Leona Vingativa e Aleijada Hipócrita são as personagens do segundo episódio da série “Favela Gay – Periferias LGBTQI+”, do Canal Brasil



Quem não se lembra do vídeo que viralizou em 2009 com Leona – Assassina Vingativa e a Aleijada Hipócrita? Publicado no YouTube de forma despretensiosa, teve mais de 2 milhões de visualizações e tornou as duas um sucesso na internet até hoje. A dupla é entrevistada no segundo episódio de “Favela Gay – Periferias LGBTQI+”, que vai ao ar no Canal Brasil na quarta, 1º de abril, às 19h30.

Leandro e Paulo Colucci (nomes de batismo das duas) moram em Jurunas, Belém, e são vizinhos e amigos desde criança. Mesmo na infância, perceberam que Leandro não era como os outros garotos da idade dele: “A gente nunca tinha visto um menino fazendo coisas ‘absurdas’, colocando vestido, maquiagem. Ele era muito pequenininho mesmo”, diz Paulo. Leona complementa: “Sempre chamei atenção pelo meu jeito. Existiam outros meninos gays, mas não tão abusados como eu”.

Na entrevista, Leona diz que já passou por muitas situações de preconceito, mas adora rebater as críticas e comenta sobre os embates que precisou enfrentar com a mãe, antes muito preconceituosa. Hoje, ela torce pelo sucesso do filho, como prefere chamar, e teme pela violência do mundo. Atualmente, Leona e Aleijada têm seu próprio canal no Youtube com vídeos de paródias e foram até parar no teatro, quando a história de Leona Vingativa virou tema de espetáculo. “Bicha é muito forte. A gente passa por várias coisas, mas está sempre brincando com a situação. Gosto de saber que sou inspiração pra outras pessoas e que ajudei algumas a ‘saírem do armário’”.

Elas explicam ainda como se definem dentro da sigla LGBTQI+: “Eu me identifico com travesti, não gosto de ser mulher e não quero ser uma mulher perfeita, gosto de ser bicha mesmo”, afirma Leona. Já Paulo segue outra linha: “Goto de me vestir como menino. Tem cara que fica com gay, mas que não é gay. Não é estranho? É desse estilo que eu gosto, homens que namoram com meninas e que não assumem a bissexualidade”, diz.

Na série, elas também falam sobre a infância, mostram os locais onde gravam seus clipes e comentam o sucesso inesperado.

Os dez episódios de “Favela Gay – Periferias LGBTQI+” estarão disponíveis no Canal Brasil Play sempre após a exibição na TV e poderão ser assistidos também por não assinantes durante o primeiro mês.


FAVELA GAY – PERIFERIAS LGBTQI+
INÉDITO
Horário: Quarta, 1/04, às 19h30
Rebatidas: Segundas, às 12h30; e terças, às 7h30
Classificação: 12 anos

Nenhum comentário:

PAINEL MONSTER HUNTER NA CCXP

O filme “Monster Hunter”, baseado no game homônimo da Capcom, teve um painel no primeiro dia da CCXP WORLDS.  Durante a exibição do painel, ...