Festival CineAlter 2021: “menina dos olhos” do turismo na Amazônia será palco de seis dias de cinema e programação multicultural


O Festival terá como filme de abertura o premiado “A Última Floresta”, dirigido por Luiz Bolognesi, que assina o roteiro ao lado de Davi Kopenawa Yanomami. 

 A cerimônia de abertura contará com a presença da atriz Lucélia Santos e show de Felipe Cordeiro.

O CineAlter 2021 - Festival Latino-Americano de Cinema de Alter do Chão irá acontecer entre os dias 18 e 23 de Novembro deste ano presencialmente, e entre os dias 18 e 28 do mesmo mês em plataforma de streaming, com exibição de mais de 50 filmes, entre longas e curtas metragens, regionais, nacionais e latino-americanos, priorizando um recorte identitário e territorial, distribuídos em cinco mostras, sendo uma competitiva e quatro paralelas. Os vencedores serão agraciados com o Troféu Muiraquitã

Embaixadora do Festival, a atriz e diretora Lucélia Santos, estará presencialmente na Vila de Alter do Chão durante o evento. “Festivais de cinema  são fundamentais para juntar o povo do cinema. Em Alter do Chão, mais ainda por se tratar desse lugar mágico e tão importante para a cultura e o meio ambiente do Brasil”, comenta.

Seguindo essa temática, o filme de abertura do CineAlter será “A Última Floresta”, dirigido por Luiz Bolognesi, que assina o roteiro ao lado de Davi Kopenawa Yanomami como corroteirista. A obra traz a história de um grupo Yanomami isolado na Amazônia, na qual o xamã Davi Kopenawa Yanomani tenta manter vivos os espíritos da floresta e as tradições, enquanto a chegada de garimpeiros traz morte e doenças para a comunidade. O filme foi vencedor do prêmio de público na sessão Panorama do Festival de Cinema de Berlim 2021. 

O CineAlter será uma edição híbrida, com exibições gratuitas totalmente on-line para todo território brasileiro e o exterior e uma programação presencial na belíssima Vila de Alter do Chão, eleita o melhor destino turístico do Brasil pelo Prêmio UPIS de Turismo em 2021. O evento também conta com uma programação multicultural presencial, com uma diversidade de artistas regionais como Chico Malta, Suraras do Tapajós, As Karuana, Dan Selassie, Rawi, Priscila Castro, El Puxirum, entre outros. 

O destaque das apresentações culturais ficará por conta de Felipe Cordeiro,  artista que tem como principal marca o pioneirismo na fusão de estilos populares amazônicos com a vanguarda pop. Em seu trabalho a sonoridade definida como Pop Tropical traz influências da guitarrada, carimbó, cúmbia e música eletrônica. O show será gratuito. 

O CineAlter promove o intercâmbio de saberes, conhecimentos e difusão do cinema e do audiovisual, com enfoque na visão de sustentabilidade, de pluralidade cultural e de uma economia compatível com a conservação da natureza. 

A seleção de todos os filmes para a edição 2021 do CineAlter parte do olhar de uma equipe imbuída na busca por produções que tragam em suas narrativas o foco em temas identitários, territoriais, étnicos e socioambientais, abordando, sobretudo, sobre as culturas, povos, pessoas e suas singularidades.

“Entendemos o nosso festival como uma ferramenta propulsora da cena audiovisual na Amazônia, ao abrir espaço de difusão para produções locais, e com a participação das comunidades locais. Ao mesmo tempo que promovemos um intercâmbio com países vizinhos latino-americanos para tratar, por meio do cinema, de temáticas que nos aproximam. Para Alter do Chão, o estado do Pará e realizadores do continente, um fomento à cultura audiovisual e ao turismo. Além de uma troca de experiências e narrativas com recorte social, sociocultural e socioambiental”, comenta o diretor do Festival, Raphael Ribeiro.

 

Rede Institucional

O CineAlter 2021 é uma iniciativa de organizações regionais, com realização do Instituto Território das Artes (ITA) e a correalização da Associação de Teatro de Santarém (ATAS). A consultoria técnica é da Olhar Distribuição, de Curitiba-PR. O Festival também conta com a parceria da Secretaria de Estado de Cultura do Pará (Secult), Mandato do Deputado Federal Airton Faleiro, Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) do Projeto Saúde e Alegria, Projeto Luz e Ação na Amazônia e conta com a participação efetiva das comunidades afetadas, a exemplo do Conselho Comunitário de Alter do Chão, Associação Iwipuranga do povo Borari de Alter do Chão e Associação Comunitária da Comunidade Caranazal.

 

CineAlter 2021 - 18 a 23 de novembro 

Filme de Abertura

“A Última Floresta”

2021 | Brasil | Documentário | 

Direção: Luiz Bolognesi, Roteiro: Davi Kopenawa Yanomami e Luiz Bolognesi.

Sinopse: Em um território Yanomani isolado na Amazônia, o xamã Davi Kopenawa Yanomani tenta manter vivos os espíritos da floresta e as tradições, enquanto a chegada de garimpeiros traz morte e doenças para a comunidade. Os jovens ficam encantados com os bens trazidos pelos brancos; e Ehuana, que vê seu marido desaparecer, tenta entender o que aconteceu em seus sonhos. O filme é uma produção da Gullane e Buriti, distribuído pela Gullane.]

 

Confira mais informações no site do CineAlter:

https://www.cinealter.com/

Redes Sociais do Instituto Território das Artes (ITA)

Facebook: https://www.facebook.com/territoriodasartes.ita

Instagram: https://www.instagram.com/ita.instituto/

 

Nenhum comentário:

‘EDUARDO E MÔNICA’ estreia nos cinemas brasileiros no dia 6 de janeiro

  Inspirado nos populares personagens criados por Renato Russo na canção ‘Eduardo e Mônica’, o longa-metragem homônimo estreia nas telonas d...