Crítica Filme "Alfa" - Rita Vaz



Com direção, criação e produção de Albert Hugues, chega aos cinemas “Alfa” uma história que fala do possível início da relação de amizade entre cães e homens.

A trama acontece em algum lugar da Europa, há vinte mil anos, e inicia seu discurso falando que o homem aprendeu a sobreviver em grupo, mas tinha que lutar contra muitas ameaças naturais e ameaças de animais.

Mas, aprendeu também que se aliando a determinados animais teria chances ainda maiores de sobrevivência.

Keda é um garoto que está iniciando seu aprendizado em grandes caçadas. Ele é filho de Tau, o chefe da tribo que está preparando o grupo de homens para a caçada.

Depois de passar por estranhos rituais, o grupo parte. Durante a longa caminhada, o pai de Keda ensina muitas coisas ao filho, como por exemplo a necessidade da paciência para conseguir os objetivos e a necessidade da perseverança.

Durante um ataque a uma manada de bisões, Keda cai em um desfiladeiro e seu pai e companheiros acreditam que ele está morto e vão embora.

Depois de algum tempo ele acorda e precisa sobreviver sozinho para voltar para casa.

Durante o trajeto, ele é atacado por uma matilha e fere um lobo. Mas seu cuidado com os animais não permite que ele o mate, na verdade, ele cuida do lobo e eles se tornam amigos.

Juntos enfrentarão muitos percalços para retornarem para casa.

O filme fala principalmente da jornada de crescimento do menino e da sua empreitada em domesticar um animal selvagem.

Dessa premissa, muitas outras lições aparecem na história.

Somente na segunda parte do filme que o lobo, Alfa, entra em cena, mantendo a partir daí a constituição da relação.

O diretor Albert Hugues entrega um filme competente para o seu público alvo, que é o jovem adolescente, já que as relações pai e filho e menino e lobo, são colocadas de uma forma bastante acadêmica, com frases de efeito.

Apesar de ter efeitos visuais que deixam a desejar, o longa apresenta também momentos mágicos, com belas cenas contemplativas.

Algo que incomoda um pouco na história é a geografia. A história fala da Europa, mas vemos hienas em um ambiente congelado, aurora boreal e outras coisinhas mais, mas, que se deixadas de lado, não afetam a trama.

Para quem gosta do gênero, “Alfa” é um ótimo filme, apresenta uma história de perseverança e amor, além de provocar tensão e dar alguns sustos na plateia.

A relação cão e homem sendo contada desde o seu início, a pré-história, é uma excelente dica de filme para toda a família.

Título Original: Alpha
Gênero: Aventura/Drama
Tempo de Duração: 1 hora e 36 minutos 
Ano de Lançamento: 2018
Direção: Albert Hugues
Elenco: Kodi Smit-McPhee, Jóhannes Haukur Jóhannesson, Marcin Kowalczyk, Jens Hultén, Natassia Malthe, Léonor Varela, Spencer Bogaert.

Nenhum comentário: