CANNES: Pernambucana Vitória Vasconcellos leva a potência do nordeste para o festival

“Bleed, Don’t Die” é o segundo curta da cineasta selecionado para o mercado do festival; pernambucana estará no evento que ocorre em maio, na França

A atriz e diretora Vitória Vasconcellos estará em Cannes com o curta-metragem “Bleed, Don’t Die” (Sangra, Não Morre), que foi selecionado para a exibição no mercado do festival. É a segunda vez que a pernambucana marca presença no evento; em 2021 ela esteve na França com seu primeiro trabalho profissional, “Pathei Mathos”. Nesta edição a cineasta se junta a Cleber Mendonça Filho como únicos representantes do estado no catálogo oficial.

- Ser selecionada novamente do mercado de Cannes é um privilégio enorme e uma oportunidade única de compartilhar meu trabalho, fortalecer conexões interacionais e aprender com as inúmeras obras do multiverso que é Cannes. Nosso curta foi feito por um pequeno grupo de recém-formados e gravado entre uma floresta e a pequena sala da minha casa, e poder estar com ele no maior mercado de cinema do mundo, discutindo projeto do longa, é uma conquista pra gente – acrescenta Vitória.

De gênero fantástico, a trama acompanha duas irmãs que tentam consertar seu relacionamento conturbado no dia em que o mundo vai acabar. Para a atriz e diretora, o que parece ser o fim, pode ser a oportunidade para o recomeço

- O fantástico tem essa força para debater elementos humanos que tentamos esconder de forma sutil. Queremos mostrar que as vezes o primeiro passo para “salvar” o mundo é curar as feridas que dividimos com aqueles que amamos. Nos inspiramos no poema medieval “Perceval”, que fala sobre a morte e a vida que vem da cura. É algo que sempre existiu, mas que ficou escancarado com tudo que aconteceu nos últimos anos – acrescenta.

O filme surgiu quando Vitória foi uma das 20 cineastas emergentes selecionadas para o Laboratório de Desenvolvimento do Festival Internacional de Cinema de Toronto (TIFF). A produção conquistou o prêmio “TIFF Canadá Goose Share Her Journey” e fez da cineasta a embaixadora do prêmio em 2022.

- Apesar do projeto ser uma co-produção EUA e Canadá, trata-se de uma produção dirigida por uma nordestina de Recife. Gosto de enfatizar isso porque quero que meu trabalho represente que, assim como a gente fala em Recife, “quem tem limite é munícipio”. Que nós nordestinos podemos ocupar todos esses espaços que parecem inalcançáveis. Estou no começo de uma carreira que não existiria sem os artistas do nordeste, que romperam barreiras internacionais e nos mostraram que é possível sonhar além. Por isso eu trabalho para que minha voz se junte a esse coro, e fortaleça ainda mais nosso Nordeste – finaliza.

Assiste o trailer de “Bleed, Don’t Die” - https://vimeo.com/vitoriavasconcellos/bddteaser

Mais informações sobre Vitória Vasconcellos em https://www.instagram.com/vasconcellosvic/

Nenhum comentário:

Festival de Cinema Brasileiro de Paris anuncia programação completa de sua 26ª edição

"Nas Ondas de Dorival Caymmi", "Barravento", "Nosso Sonho" e "Meu Nome É Gal".  O Festival de Cinema...

Olhar de Cinema Festival Internacional de Curitiba