O Novelo, filme de Cláudia Pinheiro, no Festival ed Gramado


O Novelo, filme de Cláudia Pinheiro, no Festival de Gramado.

Uma produção associada Parakino Filmes/ Santissima Narrativas, com distribuição da O2 Play, inédita nos cinemas, entra na competição de longas-metragens brasileiros da principal premiação do cinema nacional.

O Novelo, filme dirigido por Cláudia Pinheiro a partir de roteiro de Nanna de Castro, está entre os 52 selecionados de 893 filmes inscritos, entre longas e curtas nacionais e estrangeiros, na 49ª edição do tradicional Festival de Gramado.

O filme, escrito e dirigido por mulheres, marca o surgimento da produtora Santíssima Narrativas, e é a versão cinematográfica do texto homônimo de Nanna de Castro, encenado nos palcos em 2009 e 2010. O enredo fala do universo de cinco protagonistas homens, irmãos que aprenderam com a mãe a fazer tricô para sobreviver e, após a morte desta, acabam sendo criados pelo irmão mais velho. Um dia, já adultos, recebem a notícia de que um homem em coma numa UTI pode ser o pai que os abandonou. Na sala de espera do hospital, eles mergulham em conflitos e memórias e, através do tricô aprendido na infância, restabelecem o vínculo fraterno enquanto o estado do homem piora.

O texto original foi escrito por Nanna e nasceu da demanda de um grupo de atores em discutir a complexidade e a profundidade do universo masculino, sem estereótipos. Para escrever, Nanna ouviu homens de vários tipos e idades falando sobre os desafios do masculino. O resultado é uma visão diferenciada sobre este universo, agora reforçada pela direção de Cláudia Pinheiro na versão para o cinema, onde o paradoxo entre o feminino e o masculino perpassa as personalidades e comportamentos de cada irmão dentro da história.

Atualmente, com todas as atenções voltadas para as mulheres e o feminismo, o filme propõe uma importante inversão de ponto de vista. A intenção é iluminar a discussão do comportamento nas relações familiares e o papel do gênero através de uma perspectiva masculina. “Acredito que é necessário ampliar o debate sobre o universo masculino e mostrar que, em relação aos sentimentos há́, entre masculino e feminino, um antagonismo positivo com potencial de gerar reflexões e debates. Desvendaremos uma nova e comovente faceta do masculino e de questões comuns enfrentadas dentro de famílias, tais como preconceito, sexualidade, machismo, vícios, traição, rancor, perdão e aceitação. Escancarando as fraquezas abrimos a porta para superá-las”, diz a diretora.

Cláudia Pinheiro fala ainda sobre a seleção do elenco: “Estávamos, os produtores Luciano Reck e Diego Freitas e eu, no Festival de Gramado de 2017, onde conhecemos pessoalmente o Nando Cunha, que tinha acabado de ganhar o prêmio de Melhor Ator em Curta-metragem. Seu discurso sobre a importância de atores negros fazerem histórias que não necessariamente estejam associadas à cor da pele ou com temáticas ligadas ao racismo foi marcante”.  Como o filme retrata a realidade de qualquer família, independente de raça, os produtores pensaram que Nando seria incrível para o papel de Mauro, o irmão mais velho. Embora o filme não levante nenhuma bandeira necessariamente, pois sua temática é universal, “o casting virou majoritariamente preto, tanto de adultos como infantis”, conta Cláudia, que completa: “esse elenco incrível é algo que nos enche de satisfação e orgulho, ainda mais pelo filme estar estreando exatamente em Gramado, quatro anos depois.”

“No teatro tivemos um elenco branco e no filme um elenco negro e isto não me fez mudar nada no roteiro.  A história tem uma essência universal que espelha conflitos de todas as famílias humanas independente de cor, raça, credo...”, afirma a roteirista.

Os atores Nando Cunha, Rocco Pitanga, Sérgio Menezes, Rogério Brito e Sidney Santiago Kuanza interpretam os irmãos na fase adulta, em um elenco que traz ainda as participações especiais de André Ramiro, como o pai, e da atriz portuguesa Isabel Zuaá, como a mãe, além dos jovens atores que os representam na infância e juventude. “Conseguimos trazer Isabel Zuaá, atriz portuguesa que tinha feito um lindo trabalho no filme franco-brasileiro de 2017, Boas Maneiras,  para ser a mãe dessa família, o que foi uma bela adição ao filme e que, coincidentemente, sabe tricotar. Isabel inclusive ajudou os demais atores a aprenderem”, conta a diretora.

O Novelo será exibido no próximo dia 15 de agosto às 21h30, em única exibição em televisão pelo Canal Brasil, dentro da programação do Festival e tem previsão de lançamento para o final de 2021 com distribuição da O2 Play. 



Serviço

O Novelo

Gênero: Ficção/Drama

Diretor: Claudia Pinheiro

Roteiro: Nanna de Castro

Elenco principal: Nando Cunha, Rocco Pitanga, Sérgio Menezes, Rogério Brito e Sydney Santiago-Kuanza

Participação especial: Isábel Zuaa e André Ramiro

Ano de produção: 2019

Ano de finalização: 2021

Duração 95 min (1:34:47)

Local de produção: São Paulo/SP

Produtora: Parakino Filmes

Produtora associada: Santíssima Narrativas

Estreia no Festival de Gramado 2021 (http://www.festivaldegramado.net/)

Exibição: 15 de agosto, às 21h30 (http://www.festivaldegramado.net/programacao/)

Canal Brasil - NET HD: 650 e SD: 150; Oi TV HD: 806 e SD: 66; Sky HD: canal 513 e SD: 113; ClaroTV : HD: 650, SD: 67 e Vivo TV HD: 806, SD: 566 ou Globoplay + Canais Ao Vivo

Nenhum comentário:

Programação da Semana - Cine Passeio (23 a 29 de setembro)

  ESTREIAS EXCLUSIVAS chegam ao #CinePasseio a partir desta quinta (23)!  O grande destaque desta semana é a estreia de mais um filme de D...