Nordestino: toda a garra cinematográfica de uma das maiores regiões do Brasil

 

Na data de 08 de outubro é comemorado o Dia do Nordestino e não podemos deixar de falar sobre o cinema brasileiro, pois muito de seus autores e cineastas vem deste pedaço talentoso do Brasil.

O Nordeste tem muita coisa boa para mostrar, e na arte cinematográfica esbanja riqueza em seus cenários, enredos viscerais e tão próximos ao público, e a facilidade de performances, como dançar, cantar e atuar. É um lugar mágico!

E para comemorar este dia tão importante para a cultura brasileira, o premiado cineasta brasileiro Daniel Bydlowski traz alguns filmes para maratonar e conhecer o que os nordestinos tem feito para elevar o nosso país no universo da sétima arte.

- Bacurau: do diretor recifense Kleber Mendonça Filho, o longa conquistou o Festival de Cannes em 2019. Se passa no sertão brasileiro, traz uma perspectiva moderna com drones e ataques estrangeiros, e mostra o coletivo, característica bastante marcante desse povo.

- Madame Satã: particularmente quem o vê esquece de qualquer outra atuação do soteropolitano Lázaro Ramos, pois ele mostra a sua melhor versão. E a direção fica por conta do cearense Karim Aïnouz que conta a história do João Francisco dos Santos – travesti performático, filho de escravos, ex-presidiário, bandido, homossexual e patriarca de um bando de párias.

- Deus é Brasileiro: dirigido pelo maceioense Cacá Diegues e com o talentoso Wagner Moura, natural de Salvador, o filme mostra as belezas naturais do nosso país e afirma que o pai celestial é nosso conterrâneo. Apesar de passear pelo Brasil inteiro, o toque do lado de cima é especial.

- Capitães de Areia: baseado na obra do baiano Jorge Amado, com o cenário de Salvador, é uma obra cinematográfica indispensável para entender a desigualdade no Brasil, de onde ela veio e para onde ela foi, e, provavelmente como pode piorar. O elenco é exclusivo dos nordestinos, e mostra a força de uma região, com seus problemas, soluções e, principalmente, beleza.

- Estômago: a migração nordestina é uma realidade marcante do nosso país e é o ponto forte do filme, estrelado pelo soteropolitano João Miguel. A história da tentativa na cidade grande de ser alguém e de como, inclusive, muitos deles viraram sucesso e contribuíram para que as metrópoles crescessem.

Esses são alguns dos filmes que podem encher o peito das pessoas de alegria e orgulho de ser brasileiro e ter uma comunidade tão ativa diante à cultura.

 

Nenhum comentário:

TEL AVIV EM CHAMAS, estreia nos cinemas dia 29 de outubro de 2020 com distribuição da Pandora Filmes. Longa exibido na seleção oficial do Fe...