A sétima arte como ferramenta de aprendizagem e consciência


Estamos em um momento bastante frágil de nossas vidas e para muitos responsáveis pelas crianças (pais, mães, avós, tios e até professores), muitos anseios e questionamentos que antes permeavam escondidos agora parecem ter vindo à tona com mais clareza.

Estar com uma criança sem nenhum problema de aprendizado, ativa e cheia de amigos para conversar pela internet, já está sendo um problema. Agora imaginem vocês, estar com um pequeno que precisa de atenção especial, aquele que se sente solitário porque sofreu bullying na escola, ou mesmo uma criança com alguma síndrome ou limitações físicas?

Como um entusiasta pela educação e a arte como um meio para aprendizado e consciência, Daniel Bydlowski – premiado cineasta pelo filme Bullies, que conta a história de um menino que sofre bullying – separou alguns filmes para que os responsáveis que estão cuidando diretamente das crianças, possam entender um pouco mais do universo delas e melhorar a educação em meio à pandemia.

- Colegas: é uma aventura, misturada com comédia e conscientização. O filme brasileiro traz às perspectivas de pessoas que são portadoras da síndrome de Down. Emocionante, o longa traz algumas características que antes nunca foram abordadas, como a liberdade, autonomia e sexualidade dessas pessoas, que só querem ser felizes.

- Extraordinário: nascido com deformação facial, Auggie Pullman começa a frequentar a escola regular e acaba descobrindo que pode viver como qualquer pessoa, se expor a riscos, ao amor e à vida. O filme é uma lição de inclusão social e amor incondicional.

- As Cores das Flores: o curta é um documentário sobre os desafios de um menino com deficiência visual escrever uma redação sobre cores e flores. Uma história sobre o direito de aprendizado e sobre de que forma fazer isso com pessoas que tem deficiência visual.
- Como as Estrelas no Céu: o filme é indiano e conta a história de Ishaan Awthi, um menino de 9 anos que sofre de dislexia. Mal compreendido pelo pai, o menino é matriculado em um orfanato, e um professor substituto começa a fazer a diferença na vida dele direcionando-o para o caminho certo por meio de suas competências.

- Meu filho, Meu Mundo: Ruan nasceu feliz e saudável e com o tempo foi se trancando em seu mundo, ficando ausente emocionalmente e mentalmente de tudo. Depois que seus pais descobriram que ele era autista, começaram a fazer de tudo para que seu filho desenvolvesse suas habilidades.
Esses são filmes que as mães podem se inspirar para conseguir fazer mais pelas crianças especiais. O cinema pode transformar um mundo todo dentro de uma só casa.


Sobre: O cineasta brasileiro Daniel Bydlowski é membro do Directors Guild of America e artista de realidade virtual. Faz parte do júri de festivais internacionais de cinema e pesquisa temas relacionados às novas tecnologias de mídia, como a realidade virtual e o future do cinema.

Daniel também tenta conscientizar as pessoas com questões sociais ligadas à saúde, educação e bullying nas escolas. É mestre pela University of Southern California (USC), considerada a melhor faculdade de cinema dos Estados Unidos.

Atualmente, cursa doutorado na University of California, em Santa Barbara, nos Estados Unidos.  Recentemente, seu filme Bullies foi premiado em Newport Beach como melhor curta infantil, no Comic-Con recebeu 2 prêmios: melhor filme fantasia e prêmio especial do júri.

O Ticket for Success, também do cineasta, foi selecionado no Animamundi e ganhou de melhor curta internacional pelo Moondance International Film Festival.

Nenhum comentário:

Sony Pictures prepara ações especiais para estreia no TikTok

Para comemorar o Dia do Pais neste domingo, 9 de agosto, a Sony Pictures vai estrear a sua conta na plataforma TikTok, uma das plataformas d...