Audiovisual terá abordagem 360º no RIO2C 2022

                                                                       www.rio2c.com

Quinto segmento de maior relevância econômica do país, segundo recente pesquisa da Ancine, o setor audiovisual – que supera indústrias importantes como a têxtil, farmacêutica e de equipamentos eletrônicos – sofreu impactos negativos e positivos diante da pandemia da Covid-19,  seja na crise enfrentada pelo cinema, por um lado, ou no crescimento exponencial do streaming. Os caminhos possíveis, as novas narrativas, as mudanças na legislação da propriedade intelectual, as previsões de crescimento e muito mais são assuntos que estarão presentes em 27 conferências no Rio2C 2022, que de 26 de abril a 01 de maio ocupa a Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, reunindo alguns dos principais nomes do setor no Brasil e no mundo, com patrocínio da Petrobras. Além dos painéis, as rodadas de negócios de audiovisual já têm confirmados 201 players – 138 no âmbito presencial e 63 no virtual, como Amazon Studios, AXN, Band, BIS, Dreamworks, Globoplay, ESPN, Netflix, Paramount, SBT, Telecine, Warner Bros., entre outros.

Além de um palco dedicado exclusivamente ao audiovisual – o ScreeningRoom, com 200 lugares –, o Rio2C abre espaço para o setor no StoryVillage, com 450 lugares, e no GlobalStage, com 1.250 lugares. Este último recebe em 29/4, às 9h30, o roteirista brasileiro Beto Skubs, a produtora executiva e roteirista norte-americana Kiley Donovan e a atriz italiana Stefania Spampinato, de Grey’s Anatomy, uma das séries de maior sucesso no mundo, com 18 temporadas, para celebrar os 400 episódios da série original criada por Shonda Rhimes. A mesa destrinchará todas as etapas de produção de um episódio – da sala de roteiro à produção final – e se aprofundará no “encontro de séries”, o processo de desenvolvimento de roteiros de projetos análogos, que se cruzam constantemente e compartilham alguns personagens nas tramas, uma vez que Kiley também está na equipe de roteiro de “Station 19”, spin-off de “Grey’s Anatomy”, atualmente na quinta temporada.

Na mesma sala, o painel “Futuro do Entretenimento”, no dia 28/4, às 14h30, levantará um dos assuntos que mais mobilizam atualmente o setor – as mudanças e regulamentação sobre propriedade intelectual. Sylvie Forbin, vice-diretora geral da OMPI (Organização Mundial da Propriedade Intelectual), Bertrand Chaverot, Managing Director da Ubisoft, Patrícia Muratori, diretora da YouTube Brasil, e Marcelo Castello Branco, CEO da UBC, falam sobre como o avanço cada vez mais rápido das novas tecnologias e a transformação digital faz com que a propriedade intelectual e o entretenimento ganhem novas dinâmicas. Neste painel, serão apresentados com exclusividade pela OMPI dados inéditos sobre o impacto do COVID 19 sobre as indústrias criativas, seguida sobre uma discussão sobre mudanças e tendências que moldarão as diferentes áreas da indústria, tanto para artistas, criadores e empresas, mas também para o público em geral.

Irreverentes, disruptivos e audaciosos. Fundado em 2012, o Porta dos Fundos é um fenômeno do entretenimento multiplataforma, que celebra uma década em 2022. Do início despretensioso ao sucesso refletido na média de 120 milhões de visualizações por mês, nos 17,2 milhões de inscritos no YouTube e no Emmy Internacional de Comédia conquistado em 2019, o Porta dos Fundos é o tema da mesa que ocupa o GlobalStage, no dia 27/4, às 11h, com Antonio Tabet, Christian Rôças, mais conhecido como Crocas, Gregório Duvivier e Ian SBF, que relembram os pontos altos da trajetória, piadas e polêmicas, e compartilham novidades sobre a expansão internacional, novos formatos e talentos.

Scott Steindorff é um bem-sucedido produtor de séries como a aclamada Station Eleven. Diagnosticado no espectro autista já em idade adulta, Scott é o personagem da mesa “O Papel das Emoções para Influenciar a Arte”, no dia 29/4, às 11h, no GlobalStage. Ele encontrou seu verdadeiro propósito ensinando sobre emoções e como utilizá-las para influenciar a arte. Além de professor, atua na capacitação de conselheiros e psicólogos licenciados para apoiar indivíduos neurodiversos e suas famílias. A motivação vem do fato de Scott fazer parte do espectro e de ter, no audiovisual, encontrado de alguma forma um porto seguro, uma sensação de adequação. Na conversa, ele irá compartilhar como encontrou seu caminho e como tem trabalhado com alunos e conselheiros para inspirar e colaborar para que mais pessoas consigam canalizar suas emoções para influenciar a arte.

O papel da Geração Z no audiovisual, com a construção de novas narrativas, será discutido no painel “Construção de narrativa para e pela Geração Z”, que ocupa o palco StoryVillage, no dia 28/4, às 11h30. Influenciada pelos eventos históricos recentes e pela imersão na tecnologia, a Geração Z traz um olhar renovado à lógica da construção narrativa, das relações pessoais e profissionais. Uma audiência que se encontra majoritariamente em mídias sociais no âmbito online. Neste painel, a premiada consultora em estratégias de conteúdo e desenvolvimento de formatos para plataformas Sandra Lehner, pesquisadora da geração Z e em tendências de storytelling, conversa com os jovens autodidatas André e Salomão Abdala, exemplos típicos dessa geração, os Abdala Brothers. Criadores de conteúdo original, eles criam para marcas como Porsche, Honda e NASA e falam sobre como engajar este público utilizando criatividade e interatividade, novas mídias e tecnologias.

Outra mesa que traz um tema bastante atual e polêmico no meio é “Showrunner ou Head Writer: que posição é essa, afinal?”. No Brasil, a definição de showrunner não está consolidada, e difere não somente de player para player, mas também de produção para produção. Essa falta de clareza muitas vezes causa confusão e frustração para as várias partes envolvidas. Este painel pretende lançar luz sobre a situação atual, desafios e oportunidades de showrunners, roteiristas e produtores no mercado brasileiro de séries. Para debater o assunto,  Haná Vaisman, diretora de conteúdo para séries roteirizadas, da Netflix Brasil, conversa com Felipe Braga, roteirista e showrunner do Los Bragas, e os roteiristas Ludmila Naves e Leandro Soares, com moderação de Bartira Bejarano Campos, roteirista, pesquisadora e coordenadora de desenvolvimento da Paranoid BR.

Eduardo Gaspar, vice-presidente de criação da Endemol Shine Brasil; Elisa Chalfon, diretora de séries originais brasileiras de não-ficção da Netflix, e Luisa Barbosa, diretora executiva de não-ficção da Conspiração Filmes, estarão juntos no dia 29/4, às 10h30, no palco do ScreeningRoom, para discutir “Formatos Originais com Alcance Global”. Apesar de o Brasil ser um país altamente criativo e com uma consistente produção audiovisual, ainda está longe de ser um potente criador e exportador de formatos de conteúdo non-scripted, ou seja, sem roteiro. No painel, executivos debatem o potencial do mercado brasileiro para desenvolver formatos de não-ficção originais e a oportunidades de vendas para o mercado global. Serão apresentadas oportunidades, cases de sucesso e modelos de negócios para o gênero.

Outros 21 paineis reúnem nomes como os atores, diretores e roteiristas Lázaro Ramos e Ingrid Guimarães, da Amazon Studios, o diretor e roteirista Breno Silveira (DOM), a autora Ilana Casoy, a vice-presidente de conteúdo da Netflix Brasil Elisabetta Zenatti, a Head de Gestão de Talentos e Desenvolvimento de Novelas, General Entertainment, Warner Bros. Discovery Latin America Mônica Albuquerque, a roteirista Ana Paula Maia (Desalma), o CEO para América Latina da WSL Ivan Martinho, o diretor de negócios e ad sales da Paramount Brasil Denis Onishi, para citar alguns

Nenhum comentário:

Crítica Filme Miss França por Rita Vaz

  Estreia nessa quinta-feira, a comédia dramática francesa “Miss França”, dirigida pelo ator e cineasta luso-francês Ruben Alves (Uma Famí...