Documentário "Underground na Superfície" é o principal destaque da 2ª Mostra de Cinema Árabe Feminino esta semana

 


A programação da 2ª Mostra de Cinema Árabe Feminino está recheada de filmes inéditos e eventos especiais nesta semana. No sábado, dia 19, às 14h, a curadora do evento, Analu Bambirra, recebe para um debate no Youtube a diretora Salma El-Tarzi, responsável pelo filme "Underground na Superfície". O documentário retrata a popularização do ritmo eletrônico Shaabi no Egito e mostra também a carreira de artistas do gênero: a dupla Oka Wi Ortega e o cantor Wezza. Para uma maior imersão no evento, a Mostra criou uma playlist no Spotify que traz grandes sucessos do gênero. Essas e outras músicas que fazem parte das trilhas dos filmes  presentes no festival podem ser escutadas neste link:  https://cutt.ly/qbM3lLC. 

 

No domingo, dia 20, o destaque é a Mesa Redonda "Sul-Sul: Curando Filmes Para/Por Nós", às 15h, que será realizada também no canal do Youtube. Com a presença da pesquisadora Janaína Oliveira e da diretora americana Mary Jirmanus Saba e a mediação das três curadoras do festival, Alia Ayman, Analu Bambirra e Carol Almeida, a roda de conversa vai discutir o que mudaria no cinema mundial caso o Sul Global fosse inteiramente responsável pelas produções realizadas em seus países. 

 

Além disso, o sucesso "O Protesto Silencioso: Jerusalém 1929", de Mahasen Nasser-Eldin, volta à programação do evento e estará disponível no sábado e no domingo. O curta retrata o movimento lançado por mulheres palestinas em outubro de 1929 em Jerusalém contra a parcialidade do Alto Comissário britânico na revolta de Buraq. A 2ª Mostra de Cinema Árabe Feminino é totalmente online, gratuita e os filmes estão disponíveis no site www.cinemaarabefeminino.com até dia 23 de junho.

 

Esta semana, o festival traz uma seleção com oito novas produções dirigidas por mulheres, sendo seis delas inéditas. O documentário "Underground na Superfície" destaca o crescimento da música Shaabi, que se popularizou no Egito durante a revolução de 25 de Janeiro com o nome “mahraganat music”. O filme foca no surgimento da popularidade deste gênero, no qual a dupla Oka Wi Ortega e Wezza, artistas proeminentes deste movimento, são colocados sob os holofotes. 

 

"O Portão de Ceuta" traz uma série de situações reconstruídas baseadas em observações feitas na fronteira de Ceuta, um enclave espanhol em solo marroquino onde há um tráfico intenso de bens manufaturados, vendidos a preços mais baixos. 

 

"Barbès" mostra mulheres “invasoras” que ocupam o espaço público. Elas se apropriam dos mesmos gestos e mesmas posturas de homens nos mesmos lugares que eles, sem se importar com a passagem do tempo. Em "Escritório de Espera", Randa Maroufi traz um deslizar pelos corredores de um escritório ocupado por estranhos gestos. Uma recepcionista ao telefone, um homem organizando arquivos em sua sala, uma reunião...Gradualmente são mostradas situações inusitadas que mudam a relação entre as pessoas e este espaço comum.

 

"74 (A Reconstituição de Uma Luta)" é um documentário que mostra uma rebelião estudantil em Beirute nos anos 70 através dos olhares de ativistas da esquerda atual. Baseado em imagens de arquivo e ensaios extensivos com um grupo de sete ativistas, o filme documenta os pensamentos e o espírito de militantes libaneses jovens através da reencenação em grupo da revolta estudantil na AUB em 1974. Utilizando exclusivamente imagens de outros filmes egípcios que utilizam pirâmides como pano de fundo, "Turismo Doméstico II" explora as formas nas quais esses monumentos históricos icônicos podem ser reapropriados do cartão postal turístico “atemporal” e reinscritos no momento atual de complexidade política, social e histórica no país.

 

"Ela Teve Um Sonho" acompanha o caminho de Ghofrane, uma jovem norte-africana. Ativista dedicada, ela acompanha a atual movimentação política na Tunísia. Após ser vítima de discriminação racial, Ghofrane decide ingressar na política. Já "The Wall", conta a história de quatro refugiados adolescentes que, treinando para serem jornalistas em um campo libanês, armam um plano maluco de fazer um filme para convencer Roger Waters, do Pink Floyd, a reunir a banda e fazer um show no campo. 

 

A 2ª Mostra de Cinema Árabe Feminino é patrocinada pelo Banco do Brasil, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. A programação completa está disponível no site www.cinemaarabefeminino.com. 

 

Nenhum comentário:

HOMEM ONÇA estreia nos cinema brasileiros dia 26 de agosto

Situado no final dos anos de 1990, HOMEM ONÇA, de Vinícius Reis, investiga como a história do país reflete e interfere na vida pessoal de Pe...