, e de humano.

O elenco do filme é estelar, desde Jason Momoa, Nicole Kidman, Patrick Wilson, Amber Heard e muitos outros, todos estão ótimos em seus papéis.

Obviamente o destaque vai para Jason Momoa que parece que nasceu para este papel, tem o porte físico perfeito para o personagem e tem uma caracterização prá lá de bem-feita, tanto em maquiagem e figurino, quanto em efeitos especiais.

Por falar em efeitos especiais, esse filme é uma verdadeira ode a eles. Desde os personagens, até o mundo dos sete mares, com suas diferentes espécies e monstros marinhos.

As cenas de ação são muito bem-feitas, as coreografias das lutas embaixo da água, são críveis, e as cenas de perseguição nos veículos subaquáticos são perfeitas.

“Aquaman 2” veio mais uma vez, para ganhar o grande público, pois independente de seus milhares de fãs já existentes, ele vai ganhar outros tantos de milhares.

O filme é ótimo no quesito ação, aventura, entretenimento, tem doses de humor, de drama e de irmandade, além de tratar de um assunto extremamente atual, o aquecimento global.

Recomendo muito!

 

Nenhum comentário:

Festival de Cinema Brasileiro de Paris anuncia programação completa de sua 26ª edição

"Nas Ondas de Dorival Caymmi", "Barravento", "Nosso Sonho" e "Meu Nome É Gal".  O Festival de Cinema...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba